Namoro exs amigo

A amiga do meu namorado

2020.10.25 02:54 queenl1zzy A amiga do meu namorado

Bom, namoro faz 10 meses e meu namorado até então tem uma amiga. Eles são amigos deve ter uns 3 anos. Eu, como é o comum de qualquer relacionamento, senti ciúmes em saber da existência dessa amiga e ainda descobrir que ela considera ele melhor amigo e que ele costumava considerar ela melhor amiga também, mas após começar a namorar comigo ele diz que eu sou a única melhor amiga dele (até aí ok). Mas eu comecei a me incomodar bastante com ela quase sempre chamando ele pra jogar e o pouco tempo que tenho disponível pra fazer com ele acaba ele jogando com outras pessoas e algumas vezes com essa garota.
Recentemente ela vem chamando bastante ele pra jogar (vale ressaltar que ela namora também), eu fico chateada pq ela tem o namorado dela e o tempo que eu tenho pra ficar com o meu ela acaba tirando isso de mim. Anteontem era véspera do nosso aniversário de namoro e ela chamou ele pra jogar e ele aceitou ir jogar dps de ter dormido o dia inteiro e eu achei que ele iria fazer algo comigo até dar meia noite e ser o nosso dia. Eu acabei indo perguntar a ele quando iriamos pode ficar juntos e ela ouviu tudo o que ele tava me respondendo pq estava em ligação com ele enquanto jogavam. Dps de terem acabado de jogar ela mandou mensagem pra ele dizendo que preferia se afastar pq não iria passar por cima do nosso relacionamento. Mas ele falou que ia ver se eu me tocava com tudo isso e mudava, então ficou aberto sobre isso de pararem de se falar ou não.
Porém, ele me disse que ela provavelmente não iria mais falar com ele, e eu espero que aconteça isso pq acredito que é melhor assim. Ele me contou que ela não ajudou ele quando ele estava em um relacionamento conturbado, só diminuiu o que ele sentia e fez ele se sentir um idiota por ir buscar ajuda. E isso foi como se fosse uma resposta pra mim pro sentimento inexplicável que eu tinha sobre ela. Ele tem algumas outras amigas que pedem ajuda na hora de jogar e etc, mas não me incomodava tanto quanto essa me incomoda. Enfim, ele me contou sobre isso, de que ela não o ajudou quando precisou e que só chamou ele de trouxa, que ele era um idiota por deixar ela (a ex dele) fazer isso com ele). Resumindo, a amizade deles foi algo que ele ajudava ela quando ela precisava mas ela não ajudou quando ele precisou. Então ele só jogava com ela pra se distrair e não compartilhava de problemas pessoais já que sabia que ela iria ridicularizar a situação. E eu acredito nele, pois ele já me contou sobre o relacionamento anterior, só gostaria que ele tivesse dito sobre isso antes pra me tranquilizar, mas ele não gosta de tocar muito nesse assunto pq faz mal e eu entendo totalmente.
Eu tô pensando nisso até agora, e queria um comentário de alguém de fora disso, se isso seria algum sexto sentido por minha parte de "sentir" que tinha algo de errado com essa amizade e que a garota não era tão boa quanto parecia ser ou é só imaturidade da minha parte em achar que é melhor que ela se afaste mesmo já que não foi uma amizade que agregou na vida dele e só o fez afundar no momento que ele precisava de apoio dos amigos e também de certa forma tá atrapalhando nosso relacionamento. Por favor, quero opiniões de alguém sobre isso. Desculpa pelo textão e obrigada por quem leu até aqui!
submitted by queenl1zzy to relacionamentos [link] [comments]


2020.10.24 23:34 ms-phoenix Fim de relacionamento durante a pandemia

Sai de um relacionamento abusivo para me relacionar com alguém que eu acreditei ser o amor da minha vida. Nos primeiros meses (nessa mesma época, só que em 2019) foi tudo incrível, tudo maravilhoso e foi assim até o início da pandemia.
Eu e meu namorado (agora ex) tínhamos uma vida social ativa que se foi totalmente por conta do isolamento social. Eu sabia que isso iria afetar negativamente nosso relacionamento, então, desde abril insisti para fazermos algo diferente para não deixar o relacionamento cair na rotina.
Ele é um cara muito legal, mas é super preguiçoso, apesar de trabalhar, não faz mais nada além de fumar cigarro (o que eu odeio) e maconha (que eu gosto, mas sem exageros) e dormir o dia inteiro, o final de semana inteiro.
Dito e feito: o namoro caiu na rotina. E DETALHE: nós trabalhamos juntos, ele é meu líder imediato na empresa, o que só piora tudo. Não fazíamos nada além de trabalhar nos dias de semana, e no final de semana fumar maconha e assistir série desde o inicio do distanciamento social.
Eu sempre insisti para começarmos a praticar algum esporte, sair pra acampar, fazer trilha ou QUALQUER outra coisa que não envolvesse ficar chapado trancado dentro do quarto o final de semana inteiro e sempre tinha uma desculpa pra não acontecer isso.
Domingo tivemos uma conversa séria sobre isso e eu disse que não estava feliz, ele jurou que ia mudar, que ia ser mais ativo, que ia encontrar um hobbie e que iria diminuir o consumo de erva porque viu como me fez bem ficar sem (eu estou outubro inteiro sem maconha, álcool, carne, açúcar e redes sociais e me curei de um quadro de depressão por conta desse “detox”).
Quarta feira, sem mais nem menos, me chamou no intervalo do almoço, terminou comigo e me mandou voltar a trabalhar, enquanto foi pra casa chorar. (???)
Eu fiquei bem incrédula, mas não fiquei mal porque já não estava feliz com o relacionamento.
Acontece que em 3 dias desde o término ele já encontrou um novo hobbie, saiu de casa para se divertir e hoje saiu para acampar (com a barraca que compramos juntos e nunca usamos por conta das desculpas).
Eu tô triste, com raiva e me sentindo humilhada, porque, lembram que eu falei que eu saí de um relacionamento abusivo antes de namorar com ele? Então, eu não tenho amigos. Não tenho com quem conversar, com quem sair, com quem ter contato.
Eu me dediquei totalmente a esse relacionamento, sempre fiz de tudo por ele e no primeiro final de semana após terminar comigo, ele faz todas as mudanças que eu venho pedindo há 7 meses.
A história tem muito mais detalhes, que eu não vou nem mencionar pra não deixar o texto mais gigante do que já ficou, mas cara, que situação merda. Tô malzona.
TL;DR: insisti meses em mudanças que fariam bem pro nosso relacionamento e ele só mudou depois de terminar comigo.
submitted by ms-phoenix to desabafos [link] [comments]


2020.10.22 01:45 isr-n Sou lerda ou iludida?

Então, desde novembro de 2019 eu falo com um cara todo santo dia, nada muito profundo. Conheci ele no trabalho uns meses antes, mas não falava muito, até porque ele tinha namorada (namorava até junho de 2019) e não falava com ninguém, começamos a falar quando ele se demitiu.
Depois que ele saiu do trabalho eu descobri que ele falava de mim pros colegas dele, que me achava bonita e tal)
Na época do natal e ano novo nós já estavamos mais intimos ele comentou que sempre quis falar comigo, tinha vontade de almoçar junto (almoçava no mesmo restaurante em mesas próximas mas nunca falava nada)... Então começamos a ir tomar café aqui e ali, barzinhos e restaurantes, nos damos muito bem, rimos bastante.
Sei que ele já mostrou fotos minhas pra família dele, mandou áudio pra minha mâe (aquelas coisas dr namoradinho de colégio).
Até agosto estávamos nessa, sair p tomar um café e dar risada, ele parar o carro uma quadra antes da minha casa p dar uns beijinhos e deu, e depois de uns 6 ou 7 encontrou ele me convidou para ir num motel, não aceitei, mas ele já esperava isso pq várias vezes eu não aceitei nem sair pros tais cafés pq estava estressada e cia.
Eu tive uma conversa séria por causa de um acontecimento com uns amigos em comum, sobre relacionamento e traição, ele me explicou do namoro antigo dele, que a guria era muito controladora, ameaçava se matar e ele se sentia sufocado (sei que é verdade pq vi com meus próprios olhos e escutava dos amigos em comum). Porém meu caso é diferente, meu antigo relacionamento terminou pq eu não me importava com o ex sair com os amigos e não tinha ciúmes e ele achava que eu n me importava com ele, então o garoto em questão comentou que acha incrível que eu incentivo ele a sair com amigos, se divertir ir atrás das coisas. Nessa conversa deixei claro que queria namoro e ele que ia deixar acontecer e que acontecesse é o que era pra ser.
Então em setembro eu dei a loca e convidei ele p famigerado motel, obviamente ele aceitou e rolou tudo ótimo, deu uns 20 dias aí fomos de novo. Essa semana ele me convidou novamente e quando ele disse para onde ele queria me levar eu recusei, hoje me convidou p jantar em um restaurante sexta e eu aceitei. Não sei se posso criar esperanças, se estou sendo feita de trouxa, se eu faço algo que deixa ele inseguro, se ele me acha muito certinha e patrícinha ou se tá tudo okay e eu estou noiando. Então resolvi desabafar aqui pq não curto fofocar com os amigos sobre gente que eles sabem quem é, o que vcs acham?
submitted by isr-n to desabafos [link] [comments]


