Chance para o amor marca

A Carreira de Saúl Ñíguez em Números

2020.11.21 04:41 futebolstats A Carreira de Saúl Ñíguez em Números

Quando cita-se um dos melhores volantes da atualidade, o nome de Saúl Ñíguez que atualmente joga pelo Atlético de Madrid da Espanha e que também é presença constante nas convocações da Seleção Espanhola, deve ser levado em conta.
Saúl Ñíguez Esclápez nasceu em 21/11/1994 em Elche, na Espanha. Antes de ganhar sequência entre os titulares do Atlético de Madrid, Saúl passou pelas categorias de base do maior rival do clube e na sua primeira passagem pelo time colchonero – Atlético de Madrid -, não teve tantas oportunidades. Porém, o que mais se sabe sobre Saúl Ñíguez? Por quais clubes ele já jogou? Quais feitos atingiu ao longo de sua carreira?

Juvenil

Filho de Pilar Esclápez e de José Antonio Ñíguez, Saúl nasceu numa comunidade autônoma de Valência – Elche -, Espanha. A influência para ele seguir carreira no futebol surgiu do pai que jogou por vários anos no Elche. Após a aposentadoria, José Antonio decidiu continuar vivendo seu sonho através de seus filhos, Saúl e seus 2 irmãos mais velhos; Aaron e Jonathan que atualmente jogam por Elche e Alcoyano respectivamente.
Os traços de personalidade por ser o filho caçula fizeram com que Saúl fosse o mais ambicioso dos irmãos. O amor do garoto pelo futebol fez com que José Antonio o inscrevesse no elenco da academia do Elche CF, de sua cidade natal, o que lhe deu chances para dar seus primeiros passos no futebol. Saúl Ñíguez teve um impacto imediato no Elche, pois ele subiu rapidamente de faixa etária no clube e inclusive, tornou-se o capitão do time. Ser o melhor jogador do Elche nessa faixa etária despertou o interesse do Real Madrid que o adquiriu em 2006, quando ele ainda tinha apenas 11 anos de idade.
Depois de ingressar nas categorias de base do Real Madrid, de acordo com o Sportskeedia, Saúl alegou que era sujeito a “bullying”, recebia um tratamento severo e além disso, também passou por diversos problemas. Inclusive, chegou a ser impedido de treinar por duas semanas e em decorrência disso tudo, consultou amigos e familiares e em 2008, tomou a decisão de deixar o Real Madrid. Posteriormente, neste mesmo ano (2008), Saúl juntou-se as categorias de base do Atlético de Madrid.

A Carreira de Saúl Ñíguez em Números

Atlético de Madrid

Categorias de Base

Juntar-se ao clube rival do Real Madrid, Atlético de Madrid, foi uma decisão acertada, dada a evolução que Saúl obteve depois. Diferentemente do que ocorria nas categorias de base dos “Blancos” – Real Madrid -, o tratamento que Saúl Ñíguez recebeu no Atleti era bem menos severo. Ele jogou mais de 200 jogos oficiais pelo time juvenil do Atlético de Madrid e seu destaque nas categorias de base do clube fez com que ele atraísse a atenção de 2 clubes ingleses – Arsenal e Manchester United -, mas ainda assim, optou por permanecer no Atlético de Madrid.
Em 29 de agosto de 2010, na estreia do Atlético de Madrid B na no grupo 1 da 2ª B – 3ª Divisão do Futebol Espanhol -, Antonio Rivas – técnico do time B do Atleti nessa época – promoveu a estreia de Saúl entre os titulares de um jogo no qual o time foi derrotado por 1-0 pelo Getafe B.
Em 10 de abril de 2011, em jogo da 33ª rodada da 2ªB, Saúl fez seu primeiro gol como profissional na vitória por 3-1 sobre o Extremadura.
Em suma, na sua temporada com o time b do time colchonero, Saúl Ñíguez fez 1 gol em 22 jogos disputados. Quanto ao Atlético de Madrid B, terminou em 11º lugar no grupo 1 da 3ª Divisão do Campeonato Espanhol.
No verão de 2011, o jovem volante de 16 anos foi integrado ao time principal do Atlético de Madrid para os treinos da pré-temporada. Em 10/07/2011, ele marcou 2 gols num amistoso contra o CD Arcángel, amistoso no qual o time colchonero venceu por 19-1.

2011-12

Depois de fazer parte da pré-temporada 2011-12, Saúl voltou a atuar pelo Atlético de Madrid B e em 11 de dezembro de 2011, em jogo da 17ª rodada da 2ªB, marcou 1 dos gols do Atleti no empate em 2-2 com o Rayo Vallecano B.
Em 8 de março de 2012, com apenas 17 anos e 108 dias de idade, Diego Simeone – técnico do time principal do Atlético de Madrid – promoveu a estreia do jovem volante como profissional quando o colocou em campo aos 39 minutos da segunda etapa no lugar de Koke. Quanto ao resultado do jogo, vitória por 3-1 sobre o Besiktas da Turquia no primeiro confronto das oitavas de final da UEFA Europa League. Posteriormente, o Atleti venceu a equipe turca por 3-0 fora de casa e com a vantagem de 6-1 no placar agregado, o time espanhol avançou para a fase seguinte.
O Atlético de Madrid chegou à final da UEFA Europa League 2011-12 e se sagrou campeão em cima de outro time espanhol, venceu o Athletic Bilbao por 3-0 na decisão.
Em suma, na sua 1ª temporada como profissional, Saúl Ñíguez disputou apenas uma partida. Quanto ao Atlético de Madrid, além de ter sido campeão da Europa League, terminou em 5º lugar no Campeonato Espanhol e caiu na fase de 16 avos da Copa do Rei.
PdGmACACVMj na temporada 2011-12
2310501543
Pd – Partidas disputadas; Gm – Gols marcados; A – Assistências; CA – Cartões amarelos; CV – Cartões vermelhos e Mj* – Minutos jogados

2012-13

Em 20 de setembro de 2012, na estreia do time colchonero na fase de grupos da Europa League, Saúl entrou em campo aos 33 minutos da segunda etapa no lugar de Diego Costa na vitória por 3-0 sobre o Hapoel Tel Aviv de Israel. Três dias depois, ele marcou os dois gols pelo Atlético B em uma vitória fora de casa por 2-1 sobre o Real Madrid C.
Pela 4ª rodada da fase de grupos da Europa League, em 08/11/2012, Diego Simeone escalou Saúl entre os titulares pela primeira vez e na estreia do volante de 17 anos como titular, revés por 2-0 ante o Coimbra de Portugal.
Saúl fez sua estreia na La Liga (Campeonato Espanhol) em 21 de abril de 2013 – jogo válido pela 32ª rodada – jogando os 2 minutos finais de uma vitória por 1–0 sobre o Sevilla, depois de substituir seu colega Koke. Novamente do banco de reservas, ele apareceu em sua segunda partida do campeonato com a equipe principal em 04/05/2013, contra o Deportivo de La Coruña (empate em 0-0) na 34ª rodada do campeonato.
Em suma, na sua 2ª temporada como profissional, Saúl Ñíguez disputou 11 partidas pelo time principal. Quanto ao Atlético de Madrid, foi campeão da Supercopa da UEFA e da Copa do Rei, terminou em 3º lugar no Campeonato Espanhol e caiu na fase de 16 avos da UEFA Europa League.
PdGmACACVMj na temporada 2012-13
37601312495
Gols marcados na 2ªB
Títulos que conquistou na sua 1ª passagem pelo Atlético de Madrid - UEFA Europa League: 2011-12 - Copa do Rei: 2012-13

Rayo Vallecano

2013-14

Depois de passar grande parte da pré-temporada com o Atlético de Madrid, em 21 de julho de 2013, o empréstimo de Saúl ao Rayo Vallecano foi acertado até o final desta temporada, no âmbito da operação de transferência de Léo Baptistão para o Atlético.
Em 19/08/2013, na estreia do Rayo Vallecano nesta edição da La Liga, Paco Jémez promoveu a estreia de Saúl entre os titulares e no seu primeiro jogo pelo novo clube, proveu assistência para 1 dos 2 gols marcados por Alberto Bueno na vitória por 3-0 sobre o Elche no Campo de Fútbol de Vallecas (estádio do Rayo Vallecano).
Pela 9ª rodada do Campeonato Espanhol, em 20/10/2013, Saúl levou seu primeiro cartão vermelho como profissional, mas apesar disso os Franjirrojos – Rayo Vallecano – venceram o Almería por 1-0 fora de casa.
Em 24/11/2013, em jogo da 14ª rodada da La Liga, o novo camisa 22 do Rayo Vallecano – Saúl – marcou seu primeiro tento nessa temporada no revés por 4-1 ante o Espanyol em pleno Campo de Fútbol de Vallecas.
Em 26 de abril de 2014, em partida válida pela 35ª rodada do Campeonato Espanhol, Saúl marcou seu 2º e último tento nessa temporada na vitória por 3-0 sobre o Granada fora de casa.
Em suma, na sua única temporada com a camisa dos “Franjirrojos”, Saúl Ñíguez disputou 37 partidas, fez 2 gols e proveu uma assistência. É importante mencionar que ele foi uma das peças-chave para a permanência do clube na 1ª divisão nacional, numa temporada sob o comando de Paco Jémez, jogou no centro da defesa e como meio-campista em algumas ocasiões. Quanto ao Rayo Vallecano, terminou em 12º lugar no Campeonato Espanhol e caiu nas oitavas de final da Copa do Rei.
PdGmACACVMj na temporada 2013-14
37211413277
Gols marcados na La Liga

Atlético de Madrid

2014-15

Depois de jogar emprestado para o Rayo Vallecano, as boas atuações de Saúl o levaram ao retorno ao Atlético de Madrid na temporada 2014-15 e à renovação de contrato até o ano de 2019.
Em 19 de agosto de 2014, no primeiro confronto da decisão da Supercopa da Espanha, Saúl reestreou pelo clube entre os titulares no empate em 1-1 com o Real Madrid. No segundo confronto, em 22/08/2014, o volante de 19 anos jogou os minutos finais da vitória do Atleti por 1-0 sobre o rival e sendo assim, iniciou esta temporada celebrando a conquista do título da Supercopa da Espanha.
Em 16/09/2014, na estreia dos Colchoneros na fase de grupos da UEFA Champions League (Liga dos Campeões), o camisa 17 – Saúl Ñíguez – jogou os últimos 15 minutos do revés por 3-2 ante o Olympiacos da Grécia.
Pela 6ª rodada do Campeonato Espanhol em 27/09/2014, Saúl iniciou entre os titulares e marcou seu primeiro tento nessa temporada na goleada por 4-0 sobre o Sevilla no Vicente Calderón (antigo estádio do Atleti).
Em 30/11/2014, em jogo da 13ª rodada da La Liga, o jovem volante de 20 anos marcou seu 2º tento nessa temporada no triunfo por 2-0 sobre o Deportivo La Coruña no Vicente Calderón.
Após o gol marcado contra o La Coruña, Saúl só voltou a balançar as redes em 7 de fevereiro de 2015, jogo da 22ª rodada da La Liga, ao qual atuou como titular e foi um dos destaques da goleada por 4-0 sobre o Real Madrid porque além de ter feito 1 gol, proveu assistência para o tento marcado por Antoine Griezmann.
Em 04/04/2015, em partida válida pela 29ª rodada do Campeonato Espanhol, o volante de 20 anos marcou seu 4º e último tento nessa temporada no triunfo por 2-0 sobre o Córdoba fora de casa.
Em sua primeira temporada completa no time de Simeone, o camisa 17 foi um jogador importante no rodízio, por isso acabou tendo seu contrato renovado até 2020.
Em suma, na sua 3ª temporada com a camisa do Atleti, Saúl Ñíguez disputou 35 partidas, fez 4 gols e proveu duas assistências. Quanto ao Atlético de Madrid, além de ter sido campeão da Supercopa da Espanha, terminou em 3º lugar no Campeonato Espanhol e chegou às quartas-de-finais da UEFA Champions League e da Copa do Rei.
PdGmACACVMj na temporada 2014-15
3542201600
Gols marcados na La Liga

2015-16

No início desta temporada, Saúl não teve tantas oportunidades entre os titulares, mas a partir do mês de setembro, começou a ter sequência como titular.
Em 21 de outubro de 2015, em partida válida pela 3ª rodada da fase de grupos da Champions League, o camisa 17 do time colchonero marcou seu primeiro tento nessa temporada na goleada por 4-0 sobre o Astana do Cazaquistão no Vicente Calderón. Além de ter feito 1 gol, deu o passe para o gol de Jackson Martínez.
Pelo primeiro confronto da fase de 16 avos da Copa do Rei em 01/12/2015, Saúl marcou seu 2º tento nessa temporada na vitória por 2-1 sobre o Reus Deportiu. Posteriormente, o Atlético de Madrid venceu o segundo confronto por 1-0 e com isso, avançou para a fase seguinte do torneio.
Em 08/12/2015, em partida válida pela última rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões, o volante de 21 anos marcou o primeiro gol do triunfo por 2-1 sobre o Benfica de Portugal no Estádio da Luz, em Lisboa. Cinco dias depois, o time colchonero estava em campo novamente para jogar a 15ª rodada do Campeonato Espanhol, a qual venceu o Athletic Bilbao por 2-1 com 1 gol de Saúl Ñíguez.
Em 6 de janeiro de 2016, no primeiro confronto das oitavas de final da Copa do Rei, o camisa 17 do time colchonero entrou em campo aos 11 minutos da segunda etapa no lugar de Óliver Torres e 11 minutos depois, fez o gol do empate em 1-1 com o Rayo Vallecano fora de casa. No segundo confronto entre as duas equipes, vitória do Atleti por 3-0, contudo foi eliminado pelo Celta de Vigo na fase seguinte.
Em 27/04/2016, no primeiro confronto da semifinal da Liga dos Campeões, o volante de 21 anos teve seu melhor momento ao marcar o único gol da vitória sobre o Bayern de Munique da Alemanha. Apesar do revés por 2-1 em 03/05/2016 – segundo confronto -, o Atleti se classificou para a final pelo critério do gol fora de casa. Posteriormente, Saúl foi titular na final contra o Real Madrid em 28/05/2016, partida vencida pelo rival nos pênaltis após a persistência do empate em 1-1 no tempo regulamentar e na prorrogação.
Em suma, em mais uma temporada com a camisa do time colchonero, Saúl Ñíguez disputou 48 partidas, fez 9 gols e proveu 4 assistências. Quanto ao Atlético de Madrid, foi vice-campeão da UEFA Champions League, terminou em 3º lugar no Campeonato Espanhol e chegou às quartas de final da Copa do Rei.
PdGmACACVMj na temporada 2015-16
4894403651
9 gols dos quais 4 foram pela La Liga, 3 pela UEFA Champions League e 2 pela Copa do Rei

2016-17

Na estreia do Atlético de Madrid na fase de grupos desta edição da Champions League em 13 de setembro de 2016, Saúl marcou o único gol da vitória sobre o PSV Eindhoven da Holanda fora de casa.
Após o gol marcado contra o PSV na Liga dos Campeões, o novo camisa 8 do time colchonero – Saúl – só voltou a balançar as redes em 30/11/2016 na goleada por 6-0 sobre o CD Guijuelo no primeiro confronto da 4ª fase da Copa do Rei. Além do tento marcado, deu o passe para 1 dos 2 gols de Yannick Carrasco. Posteriormente, o Atleti venceu o CD Guijuelo por 4-1 no segundo confronto e se garantiu nas oitavas de final deste torneio.
Em 17/12/2016, em jogo da 16ª rodada da La Liga, Saúl marcou o único gol da vitória sobre o Las Palmas no Vicente Calderón. Na rodada seguinte do Campeonato Espanhol, em 7 de janeiro de 2017, o camisa 8 do Atleti marcou o primeiro gol da vitória por 2-0 sobre o Eibar fora de casa.
Pelo primeiro confronto das oitavas de final da Liga dos Campeões, em 21/02/2017, o volante de 22 anos marcou seu 5º tento nessa temporada na vitória por 4-2 sobre o Bayer Leverkusen da Alemanha na BayArena. No segundo confronto contra o time alemão no Vicente Calderón, o Atleti jogou para o gasto e com um empate em 0-0, avançou para a fase seguinte.
Em 18/04/2017, no segundo confronto das quartas de final da Champions League, Saúl marcou o gol do empate em 1-1 com o Leicester da Inglaterra no King Power Stadium. Vale ressaltar que o Atlético de Madrid havia vencido o primeiro confronto por 1-0 e como consequência, avançou para a fase seguinte.
Pelo segundo confronto da semifinal da Champions League contra o rival Real Madrid, em 10/05/2017, o camisa 8 do Atleti marcou de cabeça o primeiro gol da vitória de sua equipe por 2-1 no Vicente Calderón. No entanto, o rival venceu o primeiro confronto por 3-0 e com isso, o Atlético de Madrid ficou de fora da final desta edição da Liga dos Campeões.
Em 01/07/2017, Saúl assinou um novo contrato com o Atlético de Madrid no qual estendeu seu vínculo com o clube até o ano de 2026 e com isso, a sua cláusula de rescisão também subiu de valor; 150 milhões de euros (cerca de 948,8 milhões de reais).
Em suma, em mais uma temporada com a camisa do time colchonero, Saúl Ñíguez disputou 53 partidas, fez 9 gols e proveu 4 assistências. Quanto ao Atlético de Madrid, terminou em 3º lugar no Campeonato Espanhol e chegou às semifinais da UEFA Champions League e da Copa do Rei.
PdGmACACVMj na temporada 2016-17
53941304013
9 gols dos quais 4 foram pela UEFA Champions League, 4 pela La Liga e 1 pela Copa do Rei