2020.10.20 03:53 Control-Much Eu me sinto estranho, eu sou estranho pra caralho

Geralmente eu não sou um cara de pedir auto-ajuda, sinceramente esse é meu primeiro post aqui no Reddit, (acredito que já lurkei o suficiente) a real é que eu fui abusado pela amante do meu pai bem novo. (ela tinha 24 e eu tinha 8) isso se perpétuo até meus 13 eu acho com isso a infame desgraçada além de enfiar o dedo no meu rabo conseguiu me transformar em um garoto bem introvertido e quieto, logo, um punheteiro bem novo ela conseguiu me “depravar” bem novo fazendo eu me tornar uma batata social que vivia em função de realizar os desejos pedófilos dela, na real é que eu me sinto culpado por gostar disso além dela ser amante do meu pai e morar na minha casa como se fosse filha da minha mãe (ela simplesmente agiu como santa para ser acolhida pela minha mãe, a mesma tratava ela como minha irmã) logo isso me fez desenvolver vários problemas como fobia social e problemas de insônia pós ela fazia questão de me “felar” a noite assim quando bem entendia, eu geralmente falava não e que ela não podia fazer aquilo comigo então ela tampava minha boca com a mão e continuava.
A longo prazo isso me ferrou de diversas formas tanto nos meus relacionamentos, quanto na vida social e profissional. Além deu ter ereções aleatórias, isso não parou nem depois da puberdade. Eu sou um viciado em pornografia e sexualizo coisas simplesmente não saudáveis, claramente minha mente se tornou perturbada depois daquilo, mas eu nunca desenvolvi um quandro mais sério quando eu era novo, não comparando do que eu desenvolvi uns anos para cá.
Bom, assim que eu cheguei nos 14 e arrumei minha primeira namorada é que eu tive uma epifania, a primeira é que minha vó é uma arrombada (ela simplesmente impatou a minha primeira foda porque minha mãe pos ela de babá para não deixar eu meter o boneco na menina, depois que minha vó expulsou ela da minha casa logo depois essa garota terminou comigo) a segunda é que minha vida não tinha muito sentido as pessoas me usavam para ter o que elas queriam seja prazer momentâneo, objetos, serviços ou apóio moral e logo depois me descartam como um trapo velho, isso tudo veio junto com a morte do meu tio com 42 facadas na barriga, querendo ou não meu tio além de um grande cheirador de coca, era um dos meus melhores amigos (Ele me mostrou jogos online, lan houses, amigos, e cuidava de mim verdadeiramente sem pedir nada em troca além de um dinheiro para ele comprar um saquinho da fininha as vezes) Ele simplesmente curou minha fobia social e fez eu ter a infância que eu tinha perdido por ser um escravo sexual sem amigos de uma deposito imunda que nunca se importou comigo.
Assim que ele morreu meu mundo desabou foi a primeira experiência com a morte que eu tive, logo de alguém tão próximo, isso me quebrou de diversas formas.
Com isso veio a inevitável depressão eu literalmente só existia para um propósito merda, eu comecei a fumar cigarro para passar a ansiedade bem novo com 15 eu já fumava os “diversos” aquilo me trazia a sensação de leveza, mesmo que fosse uma paz momentânea, era como se meu cérebro parasse de “autistar” (eu sou hiperativo) mesmo eu queimando cada sinapse cerebral que eu tinha, aquele amargo na boca me deixava calmo.
Meu vício e depressão perduraram até um webnamoro merda que eu tive em que eu acreditava que era a “garota perfeita” pura ilusão de um emocionado eu realmente pensei que eu poderia vê-la, ter uma família com ela, conseguir consertar as merdas que eu fiz para mim mesmo e começar a amar o falo ambulante que as pessoas acham que eu sou, eu simplesmente dei tudo para ela e durante os primeiros 7 meses foi tudo ok, era muito amor e muita consideração minha, pois eu sou um cara muito “good guy”, ela tinha uma depressão bem forte por conta do pai abusivo e da mãe ausente (o pai dela é pastor e espanca os filhos, fica bêbado, vive na degeneração, bolsominion) esses pontos que geraram uma “femcel” esquerdista e bissexual.
Ela era fofa, eu achava que estava apaixonado, mas como todos os meus namoros ela só meu usou porque não tinha nada melhor. E me trocou por um ex paulista “femboy” que exigia nudes dela e a travata como lixo, simplesmente eu me sentia muito culpado, pois eu tinha me iludido em algo que claramente não tinha futuro, mas eu sou extremamente carente então o melhor encantamento para me levar no bolso é dizer que me ama, independentemente da circunstância, literalmente ela dizia coisas para eu me sentir horrível comigo mesmo e logo depois dizia que me amava, eu me sentia abraçando um cactu mesmo que não fosse de “verdade” era a primeira vez que alguém falava que me amava, eu entrei em pânico, mesmo eu sabendo cada segundo que aquilo não era o certo a se fazer e eu estava regredindo.
Querendo ou não ela me ajudou a superar uma fase da minha vida, mas eu nunca parei de me sentir um objeto. Na real eu ainda tive mais certezas disso eu simplesmente sou um dildo de plástico que estou na gaveta para quando elas não têm ninguém. (não eu não me considero bonito, longe disso eu to mais para brasileiro morador de periferia padrão)
Logo depois disso eu quis adiar o problema e começar a sair mais com meus colegas e meu primo começou a morar aqui por volta de 3 meses foi tudo tranquilo até que fomos num “hokah” (buteco adolescente) nós juntamos lá, eu comecei a beber até que perdi a inibição e comecei a ir em toda mulher que eu via pela frente igual um macaco, a primeira me achou simpático e me puxou pro canto quando tudo já ia dar certo um colega me barrou dizendo que ela já tinha “dono”, eu ri e meti um “a gente divide, né pae” meu colega riu muito, por ele conhecer ela a mais tempo eu decidi não “profita-la”, mesmo com ele não conseguindo pegar ela depois, por pura consideração pelo cara, eu fui em outras 6 depois dessa e tomei fora de todas e ganhei um apelido de 7.
Na real é que as garotas agora me viam como uma piada que está lá para quando inflar o ego delas para quando elas precisam, tradução literal: “esquento para um babaca com grana comer”. Esse foi um dos momentos mais WTF possíveis na minha vida se não fosse a briga com meu primo que rolou depois. Ele ouviu o que eu tinha comentado com o meu colega e como as pessoas gostam de me oprimir inventaram uma história vergonhosa sobre meus foras para parecer herói na frente no irmão do meu melhor amigo, e como o resto dos meus amigos de infância babam o ovo do meu primo eles literalmente concordaram com ele criando 3 histórias diferentes do ocorrido literalmente forçando que eles eram “os heróis que salvaram o pequeno betinha de ser cobrado na saida do butequinho”, além do meu primo viver se achando o bonzão ele era um gigolô da porra em casa e só aproveitava não dando uma foda para minha mãe, sendo que ela fazia das tripas coração pro arrombado ele nunca tratou ela do jeito que ela merecia, eu cobrei a mentira que ele inventou e simplesmente fui contra toda a minha rodinha de amigos sendo fraco e falho.
Eu não deixei ele falar toda aquela merda sem ter penalidades, mesmo implorando para ele parar de falar e párarmos de discutir, ele veio para cima eu dei um no queixo e na orelha.
Foi o suficiente para deixá-lo katinguelê, então ele me ameaçou de pegar uma faca para mim, então eu quebrei uma bacia de vidro e com a mão e com os cacos sagrando na minha mão eu falei “tu meu irmão, que viveu a vida toda comigo, vai me furar, na nossa casa, com a nossa família aqui, NA MINHA CASA?”. Além de jogar umas coisas na cara dele porque ele merecia.
Foi o suficiente para minha mãe expulsar ele de casa, meus amigos acharam que eu armei para ele e a pessoa que literalmente passou 16 anos da vida ao meu lado meu melhor amigo chupou o ovo do meu primo, vendo tudo que ele diz como verdade absoluta.
Mais cedo ou mais tarde íamos brigar eu acabei de brigar com outra pessoa que viveu a vida toda ao meu lado, isso para mim, é frustrante porque literalmente eu sou dependente de toda emoção positiva que as pessoas têm por mim, ele usou o argumento que eu sou “mimado” por não ter nada da forma que eu quero, mesmo eu saindo errado em tudo quase sempre. Esse argumento ele valida falando que “eu tive tudo na vida agora não aguento perder”, eu esqueci de falar que a amante do meu pai antes de ser pega pela minha mãe roubou todo o dinheiro do meu pai e sumiu do mapa.
Meu pai trabalha no comércio então com a crise, inflação, copa do mundo, carnaval e covid. A gente sempre passa um aperto aqui e alí.
Eu simplesmente sou muito sensível a essa merda eu não sei porque esse padrão aleatório de merda me segue e eu não consigo ser feliz, ou do porque eu me importar com isso.
¹Edit: eu comecei a gostar de trans então a tampa do bueiro leva ao esgoto, por isso eu to aqui. ²Edit: eu me sinto sozinho e vulnerável ³Edit: eu sinto que a minha solução seria uma pessoa que sofreu tanto quanto eu para me entender verdadeiramente. ⁴Edit: esse post é frescurento para um caralho, pois eu sou horrível contando algo então essa merda parece pura frescura, mas foi traumático cada segundo ⁵Edit: apanhei para caralho na escola quando era muleque por ser esquisito ⁶Edit: minha irmã não me suportar e tentou me matar usando um iPhone 6 plus, ela quebrou ele na minha cabeça 8 (pontos). ⁷Edit: tentei me matar usando cabo de extensão no box do banheiro e pulando de uma cachoeira.
⁸Edit: é minha primeira vez sendo op aqui, não tenho muito experiência.
Also, acho que embananei essa porra para caralho e não cheguei em lugar nenhum, mas eu precisava de um lugar para postar essa merda sem polimentos com esses pensamentos abstratos antes que eu comece a chorar pelo quão random essa merda de vida é.
submitted by Control-Much to desabafos [link] [comments]