2017-18

Em 14 de outubro de 2017, em jogo da 8ª rodada da La Liga, Saúl marcou seu primeiro tento nessa temporada no empate em 1-1 com o Barcelona no Wanda Metropolitano (novo estádio do Atlético de Madrid).
Pela última rodada da fase de grupos da Champions League, em 05/12/2017, o camisa 8 do time colchonero marcou o gol do empate em 1-1 com o Chelsea da Inglaterra fora de casa. Cinco dias depois – 10/12/2017 -, o volante de 23 anos marcou o único gol da vitória sobre o Real Bétis em partida válida pela 15ª rodada do Campeonato Espanhol.
Depois de terminar em 3º lugar na fase de grupos da Champions League, o Atlético de Madrid herdou vaga na fase de mata-mata da Europa League e no primeiro confronto da fase de 16 avos contra o Copenhague da Dinamarca, em 15 de fevereiro de 2018, atuando como meia, Saúl marcou de cabeça o primeiro gol da goleada por 4-1 sobre o time dinamarquês no Parken (estádio do time dinamarquês). No segundo confronto entre as duas equipes, vitória do Atleti por 1-0 no Wanda Metropolitano e com isso, seguiu adiante no torneio.
Em 08/03/2018, no primeiro confronto das oitavas de final da Europa League contra o Lokomotiv de Moscou da Rússia, o camisa 8 do time colchonero marcou o primeiro gol da vitória por 3-0 sobre o time russo no Wanda Metropolitano. No segundo confronto contra a equipe russa na semana seguinte, Saúl marcou o segundo gol da goleada do Atleti por 5-1 em Moscou. Ao contrário da temporada 2011-12, desta vez Saúl jogou todos os jogos que culminaram com a conquista do título da UEFA Europa League 2017-18 e a trajetória rumo a conquista do título foi assim> como já se sabe, o Atlético de Madrid eliminou o Copenhague na fase de 16 avos e o Lokomotiv de Moscou nas oitavas de final.
Nas quartas de final, os Colchoneros enfrentaram o Sporting de Portugal e Saúl foi um dos destaques do primeiro confronto ao prover assistência para o gol de Griezmann no triunfo por 2-0 sobre a equipe portuguesa. Apesar do revés por 1-0 no segundo confronto, o Atleti tinha a vantagem no placar agregado – 2-1 – e com isso, classificou-se para a fase seguinte.
Na semifinal, o Atlético de Madrid enfrentou o Arsenal da Inglaterra e após um empate em 1-1 no primeiro confronto, em Londres, venceu a equipe inglesa por 1-0 no Wanda Metropolitano e com isso, se classificou para a final desta edição da Europa League. Vale destacar que Saúl chegou a marca de 200 jogos com a camisa do time colchonero no segundo confronto contra o Arsenal, em 03/05/2018.
Em 16/05/2018, o Groupama Stadium, em Lyon – França -, foi o palco da final entre Atlético de Madrid e o Olympique de Marselha da França. O camisa 8 do time colchonero jogou os 90 minutos da vitória por 3-0 sobre a equipe francesa.
Saúl Ñíguez e Fernando Torres – à esquerda – segurando o troféu da UEFA Europa League 2017-18Em suma, em mais uma temporada com a camisa do time colchonero, Saúl Ñíguez disputou 56 partidas, fez 6 gols e proveu 5 assistências. Quanto ao Atlético de Madrid, além de ter sido campeão da UEFA Europa League, foi vice-campeão do Campeonato Espanhol e foi eliminado nas quartas de final da Copa do Rei.
PdGmACACVMj na temporada 2017-18
56651404751
6 gols dos quais 3 foram pela UEFA Europa League, 2 pela La Liga e 1 pela UEFA Champions League

2018-19

Em 15 de agosto de 2018, no primeiro jogo do Atlético de Madrid nessa temporada, decisão da Supercopa da UEFA, Saúl marcou na prorrogação o terceiro gol do time colchonero na vitória por 4-2 sobre o Real Madrid. Com este resultado, o Atleti iniciou essa temporada celebrando a conquista de um título, ao qual havia conquistado pela última vez na temporada 2012-13.
Após o gol marcado contra o Real Madrid no início dessa temporada, o camisa 8 do Atleti só voltou a balançar as redes em partida válida pela 4ª rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões, em 06/11/2018, ao qual o time espanhol venceu o Borussia Dortmund da Alemanha por 2-0 no Wanda Metropolitano.
Em 26 de janeiro de 2019, em jogo da 20ª rodada da La Liga, Saúl marcou seu 3º tento nessa temporada no triunfo por 2-0 sobre o Getafe.
Pela 25ª rodada do Campeonato Espanhol, em 24/02/2019, o camisa 8 do time colchonero marcou o gol que fechou o placar desta partida, vitória do Atlético de Madrid por 2-0 sobre o Villarreal no Wanda Metropolitano.
Em 09/03/2019, em jogo da 27ª rodada da La Liga, Saúl marcou seu 5º tento nessa temporada e sendo assim, os Colchoneros venceram o Leganés por 1-0.
Pela 29ª rodada do Campeonato Espanhol, em 30/03/2019, o volante marcou seu último tento nessa temporada na goleada por 4-0 sobre o Deportivo Alavés em pleno Mendizorrotza.
Em suma, em mais uma temporada com a camisa do time colchonero, Saúl Ñíguez disputou 45 partidas, fez 6 gols e proveu 3 assistências. Quanto ao Atlético de Madrid, foi campeão da Supercopa da UEFA, foi vice-campeão do Campeonato Espanhol e foi eliminado nas oitavas-de-finais da Liga dos Campeões e da Copa do Rei.
PdGmACACVMj na temporada 2018-19
45631103911
6 gols dos quais 4 pela La Liga, 1 pela Supercopa da UEFA e 1 pela UEFA Champions League

2019-20


PdGmACACVMj na temporada 2019-20
47701304156
7 gols dos quais 6 foram pela La Liga e 1 pela UEFA Champions League

2020-21


PdGmACACVMj na temporada 2020-21
50020390
a temporada 2020-21 está em andamento
Títulos que conquistou na sua 2ª e atual passagem pelo Atlético de Madrid - Supercopa da UEFA: 2018 - UEFA Europa League: 2017-18 - Supercopa da Espanha: 2014
- O vídeo abaixo mostra 19 dos 24 gols que Saúl marcou com a camisa do Atlético de Madrid na La Liga - Este vídeo foi publicado no YouTube em 20 de novembro de 2019por Atleti Videos

Números de Saúl na Seleção Espanhola

Espanha

Seleções de Base


Seleção Principal


Copa do Mundo FIFA de 2018


Liga das Nações da UEFA A 2018-19


PdGmACACVMj
42000285

Euro 2020


Pós-eliminatórias da Euro


Títulos que conquistou pela Seleção Espanhola - Eurocopa Sub-19: 2012

TOTAL

PdGmACACVMj
193221013
Prêmios individuais - Equipe Ideal da Euro Sub-19 de 2012 - Chuteira de Ouro da Euro Sub-21 de 2017 - Equipe Ideal da Euro Sub-21 de 2017
Artilharia - Euro Sub-21 de 2017 (5 gols)

Considerações Finais

O post A Carreira de Saúl Ñíguez em Números apareceu primeiro em Futebol Stats.
from Futebol Stats https://bit.ly/3lSOaq3
via IFTTT
submitted by futebolstats to SiteFutebolStats [link] [comments]


2020.07.05 09:41 Full-Neighborhood705 Lá vamos nós de novo.

E aqui estou eu novamente, no cú da madrugada com uma insônia fodida, fazendo mais uma conta que eu nem olhei user, jamais vou lembrar a senha.
Infelicidade e insatisfação, meus nomes do meio. As vezes eu nem sei o porquê de levantar da cama, pra fazer as mesmas coisas, fingir que está tudo bem... mas nada nunca está bem de verdade. Um relacionamento falido, uma carreira desgraçada... Realmente cansa vc se doar, tentar ao máximo fazer as coisas funcionarem e só ouvir coisas ruins e totalmente degradantes dos outros. Ouvir todos os dias que eu fracassei, ouvir todos os dias que eu me formei na faculdade, fiz mestrado e doutorado... que a escolha de carreira que eu fiz não deu muito certo, como se eu tivesse como adivinhar que tudo ia rumar para o caralho gigantesco que tudo foi.
EU NÃO AGUENTO MAIS, ouvir que não sei o valor do dinheiro pq não tenho um "trabalho convencional", mesmo depois de ter deixado de procurar (com tanto afinco), pq vc me pediu pra estudar pra um concurso, agora vem dizer que eu não saio da minha zona de conforto, eu simplesmente estou deixando momentaneamente 12 anos de estudos e esforço, estudando pra concursos de nível médio que estão aparecendo pra aumentar as chances de passar, mas com que vontade eu vou continuar a estudar?
ENFIE ESSA PORRA DE PAPO DE COACH NO SEU RABO!!!! Vem dizer que meu orgulho não me deixa procurar um emprego qlqr, pra que? Viver na frustração igual a você? Que não faz nada pra mudar e só reclama que seu trabalho é ruim e que ngm te apoia? As pessoas se acostumam, mesmo com o que é ruim... ficar no instagram em todas as suas horas livres não vai fazer sua vida mudar, ao contrário. Mas você não me ouve, se acha superior e não é nada. Eu sempre dei meu jeito de contribuir com as contas, jamais deixei de participar. Eu não tenho culpa de vc ter feito direito, não quis fazer OAB, pq pra advogar precisa ter dinheiro pra montar um escritório, isso é balela sua. Afinal, vc poderia muito bem se juntar com outros advogados(as) pra montar alguma coisa, mas seu individualismo deixaria? Seu ego? Claro que não, agora amargue esse emprego que vc reclama que é uma merda e não agradece por tê-lo. Quantas pessoas estão agora necessitadas e gostariam de ter o que vc tem.
Ainda mais você não me venha falar de orgulho, me traiu no ano passado, terminamos, vc caiu em desespero, sem mim não consegue equilibrar as contas né, por pena e idiotice minhas voltamos, procuramos um outro lugar pra morarmos, encontramos. Acreditei que vc tivesse mudado, ledo engano meu, vc continua igual. Minha família me pede pra voltar pra casa quase todos os dias, eu que briguei novamente com todos por você, assim vc me retribui, me escondendo dos seus amigos, pagando de livre... mas não está. Se o inferno existe mesmo, sou eu que trarei ele pra sua vida. Todo o amor e carinho que existia eu sinto que morreu, hoje eu sinto só vazio, amargor. E quer saber? Eu nem te odeio, eu sinto pena e nojo de você.
Vive dizendo que hoje mora numa cidade melhor, só fala asneiras da sua terra natal, nega suas raízes sempre que pode, mas isso só te faz pior, pessoa baixa e chula. O que eu vi em vc?
E o mais triste, eu sei exatamente o que mudar, mas pra quê mudar? Vejo minha vida passando e cada dia mais eu sinto menos vontade de continuar, simplesmente vivendo no automático, espero vc sair pro seu trabalho fico na cama, as vezes revejo infinitas vezes os mesmos vídeos de animes no youtube, lembrando de uma época mais simples da vida, que eu não tinha tantas preocupações.
eu tenho 15 m de corda, a varanda as vezes parece tão chamativa, um corpo pendurado e um espetáculo do horror, coragem eu não tenho, pra essa covardia eu sou forte. quem eu quero enganar? aquela corda não ia me suportar, até pra isso eu iria falhar. Comer sementes de maçã poderia me ajudar, mas quantas eu deveria comer pra realmente fazer o efeito esperado? Nem quero saber.
É isso, eu precisava tirar um pouco desse piche que eu destilo no meu coração, vomitar algumas palavras até me fazem sentir melhor, meu único amigo que restou é meu reflexo que se tornou terrível, essas marcas de amargor no meu rosto, essa escuridão no meu coração.
Já nem sei mais se isso que escrevi faz algum sentido...
submitted by Full-Neighborhood705 to desabafos [link] [comments]


2020.02.10 05:55 tarotmadrid Carta astral de Acuario en Albacete, Letur

Carta astral de Acuario en Albacete, Letur
¡Llama ahora y descubre verdades como templos!.. Carta astral de Acuario.
Echada de cartas del tarot en Albacete, Letur. ¿Aspiras una leidita de cartas de tarot, para dominar que te expresan las cartas para ya, con una explicacion muy justa y pudica?. No dudes en charlar por teléfono con nosotros. Un tarotista entendido y muy visto en los medios te escuchara. Nos distinguimos por ser una de las marcas que patrocinamos a nigromantes muy insignes alrededor del globo, con miles de clientes felices.
Encuentra respuesta a tus inquietudes y descubre tu destino con ayuda del tarot. Tus predicciones de manera cómoda y rápida..

https://preview.redd.it/h2nbiq5j21g41.jpg?width=400&format=pjpg&auto=webp&s=d4e1dedcb5d6b53fc05df39605e6b665b98f59a1
Si estas asentado en: Alava, Abetxuko. No fluctues en platicar por teléfono con nuestros videntes y consultar sobre Carta astral de Acuario.

Consulta ahora Carta astral de Acuario

Todas tus malestares conectadas con:
  • Ocupación
  • Tus familiares
  • Vitalidad
  • Bienes
Tienen Arreglo, solo faltas de la observación apropiado/a.
Te orientaremos para que sepas elaborar la consulta adecuada al tarot, y dependiendo de tu traba te mostraremos diferentes patrónes de lanzadas precisas para cada peripecia. Ademas si necesitas comprender sobre tu zodiaco o los números de la fortuna para:
  • Los juegos de azar
  • La diaria
  • La loto
  • La lotería nacional
  • la lotería de navidad
. Tienes que consultarlo, responderemos a cada una de tus congojas. Te mostraremos la ruta a proseguir y te dirigiremos por tu día a día, para que todo lo que sueñas te salga bien. Cree en nosotros, ya que multitudes de parroquianos contentos en el globo, Firman y dan fe de nosotros.

Somos Mediums de confianza.

Son abundantes las personas que certifican los exquisitos resultados, que han conseguido siguiendo los consejos de nuestras leídas de cartas del tarot.
No es por vanagloriarnos, pero individualmente he podido respetar las muestras de aprecio de esos parroquianos, que dejan de ser simples usuarios para convertirse en amigos inseparables, gracias a la empatía y afecto que solo nuestros videntes pueden dar.

Somos los mejores videntes.

No es otro número de teléfono de tarotistas, si no que sin duda somos la mejor línea, que te dará: En primer lugar:
  • Seguridad
Y en segundo lugar te dara:
  • Protección
El único numero de tarot donde hallaras compañeros que desean que tus jornadas se llenen de entusiasmo.
Intenta y consulta al número de teléfono:: 806 556 213. Y se testigo de la claridad de lo que aquí está escrito. Con exceso somos:
  • Fieles
  • Decentes
Y nos quedaremos con usted en cada instante. Lo que las cartas expresen eso te mencionaremos, no enmascararemos nada y te advertiremos que hacer, el mejor aviso a seguir lo adquiriras de nosotros, los copiosos años de costumbre nos respaldan. No descubrirá coyuntura o preocupación que no hayamos visto antes, no percatara cuestión a la que no le hallemos resolución.
Pues que esperas llámanos y juntos tu y yo con la ayuda del tarot lo resolveremos. No esperes más el tiempo es ahora, no tengas temor los cobardes jamás tienen una vida plena y llena de felicidad. Además los precios son muy accesibles.

¿Cuál es el costo? para consultar Carta astral de Acuario

Costo por utilizar las líneas 806 para consultar al Carta astral de Acuario

El precio máximo por minuto de esta llamada es de 1 euro y 18 céntimos de euro si llama desde un teléfono fijo y de 1 euro y 53 céntimos de euro si llama desde un teléfono móvil, impuestos incluidos. Este servicio de entretenimiento reservado a mayores de 18 años está prestado por TAROT DE LAS ESTRELLAS. APARTADO DE CORREOS 57204. 28223 MADRID.

Costo por usar la consulta de Carta astral de Acuario con tarjeta visa:

  • 10 minutos 7 euros.
  • 15 minutos 10.50 euros.
  • 20 minutos 14 euros.
  • 30 minutos 21 euros.

Horóscopo para hoy Domingo, 9 de Febrero de 2020 todos los signos del zodiaco

Aries:

Aries no necesita a alguien que lo frene, si no a alguien que lo acompañe, que lo impulse y que lo estimule cada día

El amor.

Si estás pensando en cambiar el rumbo de tu vida amorosa, guarda tus pensamientos para ti mismo, no te apresures en compartir tus dudas con los demás (menos con quien está a tu lado). La economía. Te sientes con un gran dinamismo y con sanas ambiciones de aumentar tus ingresos, busca la manera de emplear tu dinero de manera más rentable.

Su salud.

Una buena manera de compensar el estrés será pasar más tiempo en contacto con la naturaleza.

Tauro:

Tauro intenta siempre buscar la calidad de los amigos antes que la cantidad.

El amor.

Un estado de ánimo por demás sensible obstaculiza tus relaciones sentimentales; evita roces innecesarios en la pareja, y trata de mantener la calma. La economía. Sería conveniente aplacar los ánimos caldeados en el círculo laboral, sé más indulgente con las críticas y acepta los comentarios con mejor predisposición, siempre se puede sacar algo positivo de la mirada de los demás.

Su salud.

Cuídate de golpes o caídas.

Géminis:

Géminis no se convirtió en alguien frío, se convirtió en alguien más sabio. Aprendió que su felicidad nunca más dependerá de otra persona, jamás.

El amor.

Éxitos en el amor en un día para disfrutar plenamente de la sensualidad y de la capacidad para la conquista. La economía. Venus en cuadratura advierte sobre gastos imprevistos y complicaciones en el área laboral; habrá que prestar atención al presupuesto y evitar cometer imprudencias.

Su salud.

Cuida tu piel cuando estás al aire libre.

Cáncer:

Cáncer no muestra sus sentimientos a veces por miedo a que le hagan daño. Sin embargo, es un signo muy sensible.

El amor.

El estado de ánimo será inquieto, resguarda el amor y evita que personas negativas se entrometan. La economía. Es un sábado adecuado para pensar en cambios en el hogar, o dedicarse a reparaciones domiciliarias.

Su salud.

Practica alguna actividad física.

Leo:

Leo tiene que admirar a la persona que esté a su lado. Da igual por lo que sea, pero tienen que admirarlo.

El amor.

Soplan vientos a favor en tu universo sentimental: la estabilidad amorosa se mostrará en su apogeo en los matrimonios o noviazgos establecidos. La economía. Buen momento para elaborar ofertas y estudiar nuevas propuestas laborales.

Su salud.

Tomar unos minutos al día para reflexionar te enriquecerá interiormente.

Virgo:

A Virgo le gusta gustar a su pareja y por eso siempre intentará que le vea con ojos de deseo. Sabe que una vez que esto se acaba, se ACABA.

El amor.

Sentirás la necesidad de comunicar tus deseos con libertad, la timidez queda atrás y los resultados te harán sentir muy contenido en tu vida amorosa y con grandes deseos de recuperar lo esencial. La economía. En la esfera laboral, buenos contactos te proponen abrirte a nuevas posibilidades: tómate un tiempo para evaluar las nuevas metodologías.

Su salud.

Esta misma influencia predispone a recibir golpes o sufrir accidentes domésticos.

Libra:

Libra sería mucho más feliz si pensara mucho menos en lo que pasará y en lo que pasó.

El amor.

Los celos contaminan las relaciones amorosas y las diferencias con tu pareja te obligan a aclarar algunos temas: espera el momento adecuado para las explicaciones, la ternura y el romanticismo llegarán después de la tormenta. La economía. Asuntos laborales: tus proyectos se concretan paso a paso y comienzas a disfrutar de un beneficio económico que no estaba en tus cálculos.

Su salud.

Una caminata diaria puede mejorar notablemente tu estado físico.

Escorpio:

[email protected] Escorpio tienen ojo crítico y atrapan al vuelo las intenciones ocultas de quienes los rodean, así que, sé prudente, mucho.

El amor.

Una nueva persona que irrumpe en tu vida te ayudará a dejar atrás una relación anterior que no te deja avanzar; es hora de dedicar más tiempo al presente en vez de pensar tanto en el ayer. La economía. Sucesos ventajosos en lo económico tranquilizan y permiten cancelar deudas; los astros obsequian un ciclo de abundancia y estabilidad.

Su salud.

Momento ideal para comenzar alguna actividad física, además de mantenerte en forma, te ayudará a descargar tensiones.

Sagitario:

Sagitario no es ordenado, pero es organizado. Un proyecto en sus manos parecerá un caos, pero impactará el resultado final!.

El amor.

En asuntos amorosos, las cosas son cada vez más claras y puedes ver tu futuro sentimental como nunca antes lo habías hecho, disfruta de tu estabilidad emocional. La economía. Con respecto a tus ocupaciones, pueden producirse choques frontales con personas intolerantes, la falta de decisión para reaccionar en el momento apropiado puede debilitar tus argumentos.

Su salud.

Necesitas más distracciones.

Capricornio:

Empezar desde cero y trabajar duro no asusta a Capricornio, al contrario, lo anima a trabajar más duro para poder progresar.

El amor.

Los tránsitos planetarios te regalan momentos de alegría y proyecciones felices para tu vida sentimental; el reencuentro con seres queridos aleja las nostalgias por aquellas personas que formaban parte de otras etapas de tu vida. La economía. Es necesario mantenerse alerta en el ámbito de los negocios por estos días: podrían surgir oportunidades que muestran buenas chances a futuro, no desaproveches lo que pudiera aparecer.

Su salud.

Gastar energías y descargar tensiones mantendrá tu organismo en buen estado.

Acuario:

Acuario tiene estándares altos, pero el que consiga su corazón, llegará a tener a alguien leal y dedicado a su lado

El amor.

En cuestiones amorosas, desenfreno para tu ya desbordada pasión: será difícil evitar las disputas en la relación, pues te sentirás inclinado a sentir celos por todo y por todos, no exageres tus reacciones. La economía. Clima armónico y de gran conciliación y entendimiento en el ámbito profesional: el diálogo con tus pares enriquece las consignas laborales.

Su salud.

Comienza una dieta desintoxicante para depurar tu organismo.

Piscis:

Piscis ♓ nunca se cansa del amor, ni de sus sentimientos, y por eso en pareja sabe demostrar lo que siente todos los días.

El amor.

Tu naturaleza abrumadoramente sensible puede traer complicaciones amorosas, ser tan apegado y dependiente afectivamente no resulta para nada positivo, trata de mantener tu individualidad. La economía. La capacidad laboral desafía situaciones tensas en el ámbito laboral.

Su salud.

Cuida la zona de los tobillos.
TAROT
Para el número 806 El precio máximo por minuto de la llamada al número 806 es de 1 euro y 18 céntimos de euro si llama desde un teléfono fijo y de 1 euro y 53 céntimos de euro si llama desde un teléfono móvil, impuestos incluidos.
Este servicio de entretenimiento reservado a mayores de 18 años está prestado por tarot de las estrellas.
Quintanilla del Olivar, Atico 1 Apartado de correos 57204. 28223, Madrid
Teléfono 932 995 463

Preguntas frecuentes sobre Carta astral de Acuario

1. Quiero hacer una consulta de Tarot, ¿sobre qué puedo consultar?
Puede consultar sobre lo todo aquello que le preocupe, el Tarot es ideal para temas sentimentales de todo tipo, matrimonios, divorcios, parejas, infidelidad, etc, para temas laborales y de juicios, viene muy bien para preguntas sencillas, afirmativas o negativas, también para cuestiones financieras, de herencias, etc. En cuestiones de salud somos muy precavidos, porque no somos dioses y podemos equivocarnos en temas tan delicados.
2. ¿Por qué tiene tan mala fama los servicios de Tarot y a menudo se les persigue como estafadores?
No entendemos muy bien la caza de brujas a la que siempre estamos sometidos, bien es cierto que estafadores existen en este sector, pero como en cualquier otro sector ( abogados, médicos, jueces, etc ), al igual que también existen muy buenos profesionales. Pensamos que la valía de cada empresa se demuestra por sus hechos, sea del sector que sea, y siempre el miedo y el desconocimiento hace que las personas desconfíen del servicio, sea cual sea éste.
3. ¿Las consultas de Tarot por teléfono son igual de fiables que en directo?
Nosotros diríamos que son incluso más fiables, por la sencilla razón de que el tarotista es más objetivo, está en su entorno, concentrado, puede visualizar mejor porque no está pendiente de los gestos del cliente, su canal está más limpio y ve más y mejor.
4. ¿Cuántas veces se puede consultar el Tarot?
El Tarot no se debe utilizar a la ligera , primero porque es un sistema que pierde efectividad si se consulta muy a menudo con las mismas preguntas una y otra vez , y segundo, porque es un servicio que te puede salir muy caro si no controlas tus consultas. Debe ser un servicio que se consulte cuando hay necesidad, no como juego o diversión.
5. ¿Por qué cobráis el servicio que prestáis?
No entendemos porque no debemos cobrar el servicio, nuestro equipo está formado por profesionales que se han dedicado toda su vida a esto, ya sea de forma innata o estudiada, dedican su tiempo, su esfuerzo en conseguir ver aquello que los consultantes no ven y de muchas formas ayudan a personas a diario, por lo tanto, deben cobrar por su trabajo, como cualquier profesional que dedique esfuerzos y trabajo en su actividad profesional.
6. ¿Quién consulta el Tarot?
El Tarot lo consulta todo aquel que lo necesite en algún momento de su vida, tenemos clientes de todas las clases sociales, de todas las profesiones posibles, de todos los países del mundo, y con multitud de problemas de toda índole, por lo tanto, el tarot lo consulta quien quiera y quien sea, si es mayor de 18 años, claro.
7. ¿Las consultas que yo haga son privadas?
Por supuesto, todas las consultas que usted realice con cualquiera de nuestros profesionales son confidenciales y no pueden ser desveladas a nadie, ni grabadas, garantizamos su privacidad.
8. ¿Vosotros acertáis en las consultas que hacéis?, ¿ qué tanto por ciento acertáis?
Aquel Tarotista o equipo de Tarotistas que diga que acierta en un tanto por ciento, realmente no lo dice correctamente. No tenemos unas estadísticas o tablas fiables que nos digan nuestro porcentaje de aciertos. Lo único que confirman nuestros aciertos son los testimonios de nuestros clientes, que son los que comprueban si con el tiempo las predicciones realizadas se han cumplido, y por ahora hay muchísimas que se han cumplido, algunas esperando ser cumplidas y otras que por ahora no se han cumplido. Creemos que nuestro Gabinete es uno de los más consultados actualmente porque tenemos grandes profesionales con un índice de aciertos muy alto, recibimos a diario cientos de confirmaciones y agradecimientos por ello. No lo dude consulte ahora sobre Carta astral de Acuario
9. ¿Por qué es tan difícil que el tarotista adivine con exactitud el tiempo o las fechas en que se van a realizar las predicciones?
No somos una ciencia exacta, por lo tanto, es normal, que en cuestiones de fechas, nos aproximemos, pero no somos exactos. Si fuera así, adivinaríamos con mucha facilidad números de loterías, premios diversos, etc, y no es el caso.El Tarot es más complicado de lo que parece, no es fácil “ver“ lo que se pregunta, y muchas veces se ve lo que no se pregunta, por esto, necesitamos mucha concentración y energía.
10. ¿Por qué una tarotista me acierta a mí y otra no, y ésta le acierta todo a otra persona y la mía no?
Los tarotistas son como los médicos, lo psicólogos, los abogados, etc, el que es bueno para unos no lo es tanto para otros, por esto, siempre aconsejamos que se pruebe a varios tarotistas y con mucha paciencia, se quede con el que mejor les acierte. Somos seres con energía, conectamos con algunos, pero con otros no tanto, por eso decimos que la lectura del Tarot depende del consultante y del consultado, no hay un solo canal, se necesitan los dos canales para conectar bien.
http://tarotmundial.com/carta-astral-de-piscis-en-zaragoza.html
submitted by tarotmadrid to u/tarotmadrid [link] [comments]


2019.11.30 04:18 IWishIWasMoreLikeMe Galera, eu só quero falar um pouco sobre minha vida e sobre a situação ruim que passei hoje com meu pai

TLDR: Levantei o tom com meu pai que me tratou mal durante minha vida, acabei sendo enforcado, quero ajudá-lo a tratar essas emoções ruins que ele sente pois ele é uma boa pessoa, tenho medo que faça algo ruim a si mesmo antes que de fato se dê a chance que merece, meu pescoço está doendo um tanto e devo ir para o hospital(minha namorada me convenceu a ir). Vou tentar ajudá-lo, se não for possível, ajudarei minha mãe com a separação. Espero muito que as coisas deem certo.
Primeiramente, me desculpem caso esse tipo de post não devesse estar aqui, eu pretendia escrever em um local como relationship_advice mas em inglês talvez as coisas ficassem mais incompreesíveis do que já estão.
Procuro apenas visões sobre a situação em que me encontro, já ajudei bastante gente pela internet, é minha primeira vez procurando ajuda e me "expondo". Bem não quero escrever um mega texto, conforme os possíveis comentários eu posso ir oferecendo mais e melhores detalhes, mas aqui vai um tantinho sobre mim: Tenho 20+ anos, estudo de maneira autoditada sobre ciência da computação, desde pequeno gosto principalmente de computadores, linguagem e física, atualmente faço freelances em cybersecurity(consultoria, bug bounties e reversing de malware) e tento fazer o possível pra estudar um pouquinho a cada dia.
Consigo dinheiro para pagar minha internet, presentes pra minha namorada e as vezes sobra um tantinho também para investir, mas me sinto mais destruído a cada dia... Minha namorada que também é minha única amizade simplesmente tem sido tudo que me dá forças nos últimos 3 anos. Devo a ela grande parte do progresso que tenho tido em minha vida, caso ela veja isso, eu te amo muito meu anjo, muito obrigado.
Bem, meu pai tem 60+ anos, é aposentado pelo exército, e hoje trabalha como vigilante, madrugada sim, madrugada não. Tem duas filhas com outra mulher que o expulsou de casa(recentemente descobri que a mãe dele também o expulsou), porém ele ainda o envia dinheiro pra eles e paga o aluguel, até ano passado ele no papel ainda era casado com essa outra mulher, depois de muita luta minha mãe conseguiu a "União Estável"(A outra mulher ainda se achou no direito de tirar metade do pouco que ele tem...). Ele ajuda com as contas de luz, água e leva minha mãe no carro quando é preciso, as vezes resiste um pouco, mas nunca o vi negar isso.
Bem talvez já esteja óbvio, eu ainda moro com meus pais, e sinto que as coisas são mais difíceis do que o necessário há muito tempo, infelizmente grande parte da minha memória parece ter sido apagada, acredito que por conta da depressão que tive a partir de meus 13 anos e não ter tido amizades pra reforçar as lembranças... mas tenho lembranças de minha mãe chorando, deles brigando diariamente, meu pai insultando tanto a mim quanto ela, e nós sempre ficando calados diante dessas atitudes. Nós dois sempre vivemos com medo de errar, eu sempre vivi com medo de contrariá-lo e até de brincar com ele, mas eu tive o privilégio de conseguir viver mais tempo olhando pra uma tela e estudando, fugindo dessa realidade, já minha mãe teve e meio que ainda tem que conviver com ele diariamente(não tanto nos últimos tempos porque comprei um celular pra ela) uma cama pra finalmente conseguir dormir(o que claro deixou meu pai triste :\) e uma Smart TV(ela sempre quis uma), ela internou duas vezes nos últimos 4 meses por estar com fortes enxaquecas, o médico me puxou para um canto e me disse o que eu já suspeitava "Isso é psicológico, puro estresse"
Há pouco mais de 1 ano minha mãe me contou que meu pai anteriormente deu um soco nela, e no dia que ouvi isso eu simplesmente fiquei triste, eu não esperava isso dele, apesar das más experiências... na verdade eu até imaginava que algum dia ele podia partir para a violência, ele sempre foi muito raivoso, mas eu não consegui acreditar que isso já havia acontecido... Bem, meu pai sempre foi de acusar a gente de cometer erros, de fazer o que na verdade ele faz com a gente "Vocês xingam" nunca o xingamos... "Vocês não me deixam falar" Só comecei a interrompê-lo de um ano pra cá, mas já quis fazer isso incontáveis vezes no passado, quando ele não foi capaz de perceber que estávamos desconfortáveis com o que ele estava falando ou até em vezes que vi ele sendo injusto "Vocês não falam direito e querem que eu adivinhe" Logo adiante verão que ele quem fez isso hoje mais cedo... "Vocês querem me deixar louco" O que eu posso dizer que durante minha crise por volta dos 14 anos eu também desenvolvi uma paranóia aonde eu achava que todos queriam me fazer algum mal, todos eram inimigos, isso colaborou muito no meu isolamento, sem amizades, sozinho, apenas consumindo livros e passando muitas madrugadas ouvindo a mesma entrevista do Richard Feynman em loop. Bem, certo dia eu tirei coragem de algum canto, e nesse dia conheci o amor da minha vida, com ela aprendi e tenho aprendido como eu provavelmente cresci em um ambiente um tanto hostil... mas eu nunca levei essa ideia muito a sério...
Eu sempre fui chamado de burro, tanto pelas crianças a minha volta durante a infância, quanto pelo meu pai de diferentes maneiras, e confesso que eu de fato sou um tanto lentinho(apesar de minha mãe dizer que eu falo muito rápido), já fui chamado de "retardado" por uma professora de inglês e durante muito tempo eu fracassei miseravelmente em contas matemáticas porque eu simplesmente não entendia os "porquês" por trás das regras... mas na internet encontrei o necessário pra certo dia conseguir ser chamado de "inteligente" apesar de nunca ter buscado isso, apenas me distanciei das pessoas e fiquei estudando, foram duas professoras, de química e história, também deixei um professor de matemática muito orgulhoso com minha apresentação falando sobre os planetas do sistema solar e minha explicação sobre as equações descritivas da gravidade, ele foi o professor que despertou meu interesse por matemática, ele me explicou que existia lógica por trás das regrinhas, um dos melhores dias da minha vida
Já me consultei com quatro psiquiatras e uma psicóloga, mas foi no meu primeiro psiquiatra por volta dos 14 que eu acho que devo ter tido a dica de qual era meu real problema, naquele consultório eu chorei bastante nos momentos que ele perguntou sobre meu pai, infelizmente meus pais me tiraram de lá porque achavam que ele pensava demais ao invés de dar uma solução. "Ele é meio bobo" esse foi o comentário do meu pai sobre o médico, pode não parecer um comentário tão ruim, mas o "bobo" dele pra mim é algo já bastante carregado. Pois bem, estou escrevendo muito, tá quase uma copypasta isso... Indo direto ao ponto... eu subi num pé de laranja que temos atrás de casa, inclusive agradecendo por poder comer laranjas que meu pai cultiva, então ele entrou em casa irritado dizendo "Não entendo porque a mãe(sim ele chama a esposa de "mãe"...) faz certas coisas..."
Minha mãe então começou a retrucar "O que eu fiz?" "Qual foi meu erro?" E ele não estava (como de costume) comunicando diretamente o que ele viu de errado, não estava facilitando pra ela... ele tende a achar que os outros não merecem facilitação(porque ele diz que nunca teve)
Essa foi nossa segunda grande briga, na primeira vez eu levantei o tom com ele, choramos... nos abraçamos... eu falei pra ele como eu admirava ele apesar dos erros, e tentei dizer pra ele como ele precisava aprender a ser mais querido com sua esposa e começar a pedir desculpas... as coisas não mudaram muito
Bem, hoje eu resolvi me meter de novo nessa discussão deles "Qual o problema pai?" "Sua mãe disse que trocou a água dos cachorrinhos, eu fui lá e a panela não foi trocada" São cachorros pequenos que ficam no terreno nos fundos de casa
Eu acabei insistindo no fato dele ter demorado tanto pra falar o problema
"Tá mas por que você não falou logo qual era o problema pra mãe?"
"Não adianta, vocês querem me deixar louco" "Eu não quero te deixar louco, eu estou comendo laranja"
"Vão lá atrás os dois e vejam aonde tá a água"
E de fato minha mãe esqueceu de dar água para os cachorros, mas eu tentei tranquilizar a situação
"Tudo bem pai, a mãe errou faz parte, eu levo lá pra eles a água"
Eu o ouvi resmungando, e infelizmente eu já não lembro mais o que foi dito a partir daqui...
Mas quando eu voltei eu disse "Negativo!" com um tom de voz alto e levantando o dedo, eu sei que eu estava tentando mostrar pra ele como ele mais uma vez estava invertendo as coisas...
Meu pai se levantou, veio até mim e eu me afastei, meu pai continuou vindo até mim e eu o empurrei, foi então que ele começou a apertar meu pescoço... Eu coloquei minhas mãos no pescoço dele também e o empurrei pra longe Ele ficou dizendo "Quer me bater?" e eu fiquei dizendo que não, minha mãe se meteu no meio e ele ficou me olhando com raiva e acho que ele tentou mais uma vez vir pra cima de mim "Por que você fez isso?" "Você se acha mais forte do que eu!" Dessa vez ele estava levantando a voz e o dedo "Você já vem me ameaçando há muito tempo!" Eu disse pra ele que não, não era minha intenção ameaçá-lo, ele disse que eu o ameacei ao levantar o dedo e minha voz Pela... milésima vez escutei minha mãe dizer " Isso passou dos limites, não dá mais"
E bem... meu pai disse "Você ainda vai perder teu pai" e eu retruquei "E você ainda vai perder teu filho" Ele foi lá para os fundos, com as mãos nos ouvidos(ele costuma fazer isso) mas dessa vez como na primeira eu insisti... eu conversei com ele mais uma vez... ele chorou quando falei sobre o que eu acho que ele sente... choramos bastante Basicamente ele passou pelo mesmo abuso durante a infância e tem cometidos erros porque não teve um amigo pra lhe dizer as coisas que eu o tenho dito nesses últimos meses além de sempre ter se negado a ceder a um "idiota que não resolve nada" vulgo psicólogo, ele não é fã de pessoas "que se acham"... enquanto isso ele diz coisas como "Eu to sempre certo" Mas bem... nos abraçamos de novo, eu pedi desculpas por levantar o dedo e a voz com ele, ele botou as mãos no meu pescoço fazendo carinho e chorando e disse algo como "Você sabe que minhas mãos não querem te fazer mal"
Minha mãe tinha uma viagem pra ir... cancelou... a convenci de ir já que já estava paga e acredito que pode ser bom pra ela...
Meu pescoço dói bastante ainda, e minha mãe tirou fotos das marcas que ficaram(eu nem havia notado tais marcas, não costumo me olhar no espelho) Eu devo fazer BO? Dói pensar em fazer isso...
Eu não sei ao certo porque minha mãe não se separou dele, ela disse já ter tentado mas parece que "ele não sai, e eu não vou deixar minha casa" mas hoje eu tendo a achar que é por conta de eu ainda não ter um carro(tentei tirar a CNH mas a porcaria do carro no dia da prova deu problema nas 4 semanas que fui, por sermos uma família não comunicativa nem sequer processamos a auto-escola(meu pai pagou as aulas))
Bem... por enquanto é isso jovens, estou com medo, bastante triste, mas com esperança de que posso conseguir ajudar meu pai a resolver os problemas que ele não resolveu até hoje. Eu quero ele bem, só tenho medo de não estar vendo as coisas como talvez eu deveria... Eu disse pra ele que não vou relevar esse dia acima da boa pessoa que sei que ele é, meus pais não se amam mais, eu disse isso pra ele, ele parece ter concordado com essa afirmação. É uma situação aonde duas pessoas boas juntas se tornaram ruins, e infelizmente eu estou no meio dessa confusão. No momento vejo dois caminhos possíveis, eu início o "tratamento" dele conversando com ele como nunca fizemos antes na esperança dele considerar ajuda profissional, e caso eu não veja isso como possível, farei o possível pra ajudar minha mãe a se separar dele. É
Obrigado de verdade por ler um pouco sobre mim, desculpe pelo péssimo texto, cabeça tá meio zoada.
submitted by IWishIWasMoreLikeMe to brasilivre [link] [comments]