2020.10.18 15:58 sinsinemy Terminei o namoro e me arrependo amargamente

Muito longo, mas preciso desbafar.
Tudo aconteceu no último final de semana de setembro, a gente tava super feliz e estávamos prestes a fazer 1 mês de namoro e 7 meses que a gente ficava e se conhecia. Por culpa de um print ele ficou com ciúme de uma bem idiota (muito idiota) e parou de me responder, me ignorou o dia inteiro e eu queria sair com ele e NADA dele conversar comigo. Decidi sair sozinha com outros amigos, a gente pertence a grupos diferentes de amigos porque moramos há 33km de distância e é foda se ver todos os dias, ir nos mesmos lugares porque na prática é longe. Cheguei na festa e nada dele me responder, tentei conversar liguei, mandei mensagens em todas redes sociais e de verdade eu tava muito ansiosa, no mesmo grupo de whatsapp que a gente tava, ele tava marcando de sair com os nossos amigos e eu podia simplesmente sair dessa festa e ir pra lá pq era relativamente perto até. Mas ele não me respondia então eu justifiquei todo aquele print que ele ficou com ciúme e provei que não precisava daquilo, toda hora ele falando que não queria conversar comigo, eu ligava e ao mesmo tempo eu tava bebendo, juntou tudo comecei a ficar triste demais, comecei a me sentir insegura, pensei muita besteira, pensei em tudo de ruim e a única coisa que eu queria era conversar com ele pra ve se me acalmava e eu não tinha nenhuma resposta. Chorei bastante, tava muito abalada e na mesma noite eu falei que era melhor a gente terminar (por mensagem), falei várias coisas por impulso, terminei por impulso e por toda aquela tensão. Me arrependo bastante. No outro dia eu tentei falar com ele, tentava e tentava porque eu tinha me arrependido bastante cara e ele já tava tipo "vc terminou cmg" e me repreendeu por eu ser imatura de ter feito isso e não pensado no depois. Chorei, fiquei mal bloqueei e desbloqueei ele por no mínimo 8 vezes. Não conseguia me afastar. Pedi pra que ele deixasse eu ir na casa dele pra gente conversar melhor e fui lá, levei até um par de aliança baratinha torcendo muito que desse certo. Conversamos, se acertamos mas ele tava meio diferente, falava umas coisas que eu não gostava mas que ele sim e que a gente não combinava tanto assim, saímos, se beijamos, conversamos e eu achei que daria certo e que ia ficar bem, tava com muita esperança. Dei aliança pra ele no fim da noite e depois disso a gente teve um momento nosso, foi lindo. No outro dia ele já tava meio distante, meio chato e fomos fazer visita na casa da tia dele, foi legal, ganhei bastante presentes e eu amo a família dele, me sinto muito feliz e confortável quando estou lá. Esse dia eu tinha que ir embora e ele ia sair com os amigos dele, me chamou e eu não tava super afim, sabe? Falei que pegava o mesmo caminho que ele e ia embora. Assim foi, fomos e ele ficou o caminho todo no silêncio, não falava, não pegava na minha mão, nao me olhava, não reagia a nada e eu só queria alguma demonstração e se por acaso eu mudasse de ideia pra ir com ele, já que os amigos insistiram pra eu ir e ele nada, sem reação alguma e isso tava me incomodando demais, eu tava quase chorando. Fui direto pra casa, com aperto no coração porque queria tar com ele mas eu me sentia desconfortavel de tar com ele, complicado. No outro dia ele me ligou e terminou comigo, sem mais nem menos, dizia que me amava e falou que não dá mais. Eu insisti muito, demais e falei que dava certo sim e esse foi o dia mais triste. Doeu demais. Sofri muito. Chorei e chorei tanto. Porque ele falou que não, mas falava que me amava e me agradecia por tudo mas falava que não. Era muito ansiedade e eu falava com ele, eu tentava mandar mensagem como se fôssemos amigos pq eu não aguentava não passar 1 dia sem saber sobre ele, sempre a gente caia numa conversa legal sobre a gente, ria e entendiamos que a gente tinha terminado, que somos ex e falávamos sobre esperança que era algo que eu tenho e ele fala que também tem. Eu amo ele demais, sou apaixonada por ele, isso é foda. Mas eu falei até sobre a gente "ficar", pra gente se ver e eu tava com muita saudade e ele aceitou. A gente saiu e foi perfeito, eu ainda era apaixonada por ele e tudo que a gente fazia era bom demais. Sentamos e conversamos mais sobre o nosso término, ele falava que não tava pronto pra namorar e até disse um "você merece uma pessoa melhor", mas eu tentava falar que não e que ele era o melhor pra mim. Ele falava que não tava pronto, que me amava muito mas tinha que pensar mas pensar em que? Quem amava tinha que ficar junto, mas eu baguncei a cabeça dele, eu terminei do nada, tava muito bom que eu estraguei tudo. Fiquei triste e comecei a chorar do lado dele e ele me abraçava e falava que me amava, insistiu pra eu ir pra casa dele e a gente sair no outro dia. Eu aceitei. Dormimos juntos e foi muito bom, mas ele nao era 100% meu (namorado), eu me sentia muito bem com ele, era gosto demais todos os nossos momentos. Levantamos o outro dia e fomos, senti ele distante de novo pegava na mão dele, foi legalzinho e eu curti todo o momento da melhor forma que dava. Eu tava com ele e só isso importava e fui (de novo) pra casa dele pq tava muito tarde pra eu voltar pra minha, dormimos juntos e passamos o dia seguinte inteiro juntos e eu tive que ir embora, que tinha algumas coisas pra resolver em casa também. Pra mim a gente ia continuar assim, conversar e sair as vezes. Cheguei em casa, me bateu a saudade maldita, ele passou 1 semana me respondendo só o necessário e bem seco, não puxava assunto e nem nada. Eu tava sozinha de novo, fiquei triste e mandei aqueles textos de como eu tava me sentindo pra ele e ele ficava :/ e falava algo desconexo ou mandava eu parar de ser assim, teve uma hora que não aguentei mais e falei se a gente podia resolver de uma vez. Cobrei ele de me responder direito e ele disse que a gente tinha falado o bastante. Tentei conversar pra eu parar de ter esperança nisso e mandei ele dizer se era o fim e acabou ou que ainda iria tentar. Ele só falou que não queria conversar comigo naquele momento e eu compreendi e ao mesmo chorei muito, muita dor, muita tristeza e parei de responder também. Falei pra mim mesma que não iria insistir ou chamar ele de novo, que era melhor um tempo afastado, sei lá, só um tempo. Um tempo pra ele pensar e pra mim também, eu sei que ele me ama como eu também amo ele. Por algum motivo não tá dando certo agora mas eu espero que do fundo do meu coração dê certo, eu tenho esperança. Ele é meu primeiro amor, não foi o meu primeiro namorado mas foi a pessoa mais intensa e ao mesmo tempo a melhor pessoa que já conheci. Termino isso aqui numa poça de lágrimas. Até.
submitted by sinsinemy to desabafos [link] [comments]


2020.10.14 20:05 gabstablook Tá foda

Meu namoro acabou no fim de Março desse ano, fazendo combo com a entrada da quarentena. Esse tem sido, literalmente, o ano mais difícil da minha vida.
Eu que sempre aconselhei meus amigos sobre relacionamentos me vi inserida em um com grande potencial para ser descrito como abusivo. Ainda acho que nunca foi muito intencional, mas minha terapeuta, vulgo a melhor pessoa do mundo, notou características manipuladoras nessa minha ex namorada.
Nós namoramos por 8 meses, foi o relacionamento mais curto da minha vida, mas existiu o suficiente pra que eu me perdesse.
Situações onde ela me convidava pra passar a noite junto e, quando eu chegava, começa a me tratar super mal, terminava e, assim que eu chegava em casa, me ligava pedindo pra eu voltar. Debochava de quase tudo que eu gostava, das minhas roupas, cabelo e me acusava constantemente de vitimismo (eu detesto esse termo).
Ainda assim foi ela quem terminou comigo e eu fiquei completamente sem chão.
Desde Março ela me procurou várias vezes. No começo de Setembro passamos duas semanas juntas e acreditei que poderíamos voltar, ela parecia diferente e ciente de algumas atitudes tóxicas. Obviamente eu estava enganada e agora sigo na luta para tentar superar de (novo) vez todo esse ciclo doentio que permiti.
Nossa última conversa foi extremamente prejudicial. No final de Setembro resolvi me "declarar" e fui totalmente sincera sobre meus sentimentos que, apesar de tudo, ainda existiam. A resposta que tive foi algo parecido com "queria que tivéssemos dado certo, mas não deu. Desculpe, não posso ajudar".
Depois disso tentei me afastar e, mesmo assim, ela continuava me procurando. Fui a um bar com uma amiga para distrair e ela foi atrás. Eu confesso que fiquei feliz ao vê-la, afinal, ainda nutria sentimentos.
Para minha surpresa ela sentou com a gente e resolveu contar sobre como estava saindo com outras pessoas, sobre como meu "jeito de namorar" era "muito intenso", sobre como eu colocava cerveja de modo errado (!!) no copo, entre outros que me deixam triste só de lembrar.
Esse dia voltei chorando pra casa e prometi aquela seria a última vez.
Foi realmente a última vez, até que sou boa em cumprir promessas. O problema é que toda essa história me deixou diferente, como se alguma parte de mim tivesse ido embora e eu não sei como recuperar. Fazer terapia tem ajudado DEMAIS, mas ainda assim não tem sido o suficiente.
Me sinto refém dessa história, como se ela estivesse fadada a se repetir em minha vida. Não consigo me relacionar com mais ninguém, tenho crise de ansiedade sempre que alguém demonstra qualquer tipo de interesse e me sinto uma pessoa horrível na maior parte do tempo ):
Sei que isso vai passar, principalmente porque tenho ferramentas que me ajudam nisso. Mas esse processo tem sido extremamente doloroso.
Não tem um dia em que eu não acorde implorando pra que eu me sinta melhor. Estou me esforçando pra entender quais lições devo tirar disso. TÁ FODA!
submitted by gabstablook to desabafos [link] [comments]