2019.10.06 04:28 altovaliriano Eddard Stark

George R. R. Martin reiteradamente afirma que nenhum personagem está a salvo da morte, uma noção que ele lapidou muito habilidosamente para estabelecer na saga. A primeira pedra da fundação desta estrutura é lançada com Eddard "Ned" Stark, ao final de A Guerra dos Tronos.
Ned é visto como personagem central do primeiro livro, no qual ele é apresentado como um pai amoroso, marido dedicado, amigo querido, líder confiável, vassalo leal, homem devoto e cumpridor de sua palavra e deveres. Estas qualidades são apontadas como as razões pela qual os leitores o identificam como o herói da história e alguém para quem torcer.
A história do personagem todos sabemos. Ned estava feliz no Norte com sua família quando notícias de que seu antigo protetor e pai de criação teria sido assassinado e seu rei (e amigo de infância) o nomeia como substituto no cargo de Mão do Rei. Desde o momento em que Ned aceita (relutante) o cargo, sua família começa sofrer com os atritos políticos entre Eddard e a família da Rainha. Em Porto Real, Eddard vai de peixe fora d'água a persona non grata enquanto investiga as circunstâncias da morte de Jon Arryn, até que perde todo o apoio político que tinha na capital com a morte do Rei Robert. Eddard tenta fazer justiça, mas é traído, humilhado e acaba por sequer ganhar a misericórdia que lhe foi prometida.
É muito apontado que Ricardo Plantageneta, o 3º Duque de York (1411-1460) seria a inspiração histórica de GRRM para Eddard Stark. O líder de sua Casa de York nos primeiros anos da Guerra das Rosas havia sido nomeado como Lorde Protetor e Regente da Coroa quando o Rei Henrique VI sofreu um colapso nervoso, traiu a Coroa e enfrentou a Rainha Margaret de Anjou, da Casa de Lancaster, mas acabou derrotado e teve sua cabeça exposta nos portões da cidade de York.
Outra inspiração histórica apontada é um dos filho de Ricardo, que viria a reinar como Ricardo III, que havia tentado usar o testamento de Eduardo IV para se tornar regente de Eduardo V... somente para depois anular o casamento de sua cunhada Elizabeth Woodville com o irmão, declarar seus sobrinhos como bastardos e tomar o trono para si. No fim, foi derrotado pelos filhos do primeiro casamento de Elizabeth.
Mas nenhuma dessas personalidades históricas pode ser tomada como referência direta à Eddard Stark, uma vez que a forma como Martin retratou Eddard parece ter sido moldada tendo em vista as necessidades da ficção e não como um estudo da história do mundo real. Portanto, é necessário avaliar a construção da personalidade de Ned Stark dentro das exigências de "As Crônicas de Gelo e Fogo".
Assim, para entender Eddard, proponho questionarmos sua criação, suas relações pessoais e suas relações políticas.
EDDARD, O ANIMAL HUMANO
Eddard nasceu como segundo filho de Rickard e Lyarra Karstark, mas sem demora foi substituído como caçula por Lyanna e Benjen. Ser um filho do meio já evoca uma série de questões sobre auto-estima e favoritismo em um núcleo familiar, especialmente em uma sociedade como a de Westeros, em que toda a fortuna da família é passada apenas para o primeiro herdeiro na linha de sucessão.
Tudo isto parecia ser verdade na família Stark. Ned relata que foi seu irmão mais velho, Brandon, quem recebeu toda a educação senhorial e era tido como o próximo senhor, até mesmo por Eddard, que não nutria nenhuma esperança de herdar Winterfell.
Neste contexto, o papel que um segundo irmão deveria desempenhar era o de leal vassalo do irmão mais velho. Não sabemos se a personalidade de Eddard foi determinante para que ele absorvesse essa postura ou se estas lições lhe foram passadas por seus pais ou por Jon Arryn. Contudo, sabemos que é assim que Eddard entendia seu papel dentro de sua família. Afinal, foram a estas lições que ele recorreu quando explicou a seu segundo filho, Bran, qual deveria ser seu papel diante do primogênito Robb.
De todo modo, se seu papel secundário e instrumental não estava claro durante sua infância em Winterfell, deve ter ficado muito claro quando foi enviado para o Ninho da Águia, para ser criado por um estranho. Ao contrário de Robert, Ned parece ter voltado pouco para a sede de sua Casa durante sua adolescência, fazendo com que seus laços com sua família e os nortenhos fossem notoriamente mais fracos do que os de Brandon, que foi criado em Vila Acidentada. Na verdade, Brandon era de tal carisma que conquistaria amigos até mesmo no Vale de Arryn.
Por outro lado, Ned é descrito como tímido, reservado, com aparência solene, coração e olhos gelados que parecem julgar os outros com desdém. Talvez isso tenha sido desenvolvido depois de adulto, e em razão das adversidades que enfrentou. Talvez estas características estivessem com ele desde que ele fosse criança. Assim, é possível que tenha deixado poucas amizades para trás quando partiu com oito anos para o Ninho da Águia.
Uma vez sob a tutela de Jon Arryn, a vida parece ter sido diferente. Como Jon Arryn havia perdido sua segunda esposa, irmão e sobrinho e não tinha filho algum, Robert e Ned eram como se fossem seus filhos mais velho e mais novo, respectivamente. Durante os nove anos que ficou por lá, é imaginável que Eddard tenha recebido muito mais deferências do que recebia de seu próprio pai em Winterfell.
Na verdade, a propalada honra de Ned Stark pode ser mais fruto de sua criação junto a Arryn do que derivada dos Stark. Não só porque a honra é uma das marcas daquela outra Casa ("Alto como a honra"), como o próprio Jon Arryn demonstrou que punha a honra frente a cega obediência (como quando se recusou a entregar Robert e Ned a Aerys e iniciou uma Rebelião por isso).
Já sobre os Stark de Rickard, por sua vez, paira uma suspeita de que tinham tanta sede de poder e influência quanto tinham de sangue (o tal "sangue de lobo"). Talvez por isso também que sejam tão notórias as diferenças entre Eddard e seus irmãos. Para além de uma mera incompatibilidade de gênios, pode ter havido uma incompatibilidade de criação.
Eddard não deixou de amar os irmãos, entretanto. Ainda que ele condene as atitudes de Brandon e Lyanna, Ned encomendou estátuas mortuárias para todos eles nas criptas de Winterfell, algo inédito na tradição Stark, que demonstra quão profundamente sentimental ele era, especialmente para seus familiares que tiveram um fim trágico.
Contudo, as vezes parece que a verdadeira família de Eddard, aquela que era dona de seu coração era triângulo que formava com Jon Arryn e Robert Baratheon. De fato, ao saber primeiro da morte de Arryn e depois da visita de Robert logo no começo de A Guerra dos Tronos, Ned vai da escuridão a luz: ele perdeu uma parte importante de sua família postiça, mas outra está a caminho para uma visita inesperada.
Por alguma razão que eu ainda não entendo completamente, entretanto, Ned parecia amar Lyanna acima até mesmo de Robert (apesar de ele achar que Robert tinha uma devoção por ela ainda maior do que a dele - AGOT, Eddard I). Nas memórias de Eddard, Lyanna era uma "menina-mulher de inigualável encanto" e, se foram verdade as especulações de que Lyanna o teria visitado às vezes enquanto ele esteve no Vale, poderia ser um indício de que entre ele e Lyanna havia uma intimidade ímpar na família Stark.
Durante "A Guerra dos Tronos", há vários instantes em que essa intimidade e as promessas que Lyanna requereu em seu leito de morte ecoaram. Mas um dos momentos que eu julgo mais significativo foi quando Robert, também em seu leito de morte, cita e imita Lyanna:
Saudarei Lyanna por você, Ned. Tome conta dos meus filhos por mim. [...]
– Eu… defenderei seus filhos como se fossem meus – respondeu lentamente.
(AGOT, Eddard XIII)
Esta coincidência parece indicar que Lyanna e Robert foram as figuras fraternas centrais na vida de Eddard.
NED, PARA OS ÍNTIMOS
Já foram explorados acima vários aspectos da personalidade íntima de Ned. Mas é preciso discriminar melhor. E o primeiro deles se refere à visão que, durante a infância, Ned tinha de sua família e vice-versa.
Sobre seu pai e mãe, pouco conhecemos através de Ned. E isso parece indicar que há uma distância, tanto porque não era um filho com deferência de nenhum deles, quanto porque ele desenvolveu sua psicologia longe de casa, sob a tutela de sua icônica figura paterna, Jon Arryn.
Sobre seus irmãos, Ned passou a vida à sombra de Brandon (sendo suplantado por ele até na tarefa de conseguir para si próprio uma dança com a garota por quem ele se apaixonou), mas até parecia apreciar esta posição, pois sentia-se mais confortável na posição de irmão cumpridor de seu dever.
Quanto à Lyanna, há muitos indícios de sua intimidade, o que talvez decorresse de seu temperamento analítico, em contraste com o sangue de loba dela. O modo como Eddard tentou persuadir Lyanna de que Robert seria um bom partido parece revelar que Eddard pensava ter algum influência sobre ela. Ao mesmo tempo, Eddard afirma que Robert não conhecia a garota como ele. Pode ser, inclusive, que a falta de de rancor de Eddard por Rhaegar e sua reação mais moderada quando o príncipe a coroou Rainha da Beleza e do Amor em Harrenhal decorram de um certo conhecimento sobre a natureza de Lyanna e de como ela poderia estar correspondendo àquilo.
Sobre Benjen, o relacionamento com Eddard parece mais distante. É curioso pensar que, sendo o outro único filho sobrevivente de Rickard e Lyarra, somente tenha se aproximado melhor de Ned nos anos entre o fim da Rebelião de Robert e seu ingresso para a Patrulha da Noite. É possível, inclusive, que essa falta de intimidade, aliada com o fato de Ned já ter retornado a Winterfell com dois filhos homens, tenham sido decisiva na decisão de Benjen ir para a Muralha.
O segundo aspecto da personalidade íntima de Eddard é como ele se portou durante sua idade adulta, enquanto fazia amigos, vivia amores e formava uma família.
Eddard nunca é descrito como sendo um homem atraente ou um amante encantador. Na verdade, Catelyn fala como ficou desapontada com ele ser mais baixo e melancólico e ter um rosto mais simples que o de Brandon. Mas ela afirma que com o tempo descobriu o amor no coração "bom e doce" de Ned.
É interessante notar que essa foi a mesma opinião que ela deu sobre o Norte a Lynesse Hightower:
Lembrava-se de como a Senhora Lynesse era jovem, bela e infeliz. Uma noite, após várias taças de vinho, confessara a Catelyn que o Norte não era lugar para uma Hightower de Vilavelha.
– Houve uma Tully de Correrrio que sentiu o mesmo um dia – Catelyn respondeu com gentileza, tentando consolá-la –, mas, com o tempo, encontrou aqui muitas coisas que podia amar.
(ASOS, Catelyn V)
Portanto, Ned é uma alegoria do Norte: inóspito, simples e melancólico, mas que guarda algum tipo beleza e calor. A próprioa Lyanna é descrita como uma bruta por alguns (meistre Yandel) e uma beleza selvagem por outros (Kevan Lannister). Sabemos que Ned não tinha a natureza da irmã, mas poderia ter um pouco dessa beleza selvagem? Talvez Ashara o tenha visto sob essa ótica? Talvez nunca saberemos.
O que sabemos com certeza é que Eddard era um marido dedicado, assim com Catelyn era uma esposa dedicada. Ironicamente, dois cumpridores de seu dever conseguiram fazer surgir amor em um casamento arranjado que era o substituto de outro casamento arranjado. A forma como Eddard se obrigou a respeitar até a crença religiosa da mulher é tocante (construindo um septo para ela e trazendo um septão a Winterfell).
Isto é diferente do tipo de amor que Robert tem por ele. A amizade entre os dois parece o típico caso em que um extrovertido carismático adota um introvertido sem amigos. Este tipo de relação - que é imposta por outra pessoa - parece ser o tipo com que Eddard lida bem. Ironicamente, poderíamos dizer que Ned só é amigo de seu "chefe", o que combina com sua lição a Jon de que um senhor nunca deve ser amigo dos homens que comanda (ADWD, Jon III).
Como pai, Ned era muito efetivo e marcou seus filhos profundamente. Podemos ver os resultados de sua criação naqueles que amadureceram antes de sua morte. Robb havia absorvido todo o dever, a honra e o senso de justiça do pai, se tornando um Eddard em pele de Tully. Jon seria sua imagem e semelhança, caso não fosse filho de outros e não tivesse sido acossado a vida inteira por Catelyn. Ainda assim, é incrível que toda essa adversidade não o tornou menos cópia de seu "pai". É notório que Jon é mais orgulhoso que Robb, mas isso é uma coisa sua, talvez um mecanismo de defesa, resultado de um complexo de inferioridade, ou apenas das falsas certezas da juventude.
Bran, Arya e Rickon eram jovens demais para que a influência do pai cristalizasse em sua personalidade. Portanto, eles hoje estão suscetíveis à influência de outras figuras paternas na jornada que enfrentam. Ainda assim, pequenas lições de Eddard continuam a ecoar neles mesmo anos mais tarde. Bran ainda se lembra sobre como seu pai dizia que apenas diante do medo os homens podem ser corajosos, e Arya procura uma matilha constantemente para não perecer como o lobo solitário 'quando os ventos brancos se erguerem'.
O caso oposto foi o que aconteceu com Theon Greyjoy. Nem todo o tratamento com deferência que lhe foi oferecido em Winterfell resultou em boas relações com Ned. Ainda que descontemos seu conflitos internos pessoais (assunto para outro texto), esta repulsa de Theon pode ser explicada pelo fato de que ele havia crescido e sido educado dentro de uma cultura que odeia os habitantes do continente, em especial os nortenhos. Portanto, diante da educação recebida nas Ilhas de Ferro e do tratamento solene que lhe era dirigido, não parece inverossímil que ele mais tarde alegue que era sempre lembrado de sua condição de prisioneiro e pense que Eddard era frio com ele.
Entretanto, como visto em A Dança dos Dragões, o verdadeiro ressentimento de Theon era saber que nunca seria parte da família Stark. De fato, havia semelhanças demais entre a história de Ned e Theon para que suponhamos que Ned não tivesse boa dose de tato quando eles se relacionavam. Ned também havia sido retirado de casa quando ainda era criança para ir morar com um estranho em uma terra estranha. Ainda que sua condição no Ninho da Águia fosse bastante menos opressora do que a de Theon em Winterfell, ninguém poderia dizer que Ned foi voluntariamente enviado para o Vale. Assim, As conclusões de Theon serão sempre injustas.
Mas esse não é o caso mais interessante e agudo entre as crianças criadas por Ned. O relacionamento mais desafiador e com mais consequência era aquele com sua filha Sansa. Comecemos por dizer que não havia nada afetivamente errado entre eles, mas as circunstâncias tornaram as falhas deste relacionamento em um sintoma do que havia de errado no próprio Eddard como Mão do Rei. Em síntese, os erros de Sansa também foram erros de Ned.
Durante os eventos sinistros que ocorreram em A Guerra dos Tronos, Ned repetidamente deixa suas filhas no escuro sobre o que realmente estava se passando. Em razão da diferença de naturezas, Arya e Sansa têm respostas diferentes às situações. Eddard tem mais sucesso em apaziguar Arya, cujas semelhanças com Lyanna podem ter ajudado com que ele a compreende-se melhor (veja: Eddard até permitiu que Arya tivesse treinamento em armas quando sabe-se que o próprio Lorde Rickard não o permitiu a Lyanna).
Contudo, Sansa não é uma garota que tinha 'ferro por baixo da beleza', como Lyanna. Sansa é a garota para quem 'a cortesia era a armadura de uma dama'. E é justamente aqui esta a falha de Eddard. Ned não tem traquejo social, não entende de sutilezas e acaba traído e executado justamente por isso. Portanto, não é nenhum coincidência ou ironia que Sansa esteja sob a tutela e controle do homem que conhecia o suficiente de sutilezas para, por exemplo, trair e garantir a execução de Ned e ainda sair de mãos limpas e levando a filha que Ned não soube lidar adequadamente.
Mas a bizarra relação pai-filha entre Mindinho e Sansa é assunto para outro texto.
LORDE EDDARD STARK
Eddard Stark foi Lorde de Winterfell e guardião do Norte por 15 anos e é amado o suficiente na região para que pessoas arrisquem as próprias vidas em intrigas e guerras para proteger seus filhos. Mas se era Brandon quem teve a educação senhorial adequada e Ned não é carismático ou tem traquejo social, como isso é possível? Muito facilmente, alguém responderia que isso se deve a um longo verão de 10 anos. Mas não é só isso, á traços da personalidade de Eddard que o tornam um bom senhor.
O primeiro deriva de uma afirmação de Catelyn lembranda por Arya quando viu Tywin Lannister em Harrenhal:
Lorde Lannister tinha um aspecto forte para um velho, com rígidas suíças douradas e uma cabeça calva. Havia algo no seu rosto que fazia Arya lembrar-se de seu pai, embora não se parecessem em nada. Tem uma cara de senhor, é só isso, disse a si mesma. Lembrava-se de ouvir a senhora sua mãe dizer ao pai para envergar a cara de senhor e ir tratar de algum assunto. O pai ria daquilo. Arya não conseguia imaginar Lorde Tywin rindo de qualquer coisa.
(ACOK, Arya VII)
Como se vê, Eddard tinha cara de Lorde. O suficiente para ser comparável a ninguém menos do que Tywin Lannister. Pode parecer irrelevante, mas é algo que o próprio Bran também nota, como Eddard assumia o rosto do Senhor de Winterfell logo no primeira capítulo do primeiro livro.
O segundo é que Ned não faz separação entre o público e o privado. Sua relação com seus próprios servos é muito pessoal. A ponto de achar que o Senhor devia ceiar com seus homens e conhecê-los, para que eles não morram por um estranho (AGOT, Arya II). Esta tipo de política pessoal é tipicamente nortenha. É o tipo de política que mais tarde Jon Snow indica a Stannis Baratheon a seguir: deixe que eles lhe conheçam e eles lhe seguirão.
Este tipo de política, contudo, não é o que seria útil em Porto Real. Mas também este erro não pode ser atribuído totalmente a Ned. O primeiro erro foi de Robert, que selecionou Ned com base na confiança, não em suas competências. Caso Robert, tivesse olhado para sua própria família (como Stannis esperava, por isso que ele partiu para Pedra do Dragão depois que Robert o pulou), talvez o conflito contra os Lannister teria sido muito mais restrito e menos danoso ao reino.
Havia sinais que Robert deixou de ler quando selecionou Eddard para o cargo de Mão. O primeiro era que Eddard era essencialmente um soldado. Jaime Lannister, quando avalia Randyll Tarly como candidato a Mão de Tommen, ele avalia que um soldado é uma "fraca Mão para tempos de paz" (AFFC, Cersei II). E isto é especialmente verdade quando notamos que Eddard é um agente político sem agenda ou ambição. Na ausência de um conflito real, ele é apenas alguém segurando a cadeira para outra pessoa (e que não via a hora de ir embora).
Talvez tenha sido o fato de que Ned continuou no Norte a se portar como um segundo irmão obediente e não causar problemas a Porto Real que tenha feito Robert pensar que Lorde Stark daria uma boa mão. Mas a postura isolacionista de Eddard deveria ter funcionado como um sinal de que o homem não saberia lidar com costumes da política sulista.
Porém, no final, Robert preferiu algo que lhe trouxesse conforto e familiaridade. E a falta de traquejo de Ned cobrou seu preço. Desde o primeiro encontro com o conselho, Eddard demonstrou que não tinha talento para fazer aliados, não estava acostumado a não ter a palavra final e tinha uma retórica rudimentar. Todas estas qualidades reunidas fazem de uma pessoa um imã de inimizades.
Fora isso, Ned não se cercou de pessoas que poderia confiar, tampouco agiu para a destituição de pessoas de quem ele desconfiava do conselho do rei (o que seria de alguma fácil de conseguir, já que metade do conselho era de baixo nascimento).
Por fim, quando seus erros de cálculo se acumularam e circunstância fora de seu controle se mostraram desfavoráveis, Eddard julgou que poderia usar seu cargo e uma força mercenária (patrulheiros da cidade subornados) para resolver tudo e cometeu mais um erro de subestimar Cersei, dando-lhe uma chance de fugir, no que ele classificou como "a loucura da misericórida".
No final, os Lannisters usaram sua própria honra contra ele, fazendo com que ele confessasse ter fabricado a verdade pela qual seus homens morreram em seu golpe de estado fracassado.
EDDARD, O MORTO
Primeiro, temos que afirmar o óbvio: Ned não está vivendo uma segunda vida em algum pombo em Porto Real, como afirma a infame e bizarra teoria. Nós estivemos na cabeça de Eddard e ele nunca teve sonhos de warg ou qualquer experiência de troca-peles.
Mas, fora de questões lúdicas, por que Martin matou Ned?
Algumas pessoas pensam que, ao matá-lo, GRRM estava dando o tom dos livros. Pessoas sem capacidade de se adaptar não estariam aptos a serem parte do jogo dos tronos e seriam alvo fácil para jogadores mais talentosos e experientes.
Outros afirmam que foi justamente para mostrar que assim eram as políticas medievais, e que Martin está apenas sendo realista e fiel ao tom da história de nosso mundo. Porém, Martin já afirmou enfaticamente não ter ou defender uma visão niilista do mundo.
Eu gostaria de propor uma terceira via: que Ned foi morto por circunstâncias fora de seu controle. Afinal, no fim, sua morte não era prevista nem por seus inimigos. Foi apenas um capricho de Joffrey, assim como a tentativa de assassinato de Bran.
Qualquer que tenha sido a razão para Ned morrer pela própria espada que ele executa Gared no início dos livros, a morte de Eddard aparentemente já era prenunciada (foreshadowed) desde o começo do livro, com a descoberta a loba gigante morta e seus filhotes desamparados perdidos no mundo.
submitted by altovaliriano to Valiria [link] [comments]