2020.10.12 19:49 agkali Me sinto um lixo

[ALERTA DE TEXTO GRANDE]
Agora há pouco fui procurar pelo meu ex no Google. Nos separamos há quase 2 anos, quando terminei a faculdade e retornei a minha cidade de origem e ele prosseguiu os estudos num doutorado. Nosso namoro nunca foi descoberto por parte da minha família, pois sempre cri que meus pais não o aceitariam por questões rígidas relacionadas a nossa ascendência estrangeira. Ficamos juntos por 4 anos e, até hoje, acredito que ele foi o grande amor da minha vida. E eu o perdi. Perdi também a esperança de amar novamente, assim como grande parte do interesse na vida.
A pessoa nas fotos é um estranho, a doçura do sorriso pelo qual me apaixonei logo que vi agora não passa de alguém com expressões estranhas. Nos meses subsequentes ao término, tentei manter contato. Éramos amigos, ou ao menos eu acreditava que sim. Ele me incentivava a buscar empregos na nossa área de formação, me mandando vagas de alta qualificação e me repreendendo quando eu me irritava por nunca receber retornos positivos. Ele já havia namorado, criado perfil no Tinder, ficado com outras garotas enquanto continuávamos conversando, como se nada estivesse acontecendo (sei que não foi traição, porém me sinto um lixo toda vez que me recordo do momento que descobri essas coisas). Fui e sou involuntariamente fiel. Não consigo me envolver apenas para diversão ou satisfação momentânea. Tenho raiva de mim por ser assim, e dele por ignorar a existência desses sentimentos. Tenho raiva por continuar esperando que ele retorne, nutrindo esperanças irreais. Tenho raiva por ele dizer que quer fazer alguma coisa mas "tem medo" de tentar de novo, enquanto finalmente sinto que tenho forças para lutar. Tenho raiva de ainda ter o ímpeto de querer lutar, mesmo que só. TENHO RAIVA!
Enquanto estava trabalhando, simplesmente fingia que tudo havia sido um sonho, e ele havia morrido. Mas, recentemente, tive que pedir demissão por causa de uma desgraçada que dava presentinhos pra gerente e os outros colegas de trabalho para ir em eventos pela empresa, ganhar promoção e ser encoberta pelas m*rdas que fazia, mesmo tendo entrado por último e não fazendo quase nada certo. Ela ainda começou a querer mandar em mim e também a me acusar de cometer erros que não eram meus. Enquanto todos os outros lidavam com clientes impacientes, falta de troco e outros problemas comuns em comércio, a víbora ficava postando no Instagram que estava em campanha X, trazia os brindes para a gerente e iniciava novamente o círculo vicioso de babação de ovo. Quando notei que estava trabalhando por dois e que ela seria promovida com o discurso de "todos vão ter oportunidade, mas vai subir quem se mostrar melhor qualificado (quem mais inflar meu ego)", saí. Muito justo tratar melhor o empregado ruim, que traz prejuízo por vários erros, e aproveitar ao máximo a força de trabalho de alguém que se esforça para que esses erros não ocorram.
Agora estou sem emprego e com a mente f*dida, me sentindo um lixo, descartável. Às vezes pondero tirar minha própria vida, mas tenho tentado me manter estável por causa dos meus pais, que precisam de mim.
Agradeço quem leu até aqui, precisava desabafar de alguma forma.
submitted by agkali to desabafos [link] [comments]


2020.10.10 10:04 biel2907 Muitos problemas mentais

Boa madrugada, ou nem tão boa assim... Pra você que vai ler o que vou dizer, entenda que sua mente tem que ser muito aberta, principalmente a perdão, e o que você vê como ser humano ou não...
Enfim, indo do passado ao presente, meus pais nunca tiveram um relacionamento muito bom, desde que eu me entendo por gente, e estou falando disso porque é o que eu penso que pode ter provocado algo em mim do que vai vir a seguir... desde que eu me entendo por gente eles sempre brigaram, meu pai é muito mulherengo e minha mãe era bem menos "fogosa" que ele, e o casamento não deu muito certo, nunca vi meu pai bater nela, mas a pior briga que eu já vi foi ele ameaçando bater nela, mas isso nunca aconteceu, e eu não queria que eles terminassem de jeito nenhum até os meus 14/15 anos mais ou menos, pra mim era como se fosse o fim do mundo, depois eu entrei em uma escola técnica/ensino médio e vivia lá porque era muito tempo estudando e em uma cidade vizinha, conheci uma garota 2 anos mais velha que eu, foi a primeira pessoa que fiquei e assim que ficamos a primeira vez ela me pediu em namoro eu aceitei, não sei bem porque, mas foi indo, meu pai foi pra são paulo trabalhar porque tinha mais oportunidade (sou do rio de janeiro com minha mãe) e vinha as vezes 1 ou 2x por mês só visitar a gente, então o casamento foi só piorando... mas meu pai já tinha traido minha mãe antes e ela "perdoou" uma vez. Agora entra outro problema, eu não sei o porque, mas eu comecei a exercer um relacionamento tóxico/abusivo com essa garota que eu namorava, ela fazia tudo por mim me amava de verdade, e eu não conseguia confiar de jeito nenhum! E eu fui doente demais, fiz ela passar por coisas horriveis, a mãe dela controlava ela também, e eu também, e acabei brigando com a mãe dela (só discussão), enfim, mas a minha namorada foi a que mais sofreu, sério, são coisas terriveis, durou 4 anos nosso namoro, mas eu só ia piorando nas humilhações a ela,principalmente quando terminei a escola e fui pra faculdade em outra cidade, já fiz ela passar papel higienico no rosto, etc, inclusive já cheguei a agredir ela fisicamente (especificamente dei um tapa no rosto, não foi forte pra deixar marca nem nada disso, mas mesmo assim é TOTALMENTE errado, e eu nunca mais quero repetir algo do tipo), durante esse tempo meu pai engravidou outra mulher em SP minha mãe descobriu e eles finalmente terminaram (e eu agradeci por isso, não aguentava mais o relacionamento deles), uns meses depois a minha ex namorada finalmente se ligou com a ajuda das amigas dela e etc, e eu acabei terminando com ela por uma besteira minha e ela não voltou mais, e cortamos o contato dali, a partir daquele momento eu fui instantaneamente pro psiquiatra/psicólogo e comecei a frequentar bastante, eu passava mal durante meu relacionamento também por ansiedade de vomitar, ter caimbra no corpo todo, entortar ir pro hospital etc, isso já aconteceu varias vezes, eu acordava assim, em viagem de onibus sozinho, e era duro pras pessoas perto de mim ver aquilo, mas meus pais não gostavam de médicos de saúde mental, e só depois de tudo isso que eles resolveram que eu "deixar" eu ir. Eu ia bem na faculdade, porém nunca tive um sonho do meu curso em especifico, mas meu sonho era ter uma familia e só, nunca fui muuuito social, mas tinha uns amigos, até hoje tenho, depois que terminamos, eu não via motivo pra continuar na faculdade que pra mim era só pra dar um futuro pra minha familia que eu construiria, uma vez que fiquei sozinho perdi totalmente a vontade, tranquei voltei pra casa pra ficar com minha mãe, e ela também trabalha em algo bem simples e nunca teve vontade de melhorar na vida em questão de estuadr etc, e acho que acabei pegando esse jeito dela, mas é mais problema meu, n posso culpr os outros, hoje com 21 anos em plena quarentena com muito tempo livre eu não tenho emprego, não consigo lidar com os estudos EAD da faculdade (que tentei voltar) não tenho vontade, mas também não tenho vontade de fazer nada, eu queria um sonho, um motivo, algo profissional pra eu tentar aprender e melhorar, mas eu não consigo ter vontade de nada disso, chorei uma ou 2x e liguei pra uns amigos pra desabafar, mas sinto que já não tenho mais amigos pra isso... e também não adianta muito, porque eu quero uma solução, e acho que só tem como vir de mim, eu dei uma parada nos médicos mas já marquei psiquiatra/psicólogo novamente, tenho uma relação horrivel com meu pai desde então também, ele ja ameaçou brigar comigo e eu ameacei matar ele (falei da boca pra fora, bem eu acho) e tenho sonhos em que ele volta de SP pro RJ e sou obrigado a conviver com ele e é pertub ador, porque ele sempre foi uma pessoa mt grossa, e eu não sei mas tenho uma raiva guardada dentro de mim dele e não consigo lidar com isso, eu só queria esquecer q ele existe, mas sei que ele vai voltar aqui uma vez ou outra pra querer me ver, ver minha mãe, os pais dele q são meus vizinhos, etc. Enfim, a ansiedade eu consegui melhorar bastante com os remédios, os problemas de ser abusivo e tóxico eu falei tudo isso em diversas terapias, e acho que lido bem melhor hoje (só pondo a prática, eu namorei uma menina depois dessa mas foi por menos de 1 mes, foi bom pra nós apesar de ser curto kkkkk porque eu passei um tempo em SP assim que eu terminei o primeiro namoro, mas só piorou as coisas com meu pai lá e eu voltei e acabei terminando com a menina, na verdade foi bem consensual, ela gostou de mim mas também nem tanto pra namorar kk n tinha a magia, mas de verdade fui uma pessoa bem boa pra ela no tempo curto que tivemos e foi legal pra mim tentar me provar que melhorei mesmo que um pouco. Enfim é isso, não sei se pode ser curiosidade de vocês, mas eu me desculpei com minha ex 1 mes depois q terminamos, e ela tava bem melhor, acredito que possa ter buscado ajuda profissional depois de ter passado tantos problemas comigo, mas a ultima vez que vi algo dela, inicio desse ano (terminamos ano retrasado), ela aparentava estar bem, não nos falamos, eu até hoje me sinto culpado pelas merdas, mas isso n apaga o passado... enfim, eu to tentando reconstruir tudo, inclusive quero tentar esquecer isso com meu pai, mas primeiro preciso achar um futuro pra mim profissionalmente, e isso tá foda, porque preciso não depender mas da minha mãe, mas ajudar ela em casa que não é nada fácil nos dias de hoje...
submitted by biel2907 to desabafos [link] [comments]


2020.10.10 07:42 Oi1235 Fiz coisas ruins e não me arrependo, arrependo de não ter feito pior

Quando eu namorava com meu ex, nos 3 primeiros meses, era um namoro decente. Um conhecido meu deu em cima de mim 2 vezes, e infelizmente recusei porque achava que meu ex era fiel naquele momento. Me arrependo bastante, porque se fosse hoje em dia iria transar com ele sim. Meu ex não pensaria 2x em me trair. Depois dessa fase, ele fez várias coisas sendo cuzão comigo: fingia que eu não existia, não queria me assumir nas redes sociais (e desconfio que a minha cor seja o motivo), falava que ia me trair quando eu fosse pra casa da minha mãe nas férias, e ficava com a voz irritada quando eu ligava pra ele. Aí fiquei atraída pelo meu amigo, a gente flertava e eu achava o máximo, já que meu ex me ignorava, e confessei a ele, que era com ele que eu queria ficar, só estava com meu ex porque eu tava viajando (moro em outro estado e fui pra casa da minha mãe) e queria terminar pessoalmente.
No final além de flertar com outros, eu já fazia sexting, recebia e mandava nudes. A gota d'agua por eu ter terminado antes é que quando eu falei pro meu ex que viria, ele me disse que estaria de férias na casa da mãe dele (que é em uma cidade perto da que a gente mora) e que só voltaria quando voltasse a trabalhar: fiquei de saco cheio e terminei por mensagem mesmo. Depois descobri no facebook que ele começou a namorar outra antes de eu terminar com ele, ele a assumiu (comigo falava que não gostava de se expor em redes sociais, e meus amigos me alertaram que esse papo é estranho), ela é branca (a mãe dele reclamou de eu ser parda nas minhas costas e acabei ouvindo).
Quase o traí pessoalmente, estava com o tinder pra baixar, só não o fiz porque eu não tinha prova de traição dele. Mas me arrependo sim, devia ter o traído. Muita gente trai e o outro não fica sabendo. Não só o caso dele, mas o caso do meu pai me faz crer que 95% dos homens brasileiros trai (e muitas nem desconfia e não acaba descobrindo), então não vou ficar em relacionamento só para ser fiel, e nem namorar com qualquer Zé Ruela pra não ficar sozinha (como no caso do meu ex). Tenho uma grande vantagem de conseguir transar sem desenvolver sentimentos. Mas se eu namorar de novo vou trair sim, porque sei que o cara vai fazer isso uma hora ou outra. Pra mim chifre trocado não dói e se ele me tratar bem não vejo motivo pra ficar solteira.
Resumo: traí meu ex virtualmente e não me arrependo, arrependo de não ter traído sexualmente e ele começou a namorar com outra antes de eu terminar com ele. A próxima vez que eu namorar vou trair sexualmente e não tenho remorso nenhum com isso.
submitted by Oi1235 to Confessionario [link] [comments]


2020.10.10 07:03 marvinpls sentimentos pós término de namoro é um negócio complicado

todo mundo que sente que vai terminar um namoro já se declara solteiro antes mesmo de concretizar o término, e consequentemente fica ruminando pensamentos de "e agora? como vou me virar". por mais que sejam óbvias as respostas, elas ainda se repetem, afinal somos seres mais sentimentais que racionais.
pois bem... eu passo por isso.
me dei como solteiro namorando, terminei pensando nas piores coisas (eu sabia que ela iria estar com outro num futuro próximo, e que esse tipo de coisa era inimaginável pra mim), e por incrível que pareça, por tanto eu pensar e repensar nessas coisas, perdeu o sentido. eu já não ligava mais se ela ficasse com o outro, pois a parte importante do término foi o bem que aquilo me fez (eu fui muito prejudicado).
mas sempre entra aquela velha discussão do dever versus fazer...
estava eu e uns amigos conversando sobre término de namoro de um jeito descontraído, e eu acabei citando minha ex. um deles falou brincando sobre um stories que ela havia postado, e mesmo já prevendo tudo que poderia acontecer, das piores formas ("piores", hahaha), aquilo mexeu comigo de um jeito diferente de como imaginava antes na minha cabeça. O comentário sobre o stories nem foi algo maldoso, foi algo tipo "ah, eu realmente tenho visto ela saindo bastante com um pessoal aí no insta". só. poderiam ser amigos ou whatever, mas minha mente voou, mas incomodava de um jeito diferente do que quando estava pra terminar.
ps: desde que terminamos, eu removi literalmente tudo que tinha vestígio dela no meu alcance. não vejo status de lugar algum, e nem tem como ver pois ou mutei, ou dei unfollow, ou removi contato. não foi bloqueio nem nada.
enfim. é isso. ficou meio confuso, eu tô digitando enquanto sinto essas coisas, acho que isso me faz melhor. eu adoro essa comunidade.
submitted by marvinpls to desabafos [link] [comments]


2020.10.08 22:36 marvinpls relembrando o motivo que terminei, e porque estou certo

esses dias estava me sentindo triste e com saudades porque minha ex quis voltar, então decidi fazer uma lista pra relembrar porque a melhor coisa que eu fiz foi fugir desse relacionamento. essa lista foi feita agora, não mandei pra ela, só estou desabafando.
todos os fatos não aconteceram tudo no mesmo tempo.

  1. já foi um relacionamento abusivo. estava melhorando, mas isso pesa, me cansou. j[á tive meu dinheiro, comida, relacionamentos controlados.
  2. já houve traição. foi isso, não tem muito o que dizer.
  3. mentirosa. muitas mentiras por pequenas e grandes coisas.
  4. irresponsável. tudo bem que quando o namoro desanda você não tem que obrigar ninguém a fazer o que não gosta (era um namoro, não moravamos juntos nem tinhamos filhos), mas se ela estiver me devendo algo, ela provavelmente vai procrastinar pra resolver.
  5. descaso comigo. descaso emocional eu diria, não se esforçava muito em ser uma namorada legal ou dava carinho e tal
  6. grosseria desnecessária. muitas vezes sentia que ela fazia descaso com as coisas que eu falava ou como eu sentia. quem já namorou por muito tempo sabe, alguns comportamentos ficam internalizados, e não é tão notável. se você compara o jeito que ela trata os amigos e como te trata, você uma diferença, uma impaciência, uma rapidez, coisas assim.
  7. era uma pessoa desistente e desinteressada. veja bem, eu sei que cada um sem tempo e eacho até que esse é um ponto menor pra um término, mas muitas vezes ela arrumava desculpa demais e continuava na mesma mesmo eu estando do lado dela dando todo o support que ela precisava. não estou dizendo que minha ajuda era suficiente, mas eu sabia que claramente ela poderia fazer e as desculpas não colavam. ela queria aprender francês, iniciei com ela, pesquisei material tudo bonitinho, ela dropou 1 semana depois com desculpa que estava ocupada demais e cansada. a porra do duolingo dá pra fazer até no vaso.
  8. cansada e estressada o tempo todo. não tem muito o que dizer, isso me irritava e ela esquivava de falar ou fazer coisas comigo sempre nas mesmas desculpas
é isso galera, desabafei. eu sei que eu namorava um embuste, de certa forma até fui otário também, mas fico feliz que acabou. ela tem muitas qualidades, mas vocês não ouviriam depois de tantos contras kkkkk.
submitted by marvinpls to desabafos [link] [comments]


2020.10.06 22:10 helloraphone Estou apaixonado, mas tenho medo

Em janeiro deste ano, terminei um relacionamento de 11 anos e meio que me fez sofrer demais. Sofri tanto que terminei por telefone dizendo "estou encerrando esta ligação e nosso relacionamento". Desde então, nunca mais falei com o ex e minha vida segue normalmente. Mas que ano errado para terminar um namoro e ver as possibilidades, não é mesmo?
Desde então, estou no Tinder, saí com alguns caras.
Logo depois do carnaval, dei um match FODA. Era um baiano que passou o carnaval em São Paulo e tinha acabado de ir embora para a Bahia. Chama-se Theo, tem 28 anos, é de Áries com ascendente em peixes. Ele programava passar o aniversário dele, em abril, em São Paulo. Como sabemos, os planos foram por água abaixo, mas mantivemos o contato e nos falamos quase sempre desde então. Somos muito sinceros um com o outro, temos o mesmo gosto musical, temos assunto que não acaba mais, ele gosta de cozinhar, eu também, além de ser 100% meu estilo fisicamente. Chegamos a fazer chamada de vídeo de mais de três horas de duração sem ver o tempo passar. Agora, ele pretende vir para São Paulo em novembro, no entanto depende do processo seletivo de uma pós-graduação para isso acontecer. Esta seria a chance de nos conhecermos pessoalmente e provar se nossa química bate mesmo.
Com a pandemia, em Abril, vim para o interior de São Paulo resolver umas coisas e apenas voltei para a capital para resolver algumas coisas, mas estou aqui quase que direto desde então. Até conheci algumas pessoas e alguns deles viraram amigos, pois não gostaria de me comprometer, já que tinha o Theo como principal pretendente.
Só que em Junho conheci o Thiago (mudei o nome pois a cidade é muito pequena e só ele tem o nome real dele aqui), nascido aqui na cidade, com 28 anos, áries com ascendente em escorpião. O tipo dele me agrada demais, mas nem chega perto do estilo do Theo.
O que era para ser apenas uma trepada, acabou meio que saindo do controle. Sentimentos aflorados por conta do isolamento, um ótimo encaixe na cama e acontecimentos diversos (o pai dele faleceu pouco mais de um mês depois de nos conhecermos) fizeram com que nos uníssemos mais e me despertasse sentimentos que eu não esperava. Frequentamos a mesma religião, somos da umbanda, vou ao terreiro que ele vai mais de uma vez por semana, conheci os irmãos dele da casa, já convivo um pouco com todos os amigos dele. Ele se declarou muito para mim e eu sempre tentei puxá-lo para o chão, para não se iludir - afinal, tenho o Theo ainda como prospect.
Viajei para São Paulo por alguns dias e, antes de ir para lá, Thiago conversou comigo dizendo que era melhor pararmos naquele momento. Eu concordei. Mas, otário que sou, acabei me apaixonando e ele assumiu que só estava com medo de se envolver ainda mais. Quando voltei, continuamos a nos ver e seguimos o baile.
Apesar das afinidades com Thiago, ele tem alguns comportamentos que não me agradam. Ele usa maconha com frequência, o que já não ligo mais, mas chega a usar drogas mais pesadas eventualmente, tem um pouco de ciúmes e nas últimas vezes foi um pouco mais hard no sexo, o que chega a me machucar, mas sempre peço para ele se controlar - e ele se controla. Só que eu adoro sexo oral, e ele não faz em mim, apenas eu nele.
Recentemente comentei com uma amiga da família daqui da cidade com quem eu estava me relacionando e ela chegou a falar que ele foi até preso. Cheguei a fuçar sobre a vida dele e encontrei, de fato, esta informação. Mas aparentemente foi uma situação de desacato, o que, para mim, não parece tão grave, principalmente levando em conta o fato de ele ser negro e a cidade ser um forte reduto racista, com histórico nazista, etc.
No penúltimo final de semana, fomos para uma cachoeira aqui mesmo na cidade. Conversamos um pouco, ele me confessou continuar com medo de se envolver, mas disse que conversou com a Pombagira da mãe do terreiro que frequentamos, e ela disse que nossos caminhos se cruzaram para não se separarem mais, mas não liguei tanto pra isso, pois acredito que nós mesmos traçamos o nosso destino, dentro do nosso karma e das possibilidades que temos.
Depois que fomos embora da cachoeira, eu vim para a minha casa, conversamos coisas agradáveis pelo WhatsApp, sobre como tinha sido o dia, ele me mandou as fotos que tiramos (primeira foto juntos em três meses nos vendo) e pediu para que eu olhasse o status dele (os stories do WhatsApp). Aí que me deparo com a nossa foto e a legenda "o dono do meu <3", seguido de um print da conversa que estávamos tendo, em que eu agradecia pela oportunidade de conhecer coisas novas (sou super urbano e nunca tinha ENTRADO em uma cachoeira até então).
Essa publicação dele me deixou surtado, pois não esperava que ele fosse revelar para a cidade toda nossa relação e, de quebra, fazer uma declaração para mim para todos os amigos DELE verem (ainda bem que não temos amigos em comum).
Naquele mesmo dia, ele foi para um bar com amigos, desapareceu completamente até segunda-feira, quando dei um puxão de orelha nele por conta destas atitudes, o que influencia principalmente as atividades religiosas que praticamos, que requerem um período de resguardo, sem drogas, evitando o álcool e também sem sexo.
Esta semana nos encontramos novamente para finalmente ficarmos juntos um pouco. Não transávamos há algumas semanas e não estávamos com tempo para ficarmos um tempo considerável juntos. Só consegui encontrá-lo às 19h de sábado, transamos e não era nem 20h já tinha amigo mandando mensagem para irmos para o bar nos encontrarmos com ele. Eu realmente esperava que fôssemos passar um tempo juntos de verdade. Mas, no bar, eu quase não tenho atenção, ele facilmente exagera nas doses, mistura bebidas. Para ajudar, um dos amigos dele estava com cocaína e cheguei a suspeitar que ele teria cheirado também. Imediatamente após minha suspeita, o levei para um canto e joguei a real: "enquanto tiver maconha e álcool, eu aceito. A partir do momento que você passar deste ponto, eu não estou mais aqui". Ele disse que não tinha cheirado, decidi por acreditar nele.
Nas duas únicas vezes que fui para o bar com ele, confusões aconteceram. A primeira, ele se alterou com os amigos e eles começaram a discutir entre si. Na segunda, um dos amigos exagerou na dose, e ele ficou ali para controlar a situação (mas sempre com discussão e atitudes exageradas). Ambas as vezes, eu apenas assisti, de longe, pois bebo muito pouco e mal conheço aquelas pessoas, mas entendo que não sejam as melhores companhias. Soube que um deles, que namora, faz bicos de garoto de programa escondido do namorado para "complementar e renda". E os amigos acobertam.
A questão é que quando estamos juntos, ou nos dedicando à nossa religião, ele é uma pessoa completamente diferente. Dócil, carinhoso demais. E eu me apaixonei por esse Thiago. Só que os demais pontos me chateiam demais e não sei como abordar isso. Sou muito inseguro por conta do meu antigo relacionamento e tenho medo de estar cometendo erros também e não enxergar (estou certo que nenhum dos meus erros são como os descritos acima).
No último sábado, dia da confusão com um dos amigos que exagerou na dose, quando tudo se acalmou, mas ele ainda estava alcoolizado, disse que me ama. Eu retribuí as palavras porque estou certo de que este é o meu sentimento - e não preciso estar bêbado para colocá-lo para fora.
Só que no meio de tudo isso eu estou com medo. Meus amigos falam para eu viver o momento e não me prender à hipótese de conhecer o Theo quando ele vier para São Paulo, ou eu ir pra a Bahia.
Estou me prendendo a essa possibilidade quase remota da vinda do Theo para cá?
Acham que devo ser sincero com o Theo, como sempre fui, e explicar para ele o que está acontecendo, mas tentando deixar as portas abertas?
Como posso expor o que me incomoda sem parecer uma tia mandona?
O fato de eu ter saído de um relacionamento conturbado me dá muito medo de entrar em outro tão pouco tempo depois - e no meio de uma pandemia.
Vivo o momento com o Thiago e deixo ver o que rola?
Agradeço muito se me ajudarem.
submitted by helloraphone to desabafos [link] [comments]