2019.04.24 02:30 Spookycliquebr Twenty One Pilots para a NME [traduzido]

As filiais da B&Q em Birmingham devem estar fazendo um grande comércio de fita adesiva amarela. Fora do Resort World Arena da cidade, em 27 de fevereiro, os adolescentes estão aplicando-o avidamente ao uniforme verde do exército. À medida que mais tropas descem - com lenços de pescoço amarelos usados ​​como máscaras - é como um elenco para uma versão júnior de The Purge.
Os espectadores podem ser perdoados por presumir que uma demonstração Anônima vai acontecer, mas esta é a Skeleton Clique, superfanbase ferozmente dedicada de Twenty One Pilots, esperando do lado de fora do local seis horas antes do duo de Ohio estar no palco para dar o pontapé inicial no Reino Unido de sua gigantesca Bandito Tour.
Eles fizeram meticulosamente cosplay dos uniformes do vocalista Tyler Joseph e do baterista Josh Dun na arte e vídeos apocalípticos de seu último álbum, "Trench". Alguns se sentam esboçando fotos de seus ídolos. Um aperta um banner estampado com as palavras "VOCÊ SALVOU MINHA VIDA".
É apropriado, porque Twenty One Pilots - com seus principais temas de insegurança, saúde mental e fé - é uma banda perfeita para salvar a vida, uma referência para aqueles que acham que ninguém os entende.
No papel, no entanto, eles são desafiadoramente estranhos. Com "Trench", eles criaram um mundo mítico de alto conceito - que pode confundir até mesmo os roteiristas de Lost. Vagamente, sua trama diz respeito a uma cidade alegórica chamada Dema e os nove bispos ditatoriais que impedem seus habitantes de escapar - e a força rebelde de bandidos que buscam libertá-los. Mas há muito mais do que isso.
Longos sub-threads Reddit são dedicados a decodificar significados ocultos em músicas e decifrar pistas em cada peça de mídia que a banda lança. Há muitos ovos de páscoa: por exemplo, o nome completo de 'Nico' da música 'Nico e os Niners' - um grande inimigo - é Nicolas Bourbaki, que é o pseudônimo coletivo para os cientistas que inventaram a notação de zero - o ø usado na marca de twenty one pilots.
Musicalmente, eles são igualmente pouco convencionais: uma geração Spotify pós-gênero mistura de estilos que facilmente se exercitam através do rap, reggae, R&B, prog, electro-pop, indie - basicamente, eles voltaram a mão para tudo “Canto da garganta mongol”. No entanto, de alguma forma, é verdade que "Blurryface" - seu quarto álbum inovador - enviou o duo estratosférico em 2015, permitindo que o baterista Josh Dun fizesse seus backflips de marca regristrada nos maiores palcos do mundo.
Nos bastidores da arena, os assistentes [de palco] estão montando a elaborada e visualmente espetacular produção de Bandito, que envolve um carro em chamas, e dublê [de corpo] que permitem que um Tyler vestido de capuz desapareça e reapareça, como Houdini, no meio da música, em diferentes partes da arena.
Versões de brinquedos peludos do Ned - o personagem CGI gremlin que eles introduziram recentemente no vídeo "Chlorine" - sobre os alto-falantes. Quando nós primeiro pegamos um vislumbre de Josh - conhecido por suas acrobacias - ele está tocando bateria de ar e fazendo piruetas no ar para suas próprias músicas. Mais tarde, ele e Tyler brigam com os aspiradores de pó que estão sendo usados ​​para aspirar o palco.
Mas eles têm foco de laser. Na música de "Trench", "Bandito", Tyler canta: "Eu criei este mundo para poder sentir algum controle", e você acha que isso se estende a todos os aspectos da banda. Sua pequena equipe de proteção vem de sua cidade natal, Columbus, e tudo o que a NME faz com a banda acontece sob o olhar atento de seu círculo íntimo.
Durante nosso bate-papo de 70 minutos, o gerente da turnê está parado na porta do camarim, aumentando a sensação de que você pode ser transportado para um bunker, emergindo meses depois, reprogramado e enrolado em uma fita adesiva amarela.
Felizmente, a banda é charmosa e solícita. O principal compositor, Tyler, vacila de ser intenso a imbecil ("Nós passamos tanto tempo juntos, eu sinto que sei tudo sobre John", ele brinca com Josh).
Quando ele está dizendo algo revelador, evita o contato visual. Josh é seu lastro lúdico, tendendo a sentar em silêncio e participar apenas quando há uma piada. Nem xinga - nem sequer uma vez. Tendo vindo direto de uma sessão de autógrafos do HMV, Tyler está preocupado com sua voz. "Eu tentei não falar com nenhum deles, mas não posso evitar", diz ele. "Eu fico tipo: 'Muito obrigado por ter vindo, de onde você veio?'"
Eles parecem ser tocados pelos extremos aos quais seus apoiadores foram. Do lado de fora, os fãs até se agitaram vestidas como "bispos" em roupas vermelhas enquanto na Rússia, roupas de banana apareceram na multidão - uma piada sobre como Tyler e Josh, ambos com 30 anos, têm aversão à fruta.
"Nós fornecemos apenas alguns pedaços da inspiração, mas eles são os únicos que se tornaram o motor da coisa toda", diz Tyler. Além de Tyler uma vez "ficar na fila por oito horas, quando The Killers tocou minha cidade natal", nenhum deles foi a extremos extraordinários para seus grupos favoritos. “Nós desejamos que o nível de cultura dos fãs estivesse por perto quando éramos mais jovens”, observa Josh. "Porque muitas dessas histórias sobre como essas pessoas se conheceram e como elas se tornaram melhores amigas quando estão esperando na fila por horas e dias são inspiradoras e legais."
"Blurryface" tornou-se o primeiro disco da história a ter cada uma das músicas certificadas pelo menos em ouro. Quando eles colecionaram o Grammy em 2017 para Melhor Performance de Pop Duo / Grupo para o single "Stressed Out" (batendo Rhianna e Drake, e Sean Paul - um homem que os descreveu como "o novo Nirvana"), eles tiraram seus boxers em o caminho para o palco, lembrando-se de como uma vez eles assistiram ao show de premiação em suas calças em Columbus e disseram: 'Se algum dia ganharmos um Grammy, deveríamos recebê-lo assim'.
É indicativo de sua ambição. Tendo formado Twenty One Pilots como um trio na universidade em 2009, Tyler recrutou Josh e perdeu dois membros em 2011. “Desde o início, tínhamos grandes visões e sonhos de onde queríamos estar, então nada nos pegou de surpresa”, diz Josh , imperturbável. "O que seria mais surpreendente para as pessoas é quantas vezes nos olhamos e dissemos: 'Sim, é exatamente isso que imaginamos e o que vimos'.
Durante o ciclo "Blurryface", eles se lembram de vender pequenos clubes, teatros e arenas no mesmo ano. "Quando você diminui o zoom, você pode pensar: 'Ah, isso foi muito louco'", diz Josh. "Mas nós estávamos em turnê desde 2011 tocando em shows todas as noites, então você está perto demais para perceber isso. É como quando seu tio, que não o viu por um ano, chega e diz: "Você ficou muito alto".
As coisas mudaram, no entanto. Questionado sobre quem é o contato mais famoso em seu telefone, Tyler passa pela sua lista de contatos antes de parar em Chris Martin ("Isso é incrível de dizer em voz alta", ele ri) - o vocalista do Coldplay certa vez deixou uma mensagem de voz sobre a banda. Josh responde: Eu cresci ouvindo uma tonelada de Blink [182], então pensar que nos últimos anos eu me tornei amigo de Mark [Hoppus], é surreal. Quando eu era adolescente, eu nunca teria imaginado que iria trocar mensagens com ele.
Em outubro, quando lançaram 'Trench' - após um apagão de um ano sem envolvimento de mídias sociais ou shows, e uma trilha secreta para os fãs seguirem levando ao seu anúncio - ele só foi derrotado nas paradas por Lady Gaga e Bradley Cooper, com ‘Nasce Uma Estrela'.
Você pode argumentar que é igualmente cinematográfico: as pessoas sugeriram a Tyler que eles deveriam expandir suas promessas distópicas em um longa-metragem. "A intenção nunca foi, 'vamos escrever um disco que tenha força suficiente para se transformar em uma série da Netflix', mas é legal saber que criamos algo com substância suficiente para sabermos que essa pergunta está sendo feita", ele nega.
Além disso, embora camuflada na fantasia, e a mitologia Dema, com suas referências a religiões antigas como o zoroastrismo, "Trench" é, na verdade, uma dissertação sobre saúde mental do final de vinte anos. Nas composições, como nas conversas, Tyler diz suas coisas mais interessantes quando ele não olha nos seus olhos.
Tendo a narrativa preparada “durante anos”, ele tentou introduzi-la em “Blurryface”, cujo personagem principal é uma personificação de sua ansiedade e insegurança. Durante esse tempo, ele até se apresentou com as mãos e o pescoço revestidos de tinta preta - para representar o aperto tóxico de sua ansiedade. A maneira como ele descreve "Trench" é semelhante a um mapa psicanalítico do Google.
"É sobre usar a arte de contar histórias para entender melhor um problema muito menos fantástico que está navegando em sua própria psique e dando a ela um destino e lugares que você deve e não deve ir e os personagens que deve evitar. E isso pode ser encontrado dentro da luta de cada pessoa ”, diz Tyler.
"É interessante que 'Blurryface' - onde criei um personagem que representa tudo o que eu não gostei de mim mesmo e tudo o que estou tentando superar coincidentemente foi o álbum que realmente aconteceu para nós", continua ele. “O fato de sermos forçados a revisitá-lo todas as noites é uma lição valiosa em suas próprias inseguranças pessoais: você trabalha com isso, tenta superá-lo, mas nunca é algo que você pode simplesmente deixar de lado e se separar”.
Um trio de músicas em "Trench", Tyler se vê totalmente demitido e existe "fora da mitologia da série Netflix", como ele diz. 'Smithereens' é uma canção de amor bonitinha, dirigida por ukulele para sua esposa, Jenna Black, com quem ele se casou em 2015. 'Legend', entretanto, é uma homenagem ao seu avô, Bobby, que apareceu na capa do álbum de 2013 'Vessel 'ao lado do avô de Josh. Ele começou a escrever a faixa quando a demência de Bobby começou, mas seu avô faleceu em Março do ano passado, antes que pudesse ouvi-la.
Tyler: “Eu menciono nas letras: 'Eu gostaria que ela tivesse te conhecido.’ E eu estou falando da minha esposa, porque quando ela começou a aparecer, ele ficou pior. Ele costumava ser tão espirituoso e iluminava um quarto e mudava a dinâmica social de qualquer situação, e há centenas e centenas de histórias clássicas, mas quando ela chegou, ele estava indo depressa. Ele era imprevisível, não lembrava os nomes das pessoas, o que era um novo tipo de dor.”
Seus olhos parecem lacrimejar. “Meu pai me contou um momento no final - onde ele se lembrava do meu nome - e perguntou: 'O que o Tyler está fazendo?'. Ele sempre perguntava e meu pai tentava explicar: "Ele está em uma banda, toca música". E ele disse: "Bem, eu quero ouvir uma música".
E isso foi antes de eu escrever qualquer coisa para "Trench". Meu pai está dirigindo o carro e ele continua insistindo: "Bem, eu quero ouvir uma música!". E meu pai não tinha nenhuma música no carro. Por puro desespero, ele liga o rádio e agita o dial algumas vezes e uma de nossas músicas está ligada e ele pode dizer: "Lá - aí está ele e esta é a sua música".
“E assim, de uma maneira estranha, você pode pensar em todo o sucesso e reconhecimento que tivemos, foi apenas para preencher uma pequena história onde meu pai foi capaz de mostrar ao meu avô a música que eu escrevi naquele momento no rádio."
Em ‘Neon Gravestones’, tipo Post Malone, Tyler corre contra a alegoria de alguém tirando a própria vida de alguma forma "glamourosa" em vez de uma tragédia, cantando: "Na minha opinião, / Nossa cultura pode tratar uma derrota / Como se fosse uma vitória”, E a fetichização irresponsável do Clube 27 (“ Eu poderia desistir e aumentar minha reputação / eu poderia sair com um estrondo / Eles saberiam o meu nome”).
"Eu estava com medo dessa música", diz Tyler. “Então, essa música é muito preta e branca. Eu trabalhei duro em cada pronome. Porque eu sabia que era um assunto delicado, a última coisa que eu precisava era que alguém entendesse mal o que eu estava tentando dizer. Eu estava com medo de não me esconder atrás da metáfora. Eu entendo que há riscos em ser mal interpretado ou deturpado. Há uma chance absoluta de ofender as pessoas ou parecer desonra, mas eu realmente queria focar nas pessoas que estão aqui para ouvir. Eu queria apontar algo que gostaria de ouvir quando estiver passando por esses pensamentos.”
Tyler aplaude a nova geração de artistas falando abertamente sobre sua saúde mental e desabilitando o estigma. "Eu acho que nossa cultura, quando se trata de suicídio e depressão, deu um grande salto", diz ele. “Estou tão orgulhoso de que a música tenha liderado a capacidade de falar sobre isso tão abertamente, e falar sobre isso é muito importante. Então, de certa forma, eu realmente sinto que há um grande lado disso que tem sido coberto com "vamos falar sobre isso, tipo, você não é louco, não há nada de errado em apenas olhar quantas pessoas passam por isso".
"Trench" culmina com a abrangente "Leave The City", que Tyler descreveu como uma "crise de fé". Tanto ele como Josh foram criados em lares religiosos. O pai de Tyler era o diretor da escola cristã que ele freqüentava; quando Josh era mais jovem, a maioria da música secular foi banida, deixando-o para esconder contrabando de álbuns do Green Day debaixo da cama.
"Um dos equívocos é por causa de onde estamos e do que conquistamos - e porque as pessoas acham que temos um estilo de vida de rock louco - que aprendemos que não precisamos mais de Deus", explica Tyler. "E não é isso."
“Eu sou o tipo de pessoa que precisa desafiar tudo e minha fé é algo que eu sempre passei por temporadas fortemente desafiadoras e uma vez que eu coloquei em teste e vi o que é, eu sou capaz de aceitar isto. Durante 'Trench', houve momentos específicos em que você conseguiu ver onde eu estava em minhas temporadas de desafio e re-aceitação - e eu definitivamente estava passando por um momento desafiador. ”
“A questão é: preciso de Deus? A verdade é que não tenho resposta para isso alguns dias. Alguns dias eu tenho, e porque eu escrevo músicas, eu escrevo letras - você vai me ver entender. Não posso deixar de abordar esses tipos de perguntas porque é por isso que comecei a escrever músicas em primeiro lugar. ”
Essas grandes questões estão à espreita sob o capô de um carro muito brilhante. A razão pela qual twenty one pilots provaram ser tão bem sucedidos comercialmente é porque as próprias canções transbordam de ganchos. Você não precisa saber que "Leave The City" envolve uma crise existencial - ou exige um guia turístico para Dema - para aproveitar o fato de soar como M83 produzindo My Chemical Romance em sua pompa da Black Parade.
O que não pode ser exagerado é o quão divertido é o espetáculo ao vivo de Twenty One Pilots. Hoje à noite, eles se abrem com Josh segurando uma tocha acesa, incendiando um carro, e assistindo a fusileantes de shows de mágica de Vegas, kits de bateria de multidões, homens vestidos de Hazmat borrifando névoa na platéia, confetes e uma competição para encontrar o melhor pai dançarino.
Não é surpresa que Tyler diga que ele é competitivo: como alguém que já foi oferecido uma bolsa de basquete, pode ser. Coloque-o com outra banda e é como hamsters compartilhando uma jaula.
Quando eles assinaram com o emo-citadel Fueled by Ramen - lar dos amigos Paramore e Panic! At The Disco - Pete Wentz do Fall Out Boy levou-os sob sua asa para martelar isso fora deles. "Ele nos mostrou como ser bons irmãos", diz Tyler. "Quando começamos a tocar localmente, você estaria na lista com outras nove bandas. Você queria que eles explodissem, então você viria e roubaria o show. Quando saímos em turnê como o ato de abertura do Panic! e Fall Out Boy, nós tínhamos a mesma mentalidade, mas Pete disse: "Veja todas aquelas pessoas lá fora - vá e faça fãs".
"E eu nunca percebi...", diz ele com total sinceridade e sem nenhum traço de hipérbole em sua voz - "as pessoas poderiam ser fãs de mais de uma banda. Mas estaríamos mentindo se disséssemos que a vantagem competitiva desapareceu completamente. Queremos ser os melhores - e manter todos os outros afastados”.
Enquanto "Trench" foi escrito principalmente por Tyler em seu estúdio no porão em Columbus e enviado para Josh (que agora vive em Los Angeles), seu acompanhamento está sendo escrito na estrada. Ele irá aprofundar ainda mais no folclore de twenty one pilots. "Há um personagem sobre o qual não se fala que desempenha um grande papel e é provável que este seja o próximo passo", diz Tyler.
Josh, por sua vez, tem um casamento para se preparar, tendo se comprometido com a ex-aluna do Disney Channel, Debby Ryan, em Dezembro. Ele brinca que entrará na igreja com solos de bateria. Mas o que há em ambas as mentes é o final da turnê no Reino Unido - estrelando no Reading e Leeds em Agosto.
“Reading & Leeds é um dos primeiros festivais que assistíamos quando nos conhecíamos”, diz Tyler. “Nós assistíamos a vídeos na internet. Nos concentramos nesse programa há meses, no que a produção vai ser.”
Tyler olha para os sapatos, frustrado consigo mesmo. "Não consigo expressar exatamente como isso é importante, mas estamos muito animados em poder provar que esse é o lugar onde pertencemos. Nem todo mundo está lá na platéia para ver você e você tem que conquistá-los, você tem que trabalhar duro para eles. Há outras bandas tentando se destacar e estamos prontos para tirar a cabeça deles.”
Resistência - liderada por bandidos ou não - é fútil.
submitted by Spookycliquebr to u/Spookycliquebr [link] [comments]


2019.04.20 01:46 DocDepamine Eu sei lá, tá meio foda.

Eu tô numa fase ruim da minha vida. Tá uma merda. É isso. Uma bosta. Cu de bode. Pilha de fezes. Quilos de esterco. Está horrível.

Eu também tô desabafando agora em pura indecisão. Já enchi o saco demais dos meus (poucos) amigos com meus desabafos da minha vida atualmente horrenda, e tenho certeza que vou esquecer um milhão de coisas.

Tudo começou com meu HD quebrando. Minhas férias escolares estavam incríveis. Eu estava produzindo que nem louco. Estava escrevendo que nem louco. E digo eu, escrevendo muito bem. Tinha uns parágrafos geniais, incríveis, que até agora eu me orgulho. Meu laptop cai no chão num deslize filho duma puta. Literalmente, se eu tivesse usado três segundos pra empurrar ele um pouco mais para o meio da mesa, eu tinha salvado essa dor de cabeça. 16 de janeiro, dia que quebrou. Até agora não mandei pra consertar que mal tenho um tostão furado, imagina a fortuna que é pra arrumar essa porra. Daqui dois dias completo três meses de completa inatividade no meu projeto preferido. E não, não tenho backup nenhum. Façam backup. Agora.

Com essa inatividade e completa falta de vontade de fazer qualquer coisa, eu fiquei consideravelmente mais carrancudo e bem mais preguiçoso. Eu consigo ver isso. Eu consigo encostar na minha preguiça. Eu consigo encarar minha total falta de interesse e vontade de fazer qualquer coisa. Eu me desregulei. Eu perdi muito meu controle próprio. Eu tô com dificuldade pra acordar, eu tô estressado, eu tô burro, eu tô esquecendo das coisas, eu tô indo mal na escola como eu nunca fui antes, eu tô me sentindo todo dia TERRIVELMENTE solitário. Dia 14 eu dei um tempo em uma amizade de quase um ano. Ela estava sendo extremamente cuzona comigo, mas ainda assim, não tem como não se sentir sozinho.
Meus amigos mal saem comigo e eu nunca fui pra uma festa onde eu tivesse sido convidado. A primeira que eu fui convidado é de uma colega/amiga de sala minha. Festa de 15 anos, 08 de junho. Não faço a menor ideia de como vou me sentir. Não sou muito fã de música alta, odeio o pessoal da bebedeira e provavelmente vou ter um ataque de pânico 20 minutos dentro da festa.
Com essa solidão que me assola, comecei a andar sozinho, funcionou por um tempo. Agora encheu o saco. Comecei a sair sozinho de bicicleta, ainda tem uma chance que me sustente por mais um tempo. Comecei a mudar os caminhos pra ver coisas novas da cidade, mas normalmente passo sempre pelo mesmo.
Ser solteiro e pensar que a última vez que eu beijei alguém foi quando eu tinha 2 anos também não é as mil maravilhas. O pessoal ouve minhas histórias de quando eu saio sentado na magrela rodando pela cidade e acha que é incrível. Eu saio de casa sozinho pois caso contrário eu ficaria maluco da solidão. E não é como se eu odiasse ficar sozinho - eu amo! Mas o negócio é que agora eu nunca tô 100% sozinho. De tarde sempre tem minha irmã e os pedreiros reformando a nossa casa. E eu honestamente acho que estou tanto tempo sem beijar que se aparecesse alguém agora, louca pra ter aquela troca de saliva tão reforçada pela sociedade, eu recusaria. Eu ainda tenho muito cabeça de quem assistiu HIMYM e acredita no amor verdadeiro, quando tudo isso é uma bobagem da mídia e ninguém foi feito pra ninguém, só saíram de uma buceta e depois que se encontraram se acharam pessoas razoáveis e atraentes.
Eu parei de ler e tô tentando retomar (queria uma indicação de livro curto, mas bom de se ler). Comecei a me interessar por moda e já desenhei basicamente uma marca inteira - mas não tem jeito viável de trazer isso pra vida real. Peguei uma onda e comecei a escrever uns raps (de gente branca) em inglês - não sou confiante no meu inglês no nível de gravar qualquer coisa dessas. Sempre gostei muito de design e marketing - porém não penso em me formar em publicidade ou qualquer outra coisa. Adoro cozinhar quando possível - mas ingredientes custam dinheiro e eu tenho que segurar um pouco pro HD. Sou apaixonado em escrever - e você leu o resto -, e sempre tive vontade de gravar um curta ou alguma coisa - mas não tenho câmera, microfone, atores e nem ninguém que esteja disposto a me ajudar nessas loucuras. Quero aprender francês e mais uma porrada de coisa - mas já tô indo mal o suficiente na escola.
Mas me falta vontade, coragem e motivação. E isso, eu sei, tem que ser uma coisa que cresça de mim. Da minha vontade de crescer. Mas tô numa zona de conforto onde o sofá que eu sentei entrou no formato perfeito da minha bunda, então não quero 100% levantar.
E agora, aqui tô eu. Enquanto tem gente mudando o mundo, eu tô pensando em mudar o mundo enquanto desabafo para estranhos na internet. Tá foda.
submitted by DocDepamine to desabafos [link] [comments]


2018.12.21 13:28 Desabafoparabobona Um adeus para uma bobona: A Garota Sonhadora.

Olá, como você está? Espero que bem... enfim, só queria dizer que você foi a mulher que me proporcionou muita felicidade, triste em dizer que momentânea, pois nunca deu certo entre a gente né?
Lembro quando te conheci no CS, quando conversamos, rimos, e depois de um tempo, nos apaixonamos, criamos sonhos e planos, porém fomos muito ingênuos quanto a nossa realidade. Você estava em um término de relacionamento abusivo, onde te tratavam como lixo, mesmo eu dando muitos conselhos, você nunca me deu ouvidos.
O que dizer sobre os Ghosting que meia volta você fazia comigo, e claro, você tinha seus motivos para isso, porém sempre me magoava. O tempo que demorei para te esquecer depois do último Ghosting, reaprendi a viver e demorou para aprender a lembrar de você sem sentir dor...
Depois de um tempo, me surpreendo com o e-mail que você me mandou, voltamos a conversar, você agora mudada e declarando seu amor puro para mim, mas receio que já era tarde e meu coração não aceitaria você de volta mais uma vez. Coisa que até então eu não tinha certeza, e nunca contei a você.
Juro que tentei muito, acreditei nos nossos planos de juntar nossas vidas, ir morar juntos, mas infelizmente sempre tive um pé atrás com você sobre tudo o que eu já tinha passado com você no passado.
Logo então você começou a mentir pra mim, conheceu um outro cara onde se dizia amiga dele, sempre usando sua depressão como carta branca para fazer o que bem entender, dizendo que não tinha amigos... enfim parecia que eu já previa o que ia acontecer. Todas as suas mentiras só eram combustível para minha cisma...
No final das contas, você sempre me culpou por tudo isso ter acontecido, pois não me entreguei de verdade para você, posso até ter sido babaca por não te dar uma 2° chance, mas sei lá, acho que era coisa do destino. Dizendo que eu tinha mudado, que não era o mesmo de quando a gente se conheceu, que eu não te dava mais atenção, e você foi obrigada a encontrar isso em outra pessoa.
Devo frisar que sua atitude foi a mais babaca que já vi em toda a minha vida, e creio que você também concorde comigo, pois o que você fez, foi uma puta sacanagem... mas enfim... segue o baile.
Muitas coisas ruins aconteceu entre a gente, mas isso não desmerece as coisas boas que a gente viveu juntos. Todas as nossas madrugadas juntos, sua voz era como remédio viciante para mim, ouvir um "eu te amo" era a coisa mais maravilhosa do mundo, e como ouvir Eden sem lembrar de você? Sem lembrar de toda a nossa história? Impossível... Sinto que você deixou uma marca em mim, e ela será para sempre... felizmente ou infelizmente...
Final de ano ficou marcado para a gente, e chegando esse mês a melancolia bate forte... Só queria dizer que eu nunca amei alguém tão intensamente igual amei você, foi o amor mais sincero que já senti por alguém, e nunca alguém na minha vida deixou uma marca assim tão forte igual você deixou em mim.
Espero que esteja feliz pela escolha que fez, não guardo mágoa nem rancor, desejo tudo de melhor para ti, porém receio que seja melhor nunca mais a gente se falar ou ter contato. Infelizmente nossos destinos já tinham sido traçados a partir do dia que nos conhecemos, e se foi pra ser assim, então que seja.
Só espero que amadureça mais, e que seja uma pessoa mais sincera, deixe de viver nesse seu mundinho onde tudo é perfeito, cheio de unicórnios coloridos e abra seus olhos para a verdadeira realidade.
Quem sabe em outra vida, em um universo paralelo, a gente dê certo.
Enfim, receio que você não frequente esse fórum, e as chances de ler isso são nulas, mas esse foi um simples desabafo para pregar o último prego no caixão, e enterrar nossa história de vez.
Adeus garota sonhadora, você sempre será... bobona ;)
submitted by Desabafoparabobona to desabafos [link] [comments]


2018.07.01 11:18 Doroach El regreso del hijo prodigo

Hace uns tiempo cuando la victoria de AMLo era sercana , decidí hacer un post llamando a una guerra en contra del voto de AMLO, aunque es claro que personajes como u/Ecayce y el u/Waiv siguieron mi orden de hacer campaña por Anaya luego de mi salida, le doy las gracias por seguir con mi mensaje, y luchemos así.
Yo siempre eh sido Priista, pero me di a la tarea de convencer a amigos y familiares de estos colores d ir por Anaya, a algunos incluso les tuve que dar ciertos beneficios para que cambiaran el lugar de su marca, perdí amistades, pero no importa, lo que importa realmente es el futuro del País, incluso intente haces una campaña en twitter luego del rechazo se el sub reddit (salvo por los dos antes mencionados, que aunque siguieron mi consejo, nunca me contactaron para que nos coordinarlos, creo que hubiese hecho esta tarea más fácil), y no mentiré, fue un desastre, pero esa humillación es algo que estaba dispuesto a beber por este país.
Así que hoy les pido lo mismo, discutan con sus amigos, amarguenles la vida de ser necesario, hoy hay cosas en juego más importantes que una amistad, nuestro país en crecimiento se puede caer a la basura, veremos una tiranía paralela a Hitler, Chavez o Trump, los Pejezombies te piden el beneficio de la duda, pero es el beneficio nos podría costar la democracia, vota por Anaya, ya no hay opción no es para elegir al menos peor (en ese caso estaría aquí por Meade XD), es para evitar que México traiga al demonio.
Y este mensaje no solo es a Priistas, es para los indecisos, no te dejes seducir por el vocablo de Lopitos, suena bonito, pero créeme, es mejor quedarte en el lugar en el que estas que tirar todo a la basura y si yo se que Meade es tal vez el candidato más preparado por que hemos tenido en la historia del país, pero, te pido que dejes pasar esta oportunidad para que tomes una con Anaya, a veces debemos de saber elegir entre lo que queremos y lo que por el momento es lo que conviene más, y lamentablemente, debido a las calumnias de y guerra sucia de Obrador Meade tiene menos chances que Anaya.
Pero también me dirijo a ustedes, los "anuladores", si, se que tal vez los candidatos no se ajustan a tu preferencia exacta, pero lamentablemente eso nunca va a pasar, a veces hay que comer un helado de un sabor distinto para evitar tragar mierda, si yo cambio loo colores que me han marcado por generaciones, hoy tu puedes cambiar la bandera de la disidencia por quien podría detener a Lopitoz.
por eso por este medio invito al que considero la persona mas influyente e importante del sub: u/DesechableMX
Se que no concuerdas con Anaya, pero hasta tu sabes que de un golpe en el brazo a un vergazo en la cola hay una diferencia grande, así que te pido que te pronuncies a favor de Anaya, si tu lo haces muchos indecisos y anuladores, se pondrán la azul, creo que así como tu dices "El cambio esta en uno mismo", y ese gran giro de timón, podría venir de tu cambio, es el momento de tomar la responsabilidad que te da tu constante posteo y muestres ese amor que le tienes a la patria.
submitted by Doroach to mexico [link] [comments]