2020.10.06 01:57 Umjovemsofredor ESTOU FICANDO COM UMA PESSOA 6 ANOS MAIS VELHA

CONHECI ESSA MENINA ATRAVES DE UMA AMIGA MINHA, ELA É PRIMA DELA E SEMANA PASSADA FUI A PRAIA E ACABEI CONHECENDO-A. NA HORA EM QUE A VI EU JA SABIA QUE NÃO IA ROLAR NADA POIS ELA TEM 28 E EU 22 E TAMBEM PELAS SUAS BRINCADEIRAS "EU TENHO IDADE PARA SER SUA MÃE", "EU SOU A TITIA AQUI" ESSAS COISAS. PASSADO UM TEMPO ACABAMOS FICANDO SOZINHOS E DE REPENTE ELA ME "ATACOU" E FICAMOS O RESTO DA NOITE NOS BEIJANDO E TUDO. ESTAMOS FICANDO JA A DUAS SEMANAS E AS VEZES ELA FALA QUE NOSSO RELACIONAMENTO NAO TEM FUTURO ATE POR CONTA DA IDADE, QUE É APENAS UM LANCE CASUAL E QUE NÃO É ISSO QUE ELA QUER PARA A VIDA DELA E ETC. FICO ME PERGUNTANDO AS VEZES SE DEVO ARRISCAR E PEDI-LÁ EM NAMORO MESMO SABENDO QUE VOU LEVAR UM NÃO. EXISTE TAMBÉM UM EMPECILHO, A PRIMA DELA QUER QUE A GENTE PARE DE FICAR POIS ELA É MUITO AMIGA DA MINHA EX, MELHOR AMIGA DELA E DISSE QUE SE SENTIU CULPADA POR TER AJUDADO A GENTE FICAR. ESTAMOS FICANDO MEIO QUE "ESCONDIDOS" PARA NÃO TRAZER PROBLEMAS POIS NÃO QUEREMOS ISSO.

QUERIA A OPINIÃO DE VOCES JÁ QUE NÃO POSSO CONTAR PARA MEUS AMIGOS POR CONTA DO PROBLEMA QUE PODE CAUSAR E PORQUE ELA ME PEDIU PARA NÃO CONTAR PARA NINGUEM.
submitted by Umjovemsofredor to desabafos [link] [comments]


2020.09.30 13:42 DarkDollynho Finalmente Criei coragem de postar... Senta que lá vem história.

Eu tenho acompanhado a comunidade faz algum tempo, e antes de escrever o que preciso quero agradecer por vcs existirem e estarem dispostos a compartilhar e receber historias de todos os tipos e cantos.
Vamos lá!
Sou o clássico guri dos anos 90 que vibrou com o penta, jogou super Nintendo e agora ta beirando os 30 anos.
Sofro com depressão e ansiedade desde que me entendo por gente, sinceramente não sei se vem da situação familiar ou se é algo crônico.
A real é que meus pais (como boa parte das famílias dos anos 70,80 e 90) não se amam e nunca se amaram (muita gente se juntava por necessidade mesmo) e acho que isso pode ter influenciado um pouco na forma como vejo o mundo.
Meu pai tinha um casamento, do qual ficou viúvo e desse casamento 4 filhos (3 usam drogas e 1 desapareceu).
Ele então se casou com minha mãe e eu nasci (em seguida outros 2 irmãos), convivi com 1 dos meus irmãos por parte de pai que sempre deu problemas, desde uso de drogas, porte de arma, roubos, etc.
Bom exemplo foi algo complicado durante a infância, pois minha mãe vivia tretando com meu pai por conta desse meu irmão, que não é filho dela, até entendo.
Meu pai sempre desconfiou que minha mãe havia/estava traindo ele, e desde os meus 8 anos meu pai me usava como psicólogo dele, desabafando e jogando todo tipo de pensamento na minha cabeça.
Eu era bem religioso (não sei se era uma fuga) e cresci com isso, entre caraminholas da cabeça do meu pai e tentar ser uma criança.
Eu tbm fui abusado por um cara conhecido da família. Não quero entrar nesse mérito.
Sempre apanhei muito pra aprender matemática (nunca aprendi de fato) enquanto convivia com meus irmãos e tal.
Quando cheguei nos 16 anos mais ou menos a aposentadoria do meu pai foi cortada, ele já com idade avançada e minha mãe tbm, meti a cara trabalhar.
Pagava meus próprios cursos e comia 1 pacote batata palha no almoço pra economizar dinheiro.
Passei por empregos porcarias, que nem vou adicionar a historia, mas que tenha certeza que contribuíram negativamente na minha vida.
Conheci minha ex namorada na igreja, ficamos juntos por muito tempo.
Eu sempre quis ser o namorado perfeito, daquele que dizia: "se minha namorada não pode ir comigo, aquele lugar não eh pra mim." (talvez um erro sobre individualidade)
Foram 8 anos bacanas, entre altos e baixos na minha família sempre coloquei minha ex em primeiro lugar.
Trabalhava pra ela poder estudar e fazer faculdade(eu tbm estudava), levava ela pra todo canto quando precisava, ajudava com trabalhos, treinava ela pra entrevistas, pagava cursos...
Até que conseguimos entrar na empresa dos sonhos (ela primeiro, eu dps) de qualquer pessoa da área de TI (ambos na msm empresa)... Volto nesse ponto dps, muito importante.
Nesse meio tempo uma das minhas irmãs drogadas por parte de pai apareceu, com 1 filha recém nascida... Ela estava presa e perdeu a guarda da criança.
Então lá vai eu ajudar meu pai a conseguir a guarda, entre visitas a outro estado pra ver a neta e dinheiro para advogado. (o advogado morreu durante o processo mano)
Conseguimos a guarda, minha irmã saiu da cadeia e fez da nossa vida um inferno (ainda faz, ainda estamos criando uma criança que não tem pai e tem uma mãe drogada).
O relacionamento dos meus pais que já era ruim, piorou, eu no meio dessa merda toda já tinha tentado o suicídio 2x...
Nessa época comecei a perceber que minha ex não se preocupava comigo como eu me preocupava com ela, ela não se importava com minha saúde mental, não se importava com a minha pessoa, a sensação era que ela tinha se acostumado seja com a boa vida, seja com a constância que a vida tinha tomado.
Eu tinha juntado dinheiro para irmos pra outro país fazer intercambio, pensava em pedir ela em casamento la, 9 anos de namoro já era bastante... Ela não se empenhou em absolutamente nada, parou no tempo. quando ela não conseguiu o visto simplesmente não se importou.
Ela tinha arrumado um amigo na empresa, e foi aqui que a merda bateu de vez no ventilador.
Ideias de balada gay entre ela e o amigo apenas (ele assumidamente gay), viagens entre apenas os dois. Eu concordava, mesmo me remoendo de ciúmes por dentro. Sempre prezei pelo "Eu confio, eu a conheço". (meus amigos diziam que eu era otário por tratar ela tão bem, fazer de tudo)
Nesse tempo eu já fazia acompanhamento psicológico e psiquiátrico (minha psiquiatra era mais amor que minha psicóloga).
aguentei quase 1 ano disso, desistimos da viagem, comprei 1 casa ao invés de viajar (ela nunca quis sequer visitar o imóvel), após uma transa ela simplesmente começou a chorar e disse: Quero terminar.
Foi bizarro. Absurdamente bizarro.
Eu estava no extremo na minha vida pessoal com minha família, e meu porto seguro era o relacionamento (não dos melhores, mas estava ali há bastante tempo), neguei propostas de emprego fabulosas pra ficar com ela e isso agora?
Decidi seguir em frente, tendo crises de pânico e ansiedades como nunca antes, com a família SEMPRE dizendo, isso é falta de Deus, isso é frescura, esses remédios estão te matando, isso é falta de vergonha na cara, conheço pessoas que se mataram e quem se mata não avisa....
Nesse meio tempo minha psiquiatra (que era melhor que minha psicóloga) morre em um acidente de carro, ainda não superei.
3 semanas depois minha ex assume o namoro com o "amigo", moramos a 1km do outro, trabalhamos em uma empresa em outra cidade e temos que pegar ônibus juntos e trabalhamos no mesmo prédio com diferença de 1 corredor.... Se ela me traiu ou não tem a ver com a índole dela e não com a minha. Eu segui em frente, não sinto nada por ela, mas a depressão e a tristeza parecem não ter fim. Já era grande durante o relacionamento. Sozinho, sem ter com quem contar (é difícil conversar sobre isso com as pessoas) tem piorado muito.
hoje me encontro aqui, sem forças pra conhecer pessoas novas, sem forças pra por fim ao meu sofrimento, sem forças pra acreditar no setembro amarelo de pessoas falsas, sem forças pra ser eu.
Desculpem o texto grande, muita coisa ficou de fora pois acho que o texto já está cansativo, mas o problema é que eu estou cansado tbm. De remédio, de lagrimas, de tristeza...
E me sinto pior por ter superado o mundo, alcançado o sonho de muita gente com emprego bom, falar outra língua, ter casa própria, moto...
Me sinto mesquinho por não dar valor a nada disso depois de tudo que passei...
submitted by DarkDollynho to desabafos [link] [comments]