2018.01.30 00:14 Alfre-douh Assunto mal resolvido

Resolvido?! Caramba pá! Que merda é essa agora hein?! Ser um tipo resolvido, que é isso? Toda a gente agora parece ter aceite esse termo como um novo mantra, estar com alguém que seja um indivíduo resolvido. Nem aplicam muita profundidade à coisa, aquilo é ideia que vive ali entre o ajuda a limpar a casa e o é previsível. Ou seja: basicamente alguém capaz de ser lido e não lembrar relações que correram mal no passado. Zero trabalho de relacionamento, zero esforço de auto-percepção, zero pessoa-espelho para não cansar muito a vidinha inerte que se pretende. Zero, Zero, Zero ... o novo número das bestas.
Começou há dois dias atrás. Estava eu ao balcão a limpar a espuma da bica com a colherzinha e oiço: "... sim, porque ela é uma gaja resolvida! Percebes o que quero dizer?! Tipo não há stressesh nem nada dessas cenas." "Ya percebo-te...a minha chavala também me traz bué estabilidade. Foda-se depois do que eu passei, quero mesmo é paz e sossego, e ter uma pessoa resolvida na minha vida traz-me bué isso. Tás a ver?!"
Passam nas minhas costas enquanto eu estou ao balcão, qual figurante do Barco do Amor. Nestas situações dá sempre uma vontade incompreensível de sacar a pinta aos locutores desta nova vaga a que eu gosto de chamar matarruanos sentimentalões. Não o faço e vivo para me arrepender disso. Adiante, eles passam por mim e vão até uma mesa no canto. Não os consigo ouvir do balcão e não vou estar com aproximações à National Geographic para ouvir mais do mesmo. Portanto a modos que aspirei o ar da rua e fundi-me num, não digo mar, mas quiçá ribeiro de gente, que passava por ali àquela hora.
Um dia depois... ontem portanto. Fui ao supermercado aviar-me de cerveja alemã de marca branca e passo pela secção de higiene (aquilo a organização do espaço muda tantas vezes que um tipo acaba a passar onde não quer, claro está). Então era uma mulher de meia idade (a minha idade) a dizer para a outra: "...tu sabes lá! Ele vai e vira-se para mim e diz-me que nem que a vaca tenha movimentos involuntários de limpeza da traqueia que ele se vai dar ao trabalho de pintar o móvel de verde acetinado. Mas menina, não penses que por convicção estética, é mesmo só porque dá trabalho. E tu percebes, da mesma forma que não pinta o móvel como eu quero também não se dá ao trabalho de outras coisas. Opá se eu fosse nova outra vez a ver se eu não caía mas era encima de um homem resolvido!" A outra vai e responde: "Pois, eles para não fazerem nada são todos resolvidos". Mudam subitamente a conversa para um longo divagar sobre o Redfish não ser bem vermelho, mas mais para o alaranjado vivo e eu aproveito para me lembrar do meu propósito e ir também comprar uns amendoins com casca.
Hoje, acordo de manhã (nem todos os dias o faço), e lembro-me duma conversa que ouvi sobre comer frutos secos ao pequeno-almoço. Também houve alguém que me disse que os óleos dos frutos secos podem por o fígado a carburar mal, mas resolvi dar uma chance à moda e toca de começar a descascar umas sobras de amendoins de ontem. Estava eu de cigarro no cinzeiro a fazer incenso a aviar-me de amendoins e nisto entra a minha mulher. "Ó Alfredo... olha para o teu aspecto, come antes um pão de sementes!" "Sementes ou amendoins não é a mesma coisa? Aliás, pelo menos os amendoins descasquei-os eu. Sabe-se lá quem descascou as sementes" "Ó querido, não te ponhas com essas coisas, lê a roda dos alimentos que te deixei no frigorífico!" "Aquela merda recortada da revista do Doce Pingo em que o puto escreveu a caneta de álcool: Carne é morte e o glutem também o é, oremos ao pai-bróculo?" "Aquilo não é caneta de álcool!" "Estou-te a dizer que é!" "Não é nada Alfredo, nem a brincar digas isso..." "Oremos ao Pai-bróculo!... vou ter de lhe cortar as vazas na próxima mesada" "Possas pá, ninguém nesta família ajuda! Só gente mal resolvida... dá-me lá um cigarro que tenho de ir trabalhar".
Enrolo-lhe um cigarro, azoado com a questão "ser uma qualquer resolução" e sigo para varanda, onde de resto me encontro a tentar achar solução para todo este assunto muito mal resolvido.
submitted by Alfre-douh to escrita [link] [comments]


2017.11.10 21:16 aureliano_babilonia_ Crônica de um suicídio - reportagem da Veja relata espetacularização em operação da PF na UFSC

Link para a matéria original (restrita para assinantes).
Paywall de cu é rola: Crônica de um suicídio
Na noite do domingo 1º de outubro, um antigo cliente do Macarronada Italiana, de onde se avista a deslumbrante Baía Norte de Florianópolis, entrou no restaurante à procura de Zé. O garçom José de Andrade, de 63 anos, irrompeu no salão e aproximou-se para registrar em seu bloquinho o pedido de sempre do freguês de quase quatro décadas: talharim à bolonhesa.
— Não, Zé, hoje só vim te ver e tomar um café contigo. O garçom percebeu um timbre diferente e retrucou:
— Te conheço, Cau. Você está bem?
Cau não estava bem, mas desconversou. Reclinou sua vasta figura de 1,90 metro e 85 quilos sobre o balcão e tomou um expresso em companhia de Zé, que percebeu outra estranheza: o silêncio incomum e prolongado do interlocutor. Dez minutos depois, Cau deu-lhe um abraço apertado, um beijo na bochecha esquerda e disse “adeus”.
Dali, Cau foi ao Shopping Beiramar, uma caixa de concreto de sete andares, subiu até o último piso e andou em torno das escadas rolantes mirando lá embaixo, como quem calcula o território. Caminhou duas, três, cinco vezes ao todo. E decidiu ir ao cinema. Assistiu a Feito na América, o mais recente filme de Tom Cruise, e voltou para casa. No dia seguinte, na última manhã de sua vida, Cau deixou seu apartamento, no bairro de Trindade, e pegou um táxi. No meio do caminho, talvez à espera de que o shopping abrisse as portas, às 10 horas, encerrou a corrida na Praça dos Namorados, onde costumava levar o filho quando pequeno. Sentou-se num banco. Uma conhecida o cumprimentou, ele perguntou as horas. Eram 9h20. Quando o shopping abriu, Cau não demorou a chegar. Cruzou com um estudante universitário, a quem saudou protocolarmente, e tomou o elevador até o 7º andar. As câmeras de segurança do shopping captaram o momento em que Cau, sem nenhuma hesitação, se postou na escada rolante, colocou as mãos no corrimão de borracha, em seguida subiu ali com os dois pés — e jogou-se no vão da escada, projetando-se no precipício. Despencou de uma altura de 37 metros, a uma velocidade de 97 quilômetros por hora. Seu corpo bateu no chão como se tivesse 458 quilos. Ele morreu na hora, às 10h38 de 2 de outubro de 2017.
O suicídio de Luiz Carlos Cancellier de Olivo, aos 59 anos, o Cau, reitor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), foi o desfecho trágico de dezoito dias dramáticos. Sua vida começou a desabar na manhã de 14 de setembro, quando agentes da Polícia Federal deflagraram a Operação Ouvidos Moucos, com o objetivo de apurar desvios de verbas para cursos de ensino a distância na UFSC. Às 6h30 daquela quinta-feira, o reitor ouviu tocar a campainha de seu apartamento e, enrolado em uma toalha de banho, abriu a porta para três agentes da PF, que subiram sem se fazer anunciar pelo porteiro do edifício. Os agentes traziam dois mandados — um de prisão temporária e o outro de busca e apreensão. Recolheram o tablet e o celular do reitor e conduziram-no à sede da Polícia Federal em Florianópolis, dentro de uma viatura.
Atônito, sem entender o que estava acontecendo, o reitor só se lembrou de chamar um advogado quando estava prestes a começar seu depoimento, às 8h30. Durante as cinco horas em que foi arguido, passou duas sem saber por que estava à beira da prisão. Ainda respondia a perguntas sobre os meandros operacionais do ensino a distância, com o estômago embrulhado pelo jejum matinal e pelo tormento das circunstâncias, quando a delegada Érika Mialik Marena, ex-coordenadora da força-tarefa da Lava-Jato, à frente agora da Ouvidos Moucos, adentrou o local. Apressada para iniciar a coletiva de imprensa que começaria logo mais, Érika finalmente esclareceu ao interrogado o motivo de tudo aquilo: “O senhor não está sendo investigado pelos desvios, mas por obstrução das apurações”. E correu para comandar o microfone na sala ao lado.
Desde cedo, já voava nas redes sociais a notícia de que a Polícia Federal deflagrara uma operação de combate a uma roubalheira milionária na UFSC. A página oficial da PF no Facebook, seguida por 2,6 milhões de pessoas, destacava a Ouvidos Moucos: “Combate de desvio de mais de 80 milhões de reais de recursos para a educação a distância”. Ainda acrescentava duas hashtags para celebrar a ação: “#euconfionapf” e “#issoaquiépf”. A euforia não encontrava eco nos fatos. Na coletiva, a delegada Érika explicou que, na realidade, não havia desvio de 80 milhões de reais. O valor referia-se ao total dos repasses do governo federal ao programa de ensino a distância da UFSC ao longo de uma década, de 2005 e 2015, mas não soube dizer de quanto era, afinal, o montante do desvio. Como a PF não se deu ao trabalho — até hoje — de corrigir a cifra na sua página do Facebook, os 80 milhões colaram na biografia do reitor. Em seu velório, uma aluna socou o caixão e bradou: “Cadê os 80 milhões?”.
Encerrado seu depoimento, o reitor deveria ficar retido na sede da PF, mas, como a carceragem havia sido desativada, foi para a Penitenciária de Florianópolis, um complexo de quatro pavilhões construído em 1930. Acorrentaram seus pés, algemaram suas mãos e, posto nu, ele foi submetido a revista íntima. Um dos agentes ironizou: “Viu, gente, também prendemos professores!”. Cancellier vestiu o uniforme laranja, foi fichado e passou a noite em claro. Seus dois colegas de cela, presos na mesma operação, choravam copiosamente. Cancellier estava mudo, como que em transe, e cada vez mais sobressaltado com os rigores do cárcere.
Ficou trinta horas na cela na ala de segurança máxima. Teve sintomas de taquicardia: suava muito e a pressão disparou para 17 por 8. Seu cardiologista foi autorizado a examiná-lo, trazendo os remédios que ele havia deixado em casa (desde dezembro, quando implantou dois stents, Cau tomava oito medicamentos). Quando deixou a cela, Cancellier era um homem marcado a ferro pela humilhação da prisão. Sua família o recebeu em clima de festa e alívio. Os irmãos, Julio e Acioli, tinham comprado de tudo um pouco no Macarronada Italiana para um jantar regado a vinho branco Canciller, rótulo argentino escolhido pela similaridade com o nome de origem italiana da família. Também ali estava o filho do reitor, Mikhail, de 30 anos, doutor em direito como o pai, com quem ele mantinha um laço inquebrantável. Mas, entre piadas e risos, Cancellier exibia um semblante sem expressão. “Ele estava chocado. Revivia aquelas cenas o tempo todo”, lembra o irmão Julio, jornalista de 51 anos. Mais que tudo, o reitor estava sendo esmagado pelo peso da proibição de pisar na universidade até o final das investigações. A decisão fora tomada junto com o mandado de prisão e, para o reitor, soou como uma punição cruel.
Depois de ter visto seu nome nas manchetes do noticiário na internet e na TV, Cancellier deu boa-noite a todos e recolheu-se. Não era um homem aliviado pelo fim do martírio da prisão nem reconfortado pelo reencontro com a liberdade. Deixou o jantar como um derrotado. Um dos convivas, o desembargador Lédio Rosa de Andrade, de 58 anos, amigo da infância pobre passada em Tubarão, a 130 quilômetros de Florianópolis, percebeu o peso que o reitor carregava. “Ele entendeu que o episódio deixaria uma marca incontornável em sua biografia”, diz Andrade, colega de colégio de Cancellier.
A UFSC era uma extensão da casa do reitor. Seu apartamento, de três cômodos, onde viveu dezenove anos, dois deles casado e o restante na companhia do filho, fica a 230 passos do câmpus. Nos fins de semana, o reitor fazia uma ronda informal, bem à vontade em seu moletom. Na UFSC, ele teve, para os padrões acadêmicos, uma carreira meteórica. Em apenas dezoito anos, concluiu o curso de direito, fez mestrado, fez doutorado em direito administrativo, virou diretor do Centro de Ciências Jurídicas e, numa eleição acirrada, elegeu-se reitor — cargo que ocuparia por dezesseis meses. Na eleição, a paciência para tecer alianças foi arma decisiva em um jogo embaralhado. “Ele não era um orador brilhante, mas era um articulador que conseguia trazer para o mesmo lado gente de todos os espectros ideológicos”, define o amigo Nelson Wedekin, de 73 anos, ex-senador pelo PMDB local.
Desde a juventude, a rotina universitária era a bússola da vida de Cancellier. Em 1977, aos 19 anos, época em que fazia política estudantil com o cabelo desgrenhado e bolsa de couro a tiracolo, ele se encantou com a universidade. “Não quero nunca sair daqui”, confessou ao amigo Osvaldir Ramos, hoje presidente do Conselho Estadual de Educação em Santa Catarina. Acabou forçado a sair, no regime militar, em decorrência de sua militância no Partido Comunista Brasileiro, o antigo Partidão, e da chamada novembrada: em 30 de novembro de 1979, o presidente João Figueiredo, o último ditador do ciclo militar, baixou em Florianópolis, bateu boca com estudantes na rua e o episódio terminou em pancadaria e prisões. Cancellier teve de desaparecer da faculdade de direito. Ressurgiu cinco meses depois trabalhando em um jornal e acabou tornando-se assessor de políticos, inclusive de Wedekin, função que o levou a se mudar para Brasília. Só voltou à UFSC em 2000, aos 42 anos, para cumprir uma fulminante trajetória acadêmica — e ser de novo expelido da universidade, agora em plena democracia e na condição de reitor, num banimento que lhe pesou como uma suprema humilhação. No muro da universidade, um anônimo grafitou: “Fora Cancellier”.
“A humilhação é a bomba nuclear das emoções”, afirma a psicóloga alemã Evelin Lindner, uma autoridade mundial num ramo da psicologia que estuda o peso da vexação em sociedade e sua relação com atos de violência — como o terrorismo e o suicídio, que, não por acaso, andam juntos. Se a culpa é uma dor que vem de dentro, a humilhação é como uma dor que vem de fora, imposta pelo olhar alheio. É sentida como uma falência em público. Sai cortando fundo no orgulho, na honra, na dignidade, e tende a ficar marcada como uma cicatriz. Escreve o psiquiatra Neel Burton, professor em Oxford e autor do livro Heaven and Hell: The Psychology of the Emotions (Céu e Inferno: a Psicologia das Emoções): “As pessoas que foram humilhadas carregam a marca da humilhação, são lembradas pela humilhação. Em um sentido muito real, elas se tornam a própria humilhação que sofreram”.
Os estudos científicos sugerem que, quando estão em jogo elementos que constituem a razão de ser de uma pessoa, como princípios, posição ou status, o peso da vergonha pode até desfigurar a identidade pessoal e tornar-se insuportável. “Em alguns casos, ser submetido a uma situação vexaminosa gera condutas irracionais e pode desencadear uma resposta violenta, como o suicídio”, diz o professor Helio Deliberador, do departamento de psicologia social da PUC de São Paulo. O filho mais velho de Bernard Madoff, um dos nomes mais cintilantes de Wall Street, suicidou-se depois da descoberta de que seu pai era, na verdade, um farsante que aplicara golpes bilionários. Jacintha Saldanha, enfermeira em um hospital onde a duquesa Kate esteve internada em 2012, caiu no trote de radialistas australianos que se fizeram passar pela rainha da Inglaterra, facilitou o acesso a dados sobre o estado de saúde da duquesa e foi publicamente achincalhada. Matou-se aos 46 anos. Como escreveu Albert Camus em Mito de Sísifo: Ensaio sobre o Absurdo: “Matar-se, em certo sentido, é confessar que se é ultrapassado pela vida e que não a compreendemos”.
Nos dias que se seguiram à sua soltura, Cancellier começou a ser ultrapassado pela vida. “Passou a alternar momentos em que achava que ficaria tudo bem com outros em que mergulhava no desânimo”, diz o ex-senador Wedekin. Em 16 de setembro, dois dias depois da prisão, seu irmão Acioli levou-o para falar com advogados. Ao entrar e sair do táxi, Cancellier tremia, com medo de ser reconhecido na rua e hostilizado. Com o celular confiscado pela PF, quase não atendia o telefone fixo de casa. Não ligava a TV e, ao irmão Julio, disse que cometera “suicídio digital”, pois retirara fotos do Facebook e parara de navegar nas redes sociais. Ensimesmou-se a tal ponto que os irmãos decidiram levá-lo a uma psiquiatra, a primeira vez na vida que buscava ajuda dessa natureza.
A consulta com a médica Amanda Rufino ocorreu em 19 de setembro, cinco dias depois da prisão. Ele saiu de lá com o diagnóstico de “sintomas de stress pós-traumático desencadeados por impactante fator estressor no âmbito profissional” e um quadro de “intensa sensação de angústia, de opressão no peito e taquicardia”. A psiquiatra prescreveu um ansiolítico e um antidepressivo, ambos em doses moderadas. Cancellier tomou obedientemente os remédios e voltou à médica em 29 de setembro, a três dias do suicídio. Ao final da segunda consulta, a psiquiatra comentou com um dos irmãos do reitor que a situação parecia sob controle. “O quadro está evoluindo bem”, disse. A João dos Passos, procurador-geral do estado, o reitor deu uma pista do que sentia: “Vou te confidenciar, João. Meu estado é de pós-catástrofe, como se eu fosse o sobrevivente de uma queda de avião. Não consigo me situar, raciocinar direito”. O amigo Lédio Andrade, com quem o reitor jogava xadrez, descreve um Cancellier irreconhecível: “Seu raciocínio ficou lento e os olhos fixavam o infinito. Não parecia o Cau”.
Em situações normais, o reitor tinha entusiasmadas conversas sobre Shakespeare, Freud e o cristianismo, temas que despertavam sua curiosidade intelectual. Agora, nada parecia atrair seu interesse. O irmão Acioli, engenheiro que mora em São José dos Campos, tentando tirá-lo da clausura de si mesmo, alugou um Fiat Uno e provocou: “Agora você vai me mostrar essa ilha”. Era sempre o irmão ao volante, pois Cancellier, apesar de ter carteira de motorista, só dirigia moto. Nesses passeios, o reitor até relaxava, mas logo voltava a cerrar-se em casa. Em Foz do Iguaçu, sua ex-mulher, Cristiana Jacquenin, de 48 anos, externou seu temor aos mais chegados: “Tenho medo do que ele possa fazer. Ele não vai aguentar ficar longe da universidade, é a vida dele”. Crica, como Cancelllier a chamava, foi uma paixão fulminante — em dois meses, eles subiram ao altar, ele com 28 anos, ela com 18. Conheceram-se no jornal O Estado (que já não existe) e, apesar da separação, mantiveram um elo até o fim. Ela afirma: “Aquela humilhação toda atingiu o Cau. Era como se alguém acertasse com uma bazuca uma escultura de pecinhas bem encaixadas que nunca mais se rearranjariam”.
A Polícia Federal pediu a prisão de Cancellier e outras seis pessoas da UFSC com base em um relatório de 126 páginas. Nele, o reitor é acusado de tentar obstruir as investigações da universidade sobre os desvios de dinheiro com base em apenas dois depoimentos. Em um deles, Taisa Dias, coordenadora do curso de administração, contou à polícia que, certo dia, levou ao reitor suspeitas de uso indevido de verbas no curso que coordena. Cancellier, segundo ela, perguntou se aquilo não seria um “problema de gestão” e, em seguida, lhe disse o seguinte: “Guarda essa pastinha”. Taisa entendeu que, com essa frase, o reitor estava querendo enterrar as investigações. A Polícia Federal, por sua vez, considerou a interpretação de Taisa como uma suspeita suficientemente clara de que Cancellier queria embolar a apuração. A defesa do reitor admite a conversa com Taisa, mas afirma que, ao dizer “guarda essa pastinha”, ele queria lhe pedir apenas cautela nas apurações e nas acusações. Ao reitor, nada foi perguntado sobre suas intenções, antes de ele ser preso.
O outro depoimento foi prestado pelo corregedor da UFSC, Rodolfo Hickel do Prado, um senhor calvo de olhos claros que nunca altera o tom de voz e fez fama de investigador obsessivo no câmpus da universidade. Em novembro do ano passado, o centro acadêmico da faculdade de engenharia postou no Facebook um texto que dizia que a universidade mantinha uma lógica desigual, punitiva para alunos e benevolente para professores. Hickel do Prado debruçou-se sobre a questão. Queria entender o que era aquela lógica desigual. Convocou nada menos do que uma centena de estudantes para depor. A apuração se encerrou sem nada concluir, mas ajudou a sublinhar sua fúria investigativa. Aos que lhe censuram o ímpeto de xerife, Hickel do Prado rebate com segurança pétrea: “Quem faz tudo certo não tem por que ter medo de nada”. (Na terça-feira 7, o corregedor pediu licença médica de dois meses da universidade.)
Em seu depoimento, Hickel do Prado fez cinco acusações ao reitor. Disse que ele lhe recomendou que instalasse uma sindicância, em vez de abrir um processo administrativo, e tentou subordiná-lo a uma secretaria ligada à reitoria. (A defesa do reitor confirma as duas providências, mas diz que eram uma tentativa de evitar os conhecidos excessos do corregedor, e não de sabotar a investigação.) Também afirmou que ele cortou sua remuneração numa “tentativa de constrangê-lo”. (A defesa do reitor afirma que houve uma ampla reforma na UFSC com cortes na remuneração de vários cargos comissionados, e não uma medida exclusiva contra o corregedor.) Ainda acusou o reitor de tê-lo chamado para uma conversa reservada na qual lhe pediu que não apurasse as suspeitas. (A defesa do reitor nega que a conversa tenha existido.) E, por fim, disse que ele lhe pediu para ter acesso formal às investigações depois de ter visitado a Capes, órgão federal que financia o sistema de pós-¬graduação no Brasil, que havia acabado de cortar as verbas para o programa de educação a distância da UFSC. (A defesa do reitor confirma que ele pediu acesso às investigações exatamente para saber as razões que levaram a Capes a cortar as verbas.)
A polícia não ouviu as explicações do reitor, antes de pedir sua prisão. Ainda que os dois depoimentos se limitassem a acusá-lo de tentar obstruir as investigações, a polícia incluiu o nome do reitor em uma lista de doze pessoas suspeitas de terem tido “efetiva participação na implementação, controle e benefício do esquema criminoso”. Não há no inquérito nenhum indício ou acusação de que o reitor fosse membro do “esquema criminoso”, nem mesmo a descrição do que poderia vir a ser esse “esquema criminoso”. VEJA perguntou à Polícia Federal por que Cancellier foi apontado como integrante da quadrilha, mas a PF preferiu não responder.
No final do relatório, na página 123, estão as cinco razões para prender o reitor. O texto afirma que ele:
• “Criou a Secretaria de Educação a Distância para estar acima do já existente Núcleo Universidade Aberta, vinculando-a diretamente à reitoria.” (O inquérito não traz nenhuma prova de que a criação da secretaria tenha relação com desvios de verba.)
• “Nomeou no âmbito do EaD (educação a distância) os professores do grupo que mantiveram a política de desvios e direcionamento nos pagamentos das bolsas do EaD.” (O reitor, ao assumir o cargo, fez mais de cinquenta nomeações. No âmbito do EaD, fez apenas três, e outros três professores que já integravam o grupo antes mesmo de sua gestão foram mantidos.)
• “Procurou obstaculizar as tentativas internas sobre as irregularidades na gestão de recursos do EaD.” (O inquérito, neste caso, baseia-se no depoimento da coordenadora Taisa Dias e do corregedor Hickel do Prado.)
• “Pressionou para a saída da professora Taisa Dias do cargo de coordenadora do EaD do curso de administração.” (É uma afirmação gratuita. O inquérito não informa de onde saiu essa suspeita nem aponta nenhum elemento que lhe dê consistência.)
• “Recebeu bolsa do EaD via Capes e via Fapeu.” (O inquérito também não informa de onde saiu essa suspeita, nem mesmo se existiu alguma irregularidade na concessão das bolsas.)
A juíza Janaína Cassol, da 1ª Vara Federal de Florianópolis, analisou o pedido da PF em 25 de agosto e concedeu as prisões. Sobre o reitor e os outros seis acusados, ela escreveu: “Essas pessoas podem efetivamente interferir na coleta das provas, combinar versões e, mais do que já fizeram, intimidar os docentes vitimados pelo grupo criminoso”. Em 12 de setembro, a juíza pediu licença por problemas de saúde e foi substituída por Marjorie Freiberger. Dois dias depois, em 14 de setembro, a polícia lançou a Operação Ouvidos Moucos e prendeu o reitor e os outros seis. No dia seguinte às prisões, a juíza Marjorie Freiberger, sem que houvesse recurso da defesa do reitor e dos outros seis, resolveu revogar a decisão de sua colega e suspendeu as prisões. Ao contrário da antecessora, a juíza Marjorie não conseguiu ver motivo para tê-los levado para a penitenciária. Escreveu ela: “No presente caso, a delegada da Polícia Federal (refere-se a Érika Marena) não apresentou fatos específicos dos quais se possa defluir a existência de ameaça à investigação e futuras inquirições”. Mandou libertar todo mundo. Até hoje, a advogada do reitor, Nívea Cademartori, não entende por que seu cliente foi preso sem que tivesse a chance de se explicar. “Bastaria que a PF intimasse o reitor para depor, o que seria imediatamente atendido. Há uma banalização das prisões temporárias no país.”
Em seus últimos dias, Cancellier chegou a dar sinais de que não abandonaria o ringue. Em artigo publicado no jornal O Globo em 28 de setembro, quatro dias antes do suicídio, saiu em defesa própria e dos demais professores presos: “A humilhação e o vexame a que fomos submetidos há uma semana não têm precedentes na história da instituição”. O reitor também tentou recorrer da proibição de pisar no câmpus. Alegou que, como orientava teses de mestrado e doutorado, não podia deixar os alunos à deriva. A resposta da Justiça veio no sábado 30 de setembro, dois dias antes do suicídio: Cancellier estava autorizado a entrar na UFSC por três horas em um único dia. A decisão o devastou. “Como pode?”, perguntava. “Se demorar um minuto a mais, serei preso?”
A humilhação a conta-gotas ajudou a reforçar o quadro de stress pós-traumático do reitor, como a psiquiatria define a reação descontrolada do cérebro diante de um evento que está além de sua capacidade de absorção. “É como se o sistema de defesa do organismo entrasse em pane”, compara o psiquiatra Marcelo Fleck, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Maria Oquendo, uma porto-riquenha baixinha que se tornou um gigante da psiquiatria americana e autoridade mundial em suicídio, diz que é dificílimo evitar a morte de vítimas desse tipo de stress. Elas nunca falam em suicídio, embora pensem no assunto constantemente. Um trauma como o que consumiu o reitor vira motivo de obsessão — mas, de acordo com as estatísticas, raramente conduz ao atentado à própria vida.
O reitor foi um dos raros casos. Na véspera de seu suicídio, sabe-se hoje, já estava tudo calculado. Ele recusou o convite dos irmãos para assistir a uma partida de futebol em que o clube de coração da família, o Hercílio Luz, tinha chance de voltar à elite catarinense. Preferiu sair com o filho Mikhail. Almoçaram, ele quis ver se estava tudo em ordem em sua casa, mas recusou-se a ficar para uma sessão de filmes na TV. “Preciso descansar”, despistou. Em vez de descansar, foi ao shopping em que morreria, assistiu a um filme e levou consigo a chave do apartamento, de modo a forçar seu irmão Acioli a dormir em outro lugar. Queria ficar sozinho na última noite. As cinzas de cigarro espalhadas pelo apartamento mostram que fumou ferozmente, quebrando a abstinência imposta pelo cardiologista. Escreveu quatro bilhetes. Um para o filho, outro para os irmãos, um terceiro para um amigo e o quarto carregou no próprio bolso. É o único cujo conteúdo é conhecido. “A minha morte foi decretada quando fui banido da universidade!!!”, diz o bilhete, com a ênfase dos três pontos de exclamação. No dos irmãos, referiu-se à imensidão do amor pelos dois, mas disse que a dor que o dilacerava era maior que tudo. Deixou bilhetes e documentos separados em uma pequena caixa no escritório de casa, encontrada por Mikhail. O filho disse: “O pai cumpriu a missão aqui”.
Até hoje, sabe-se apenas que o “esquema criminoso” durou principalmente de 2005 a 2015, quando Cancellier nem estava na reitoria. A Capes, que investigou o assunto, diz que o “esquema criminoso” era uma coleção de pequenas falcatruas de servidores escroques, sem a dimensão que se divulgou. O coordenador do programa do ensino a distância da Capes, Carlos Lenuzza, não revela detalhes da investigação, mas adianta: “Os valores dos desvios são muito distantes daquilo que se falou”. Até agora, um mês depois do suicídio do reitor, ninguém foi acusado formalmente de nada, e a polícia não chegou ao valor real que foi desviado. Ao ver a notícia do suicídio na TV, Zé, o garçom, desabou. Nem sabia que o amigo de toda a vida era reitor.
submitted by aureliano_babilonia_ to brasil [link] [comments]


2017.01.19 21:45 LiveLaden TEMPO REAL: Quartas de Final - Copa SP de Futebol Júnior — Flamengo vs Corinthians

Flamengo 1 - 2 Corinthians

STREAM
GOLS FLAMENGO: Dener 1°T 07'
GOLS CORINTHIANS: Pedrinho 1°T 08' / Del'Amore 2°T 11'
Local: Arena Barueri
Árbitro: Thiago Duarte Peixoto
Tempo: Chuva Forte, 21°C
Escalação
POS FLAMENGO CORINTHIANS POS
GL Gabriel Filipe GL
LD Klebinho Samuel LD
ZG Dener Del'Amore ZG
ZG Andre Baumer Thiago ZG
LE Moraes Guilherme R. LE
VOL Theo Mantuan VOL
MC Jean Lucas Luisinho VOL
MA Pepê Fabricio Oya MA
PD Lucas Silva Pedrinho PD
PE Vinicius Junior Marquinhos PE
CA Lincoln Matheus CA
Bench
POS FLAMENGO CORINTHIANS POS
GL Lyon Luan GL
ZG Bernardo Franklin ZG
LD Wesley Roni VOL
MA Patrick Carlos MC
PE Gabriel Silva Lucas M. PE
CA Loran Vititnho PD
PD Jardeu Lucas Amorim ST

Pré-Jogo

Michael Lateral Esquerdo que se contundiu no segundo jogo da copinha foi liberado pelo DM, mas está sem preparação esse jogo, por isso nem no banco fica
Rafael Santos, Hugo e Vinicius souza estão suspensos este jogo por receber o segundo cartão amarelo último jogo
No time do Corinthians o destaque Carlinhos está suspenso além dele o Renan Areias por receber o segundo cartão

1° Tempo

00' ROLA A BOLA!
01' Vinicius cruzou, e o zagueiro Moraes cabeceou para fora. Foram 3 escanteios seguidos para o Flamengo
03' Fabricio Oya bate a falta, e bola quase chega a Del'Amore. Zagueiro poderia ter marcado o primeiro gol do jogo. Mas juiz marca alguma irregularidade
06' PENALTI PARA O FLAMENGO! E cartão amarelo para o goleiro Filipe
07' GOL DO FLAMENGO! Dener! Bola pra um lado goleiro pro outro
08' Gol do Corinthians. Pedrinho. André Baumer foi afastar, mas acabou chutando no camisa 7 do Corinthians, que pegou a bola, foi para cima e bateu rasteiro
12' Corinthians marca o gol mas estava impedido. Outra saída errada do Flamengo, bola parou na poça, chovendo muito em Barueri
28' Falta perigosa para o Corinthians. Mas Fabricio Oya chuta na barreira e vai pra fora.
31' Quase gol do Flamengo. Jean Lucas cruza pela direita, encontra Vinicius Júnior, SOZINHO, na grande área. A promessa do Fla cabeceia para fora e perde uma grande chance.
33' Agora foi a vez do Corinthians perder chance incrível. Bola sobra para Marquinhos na área. O atacante bate em cima do goleiro
36' Vinicius Júnior recebe linda bola de Theo e sai sozinho na cara do gol. Camisa 18 demora muito para bater, perde espaço e goleiro Filipe faz grande defesa.
43' NA TRAVE! Kleber quase marca o segundo gol do Flamengo. Lateral recebe bola de Vinicius Júnior e bate na trave, anda em cima da linha e goleiro recolhe. Quase o segundo do Flamengo
45' Mais um minuto de jogo (+1)
45'+1' FIM DE PRIMEIRO TEMPO. Ótimo jogo, teste pra cardíaco.

2° Tempo

Troca no Corinthians Fabricio Oya Carlos
00' RECOMEÇA O JOGO!
09' João Pedro recebe bola na área e chuta para o gol. Bola desvia na zaga. Tinha chance de perigo para o Fla
11' Gol do Corinthians. Del'Amore. Pedrinho bate escanteio no primeiro pau, Thiago desvia e Del'Amore chega para completar de cabeça para a rede.
24' Troca no Flamengo Pepê Patrick
30' Troca no Corinthians Padrinho e Luisinho Lucas M. e Roni
32' Jean Lucas do Flamengo. Se o Flamengo passar de fase ele está fora
32' Troca no Flamengo Lucas Siva e Lincoln Wesley e Patrick
35' Na Trave! Corinthians cobra escanteio e cabeceia na trave, na continuação da jogada Jardeu comete pênalti claríssimo não marcado pelo juiz. Segue 2x1.
39' Perde Jardeu. Patrick faz bela jogada pela direita e cruza rasteiro para Jardeu. Que chuta mascado e zagueiro afasta. Goleiro já estava batido
42' Troca no Corinthians Marquinho Lucas Amorim
45' Mais quatro minutos (+4)
45' Patrick do Flamengo. Fora do próximo jogo
49' Fim de Jogo
submitted by LiveLaden to Flamengo [link] [comments]