2020.09.30 07:14 kOrNoiLuDiDo A mina que provou que não existe "vc cole o que planta".

Nha, Pior que nem sei como começar... Bom, tudo começou ano passado quando eu gostava de uma garota, Ela também demonstrava algum sentimento por mim.. ela já tinha até pedido para ficar comigo só que como eu namorava eu recusei. Eu não sentia mais nada pela minha parceira então cortei todo tipo de relação que a gente tinha:( (Não propositalmente, eu só queria acabar com o namoro mesmo.)
Tempo vai tempo vem, ela veio na onde eu moro d novo (ela não mora aqui mas tem parentes aqui por isso d vez em quando passa alguns dias aqui ne) Quando ei vi ela.. eu não entendi o motivo mas eu não senti nada, nem amor, nem alegria, nem raiva.. Literalmente NADA! Mas isso era bom? Nós conversamos muito por mais ou menos uns 2 meses.. Até que eu decidi me declarar. Ela não ficou com muito jeito mas recusou e falou que não gostava de mim, mas de outra pessoa... Eu fiquei chateado e meio "bobo?" Porque eu tinha acabado com um relacionamento MUITO longo por causa dela, mas eu não podia culpa-la porque eu acho q também foi culpa minha.
Então queria descontrair e esquecer ela um pouco, para isso eu precisava jogar. Então fui jogar Brawl Stars. Chamei meu irmão para jogar e pá. Nós nos divertimos muito. Mas a gente tinha q se comunicar por call porque ele estava na casa d uma vó minha.
 1 semana depois (mais ou menos) 
Ele veio para casa ficar aqui, eu já estava esquecendo ela. E sinceramente nem ligava tanto para ela... Quase todo dia eu e meu irmão ia pra rua conversa e jogar com uns amigos nossos, e também pra tirar x1 kkk (Essa parte é relevante hein, eu tenho um melhor amigo, ele sempre jogava coma gente. Eu e ele até sabendo q é cada um por si a gente fazia amizade escondido dele, só que tinha vezes que eles faziam pra vim os dois contra mim kkkk) Então nós estávamos jogando né, meu irmão foi tomar água, e deixou o celular ligado lá na rua aonde a gente tava. Então eu fui levar o celular para ele né, quando cheguei em casa ele não tava lá. Então eu estranhei e voltei pra falar para aql meu amg né, sóq ele também tinha sumido, entt eu fiquei pensativo.. até q eu pensei "ahhh eles devem tar montando timinho kkk safados" então procurei por eles. Aonde eu moro tem um salão separado pra festa mas tem uns banco do lado de fora e pá então fui lá vê se eles tavam lá, não achei nenhum dos dois, então fui olhar atrás do salão, quando me deparei com meu irmão beijando aql mina... Eu finji não ver nada, só coloquei o celular dele no chão e sai. Até pq a culpa não era dele nem nada do tipo, quando eu estava indo pra casa (aql tinha me machucado pq no fundo eu não tinha esquecido ela totalmente) aql meu amg apareceu, e perguntou oq tinha acontecido, eu não falei oq aconteceu só falei que estava cansado. Saí e fui para casa.
Depois de um tempo (uns dias) aql meu amg tava comemorando o aniversário do irmão dele e pá, então ele tomou umas admito kkk Bom, aql msm mina tava lá, então eu fui lá dnv.. (eu era tão trouxa pqp) Papo vai papo vem... Qnd do nada ela vem com papo de que já bjou meu irmão não sei lá qnts vezes e um monte de bosta para me deixar triste, então eu cansei e parei, não quis mais saber de [email protected] nenhuma, agora eu irei contar o que está acontecendo agora. Eu cortei a amizade e tudo mais com essa menina, e , a minha ex quer voltar comigo, não sei oq eu faço... Obrigado por ler até aqui<3
Dicazinha: Não abre a mão da sua vida por alguém que não abre a dele por vc também??;-; resumindo, não acabe com a sua vida por uma hipótese que não tem fundamento:). É foda né?:/
submitted by kOrNoiLuDiDo to desabafos [link] [comments]


2020.09.25 14:10 sadkidsthrowaway Minha vida tá indo pra vala desde que minha ex terminou comigo.

Sim, eu sei que parece uma coisa besta e que é só eu esperar que uma hora passa, mas eu tô cansado disso. Não necessariamente eu quero conselhos, só quero expressar isso de algum jeito. Tem tanta coisa contribuindo pra eu me sentir dessa forma, e o pivô da situação toda é, como diz no título, a ex. Eu namorei com ela por 4 anos, e foi o período mais crucial pra minha vida, o começo da vida "adulta", dos 18 aos 22 anos.
Nesse tempo eu comecei faculdade, fiz amigos lá e nossos circulos sociais se mesclaram ao longo do tempo. Apesar disso, ela sendo a extrovertida e eu o intro, quando acabou o namoro meus amigos (que ultimamente venho cada vez mais achando que não eram tão amigos assim) ficaram mais pro lado dela (quase não tenho mais contato) e os amigos dela, obviamente nem lembram mais da minha existência. Ninguém é obrigado a ser meu amigo, sabe? Não tô chorando por isso, só que é uma coisa que me entristece inevitavelmente, eu já passei por coisa pra caralho em decorrência desse término e ter amigos que estivessem lá pra mim seria muito útil, porém foi mais ou menos o contrário. E agora com a pandemia, então... Fudeu de vez. Na faculdade eu não tenho mais a mínima motivação de continuar, já estou quase jubilando e mal compareço às poucas aulas que ainda tenho. Acho que não cabe aqui os pormenores de como se deu meu término com ela, porém foi daqueles casos onde um lado é pego de surpresa e o outro já tava com outra vida engatilhada, sabe? She didn't miss a beat. Didn't look back once. E isso é uma das coisas que me faz não conseguir passar por cima disso completamente, até hoje, muito tempo depois do acontecido, eu ainda lembro todo santo dia; e toda vez que lembro sinto que não tenho valor algum. Desculpa pra quem tiver lendo se isso aqui tiver sem estrutura nenhuma, eu realmente não estou pensando muito pra escrever, só estou botando pra fora aqui já que não tenho mais amigos pra me escutarem. Eu odeio o fato dela ainda ter espaço na minha mente depois de todo esse tempo, até porque eu não sinto saudade dela especificamente, depois dos fatos relacionados ao término eu não voltaria com ela nem se tivesse oportunidade, mas as cicatrizes não me deixam esquecer.
submitted by sadkidsthrowaway to desabafos [link] [comments]


2020.09.22 22:56 dhiguin Me sinto INSEGURO

Já tem um tempinho que não me sinto bem comigo mesmo, eu não era assim antes, não me incomodava com o que as pessoas iriam pensar de mim, só que isso mudou, agora tenho vergonha de me expressar, de demonstrar qualquer sentimento ou coisa parecida, sinto como se as pessoas me julgassem o tempo todo, por isso tenho me mantido neutro em qualquer situação, até mesmo em relacionamentos. E é claro que isso vem me prejudicando. Parei de ir a festas com meus amigos e, quando vou, fico muito nervoso por qualquer coisa. Isso foi um dos principais motivos de meu namoro ter acabado. Pois, no dia que eu ia na casa da minha ex, pedir ela em namoro a família, tive uma crise de ansiedade e passei muito mau, acabei desmarcando, ela não parecia ter ficado muito chateada, bem, foi o que eu achava, na verdade ela ficou muito chateada pois achou que eu não queria um relacionamento sério, e acabou terminando comigo. Toda vez que olho pra ela (o que acontece muito pois moramos numa cidade pequena) eu lembro desse momento e penso que poderia ser diferente. Ainda não superei esse termino (apesar de fazer muito tempo), isso tem sido um dos principais motivos de eu querer mudar esse meu jeito... Só não sei como vou fazer isso.
Ps: Desculpem se o texto tiver alguns erros de ortografia, estava meio nervoso quando o escrevi.
submitted by dhiguin to desabafos [link] [comments]


2020.09.22 21:25 hiroshibear O namorado de minha amada.

O título é interessante e por vezes pode ilustrar algo cômico. A situação na totalidade é confusa, complexa e cansativa, o que me fez repensar e evitar postar algo aqui durante um bom tempo.
Contudo nós cansamos, ficamos exaustos e precisamos absorver e observar com opiniões de outrem, que felizmente, não estão envolvidos e não possuem vínculos com nenhum dos citados aqui.
Conheço uma menina fazem alguns anos, nós sempre conversamos e tivemos uma relação interessantíssima. Ela é uma daquelas meninas que gostam de arte, de literatura, poesia e de estar em situações que liberam a adrenalina em seu estado mais puro.
Ela me contou que estava namorando e que estava feliz com isso. Prontamente desejei meus votos sinceros para o amor que continha a sua iniciação a partir daquele ponto.
Nós continuamos conversando, trocamos mensagens e saímos para tomar umas bebidas, entretanto sem malícia alguma, apenas na amizade mesmo. Éramos acompanhados por outros amigos e a nossa relação enquanto amizade estava intensa e belíssima. A realidade é que sou apaixonado por ela.
Cerca de alguns meses atrás, a recebi em minha casa, chorando e sem entender absolutamente nada. Os braços dela estavam machucados e ela estava com um olhar pesado, como de quem havia chorado muito e só gostaria de relaxar um pouco. A propósito, pouco a pouco as peças foram se encaixando e entendi a situação.
Fran estava sofrendo com ameaças, abusos emocionais e, em específico naquela noite, com uma agressão verbal e física. Ver ela daquela maneira corrompeu um pedaço de meu sentimento e chorei junto a ela.
Prontamente me coloquei a favor dela, deixando-me a sua total disposição, conversando e dando todo o suporte emocional que fosse necessário.
Fran me disse que iria terminar com ele na noite seguinte, por mensagem e que estava com medo de sofrer com represálias de amigos e parentes, além do medo de ocorrer ataques e perseguição vinda do Guilherme, que é o atual ex namorado dela, pasmem.
Estava exaltado, queria correr atrás dele enquanto precisava dar suporte e carinho para ela. Sou um homem que segue o lado racional, portanto, ela me mostrou todos os machucados e eu fiquei fazendo os curativos nela.
Quando eram por volta de três e meia da manhã, a chamei para ir dormir, e nós fomos. Ela tentou me beijar e eu recusei em respeito aos votos de fidelidade ao atual relacionamento.
Disse para ela que, caso quisesse ficar comigo, que teria que terminar o relacionamento primeiro. E que isso, embora ele possa até merecer, é algo injusto e que não cabe a mim. Fran concordou e se deitou ao meu lado para dormir.
Noutro dia tudo correu bem, ela terminou e me contou pessoalmente. A notícia se espalhou até que rapidamente, visto que nós moramos próximos de nossos amigos e somos quase que vizinhos um do outro.
Eu e Fran ficamos algumas vezes, transamos, trocamos cartinhas e todas as coisas fofas que vocês podem imaginar. Até chegarmos no estágio de anteontem.
Anteontem nós estávamos conversando sobre o futuro, e ela gradualmente foi me revelando suas inseguranças e seus planos. Me confessei para ela, disse tudo o que eu sentia, disse o quanto eu a amava e o quão seria bom ter ela todos os dias.
Fui retribuído, embora não fosse da forma que eu tenha pensado que ela faria. Acredito que a vergonha e a sinceridade da situação acabou ocasionando isso.
Agora, cá estou eu, pensando em como pedir Fran em namoro. Ela é uma menina bela, e eu a amo, amo o suficiente para querer ficar com ela durante toda a minha vida. O problema é que, assim que a pandemia acabar, ficarei mais distante fisicamente, pois terei que me mudar.
Ficarei um ano fora para resolver questões de família e ela poderia ir comigo caso pudesse e quisesse. Acredito que querer pode até ser que sim, todavia ela ainda está com certa dependência ao trabalho e ajuda a cuidar da mãe que está doente.
O que vocês fariam, amigos?
Fraternalmente, Anônimo do Reddit.
submitted by hiroshibear to desabafos [link] [comments]


2020.09.21 17:49 Pedrabionica Perdendo a paciência em ajudar

Vou tentar ser o mais sucinto possível, mas é o seguinte: Uma pessoa muito próxima terminou o namoro há 5 meses(iniciativa do parceiro)e desde então tá com depressão,já vai em psicólogo antes disso e começou a ir no psiquiatra pq tava muito mal, tem tomado remédio e tals. Até ai, ok. O problema é que essa pessoa tá até hoje com esperanças do ex voltar, fica perguntando pra mim e pra outros amigos se achamos que isso é possível (e a resposta óbvia é não), além de repetir várias vezes que ainda ama o ex, e continua a stalkear.. No começo tava super compreensível, é uma fase difícil, mas agora tudo que falamos pra ajudar essa pessoa ela não escuta, pois tudo que se fala pra ajudar sempre tem um impedimento ("não tenho tempo" ou "não tenho energia" ou "ainda amo meu ex nada vai adiantar"). O problema é que isso tá ficando super chato, não dá pra achar que ela tá fazendo algo normal, não dá pra concordar com essa estagnação que ela fica... Aahhh. Muito ruim,posso estar sendo um completo babaca por pensar isso mas acho que a pessoa tem que dar o primeiro passo, se não vai ficar pensando nisso a vida toda e vai perder qualquer oportunidade de encontrar alguém
submitted by Pedrabionica to desabafos [link] [comments]


2020.09.16 02:56 fcost9 Há um ano atrás tudo era diferente.

Já parou para pensar como tudo muda de um ano para o outro?
Comigo não foi diferente, lembro exatamente de tudo do ano anterior. Estava vivendo um dos melhores anos da minha vida.
Estava namorando com a mulher que eu nunca senti tamanha paixão parecida, daquelas que você chora de felicidade e sem explicação, aquele relacionamento que você sentia tudo diferente ao estar com a pessoa, e que com o seu abraço você literalmente se desconectava e ia para longe. O relacionamento que todo cara gostaria de ter, literalmente assim como o Chorão do CBjr descreveu a mulher na letra de 'Ela vai voltar'.
Além do meu namoro, da família que pude conhecer por parte da minha ex, que por sinal todos me colheram super bem, e fiz deles a minha família também. Pois eu passava um final de semana inteiro com as suas presenças.
Eu tinha também um grupo de amigos com um projeto entre nós muito legal, todos eramos bem unidos. Planejávamos o futuro como crianças na espera do coelho da páscoa ou do papai noel, todos ansiosos por cada passo que poderíamos dar.
Por fora tudo estava fluindo da melhor maneira de todos os tempos, mas por dentro da minha cabeça uma guerra sem fim acontecia. Uma mistura de sentimentos sem respostas, atitudes sem motivos, coisas que eu fazia que após de muito tempo eu me perguntei 'por que eu tive essa atitude?' 'por que eu fiz tudo da maneira mais difícil?' 'por que eu não falei a verdade sobre o que eu fiz antes e preferi mentir?' 'por que eu me confortava com uma atitude que não correspondia com o que realmente aconteceu?'
E de um ano para cá sem procurar ajuda eu perdi tudo e estou recomeçando do zero, como se eu chegasse em uma cidade nova e não conhecesse ninguém ao meu redor.
Esse post é tanto um desabafo quanto um toque para quem esteja passando pelo mesmo problema, problema no qual você faz tal coisa e nem sabe porque fez aquilo. Por que você preferiu mentir do que dizer a verdade.
Portanto, por mais difícil que seja para você, quanto foi para mim acreditar que algo de errado esteja acontecendo, pare e pense, e não deixe para procurar ajuda depois, depois de perder tudo. Procure ajuda psicológica, se cuide, valorize-se e também valorize quem está ao seu redor. Ame, mas também se ame, se cuide e não cometam o mesmo erro que eu tive por teimosia minha ao achar que não era nada.
Não digam não ou mintam caso esteja tudo bem, pois no fim não está. E principalmente não recusem conselhos de quem sabe o que está acontecendo.
Sejam felizes e acima de tudo sejam psicologicamente saudáveis.
submitted by fcost9 to desabafos [link] [comments]


2020.09.14 08:18 Krahmukoslovisk Término, mestrado e mudança de vida

Ano passado me formei em veterinária e próximo ao fim do curso tive episódios de depressão e ansiedade por conta de dois professores que fizeram questão de me atormentar a paciência. Na época estava namorando e isso afetou muito minha relação, porém seguimos o namoro. Tivemos vários momentos de "vai e volta" primeiro por que estávamos morando muito longe um do outro (ela em Curitiba e eu interior do espírito santo) e segundo porque não tínhamos grana pra nos vermos . Ela estava em final de faculdade também, os pais dela não ajudavam em quase nada e acabei me endividando pra ajudar ela a pagar alguns cursos. Com a pandemia tudo ficou pior, eu trabalhava em um consultório, onde aparecia paciente 1 vez por semana as vezes nem isso, quando chegavam reclamavam do valor da consulta e exames ( 50 conto de hemograma e 90 de consulta) estava me sentindo o Julius de todo mundo odeia o Chris, tava pagando pra trabalhar no meu primeiro prego fixo. As coisas foram piorando no namoro até que decidimos terminar, há uns 2 meses, e ao mesmo tempo passei no mestrado em uma universidade particular, consegui um emprego descente, estou morando sozinho. Estou estagiando no hospital em horário comercial, assisto aulas a noite e pego plantões todo fim de semana para não me sentir sozinho e com saudades da ex (que aliás ainda amo). Meus amigos das antigas estão com suas vidas encaminhadas e fazendo planos e marcando roles, meus colegas daqui não me chamam pra assitir um filme se quer. E estou com medo de voltar aos tempos sombrios. Obrigado por lerem até aqui, se é que tem alguém que leu. Precisava falar pra alguém.
submitted by Krahmukoslovisk to desabafos [link] [comments]


2020.09.11 19:43 Felipemaconheiro Esse caso do Whindersson comprova como o feminismo é doentio

Tão zoando o Whindersson porque a vagabunda da ex decidiu assumir namoro com um amigo do cara. Ela que é a escrota da história, tanto por catar outro namoro de imediato quanto por escolher um maluco do mesmo ciclo. Mas ninguém fala que Whindersson comeu ela até deixá-la gasta, que ele se livrou de uma bomba ou que é superior a ambos, tendo em vista que é mais rico e famoso que eles. Na prática ele saiu foi ganhando, mas a narrativa de zoar o falso corno repercute mais só pra desmoralizar o homem na história
submitted by Felipemaconheiro to brasilivre [link] [comments